3 passos para você conquistar seus sonhos

3 passos para vc conquistar seus sonhos:

Querer, tentar e nunca desistir.

Não Desista EuGordinha

CVV – Centro de Valorização à Vida

CVV Centro de Valorização da Vida - Blog EuGordinha

Como Vai Você?

Muitas vezes acontecem situações na vida tão desesperadoras (cada pessoa tem seu limite de suportar o sofrimento e a dor), que a mente perde a capacidade normal de raciocinar e a gente acaba não pensando direito sobre a vida e como fazer pra resolver alguns problemas. Algumas pessoas pensam em suicídio…

Hoje de noite sofri um leve abalo interior por causa de uma notícia: Um estudante se jogou do prédio no Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Ele era de Caruaru, estudava na FAVIP e tinha 29 anos. Aconteceu no dia 29 de Agosto de 2011. Mas pela breve pesquisa que fiz, já é o segundo caso nesse ano. Há tantos corações tremendamente doloridos por ai e nem temos nos dado conta disso…

Hoje eu coloquei um link aqui no blog pra o CVV – Centro de Valorização da Vida. Eles tem um trabalho 100% voluntário no qual conversam com as pessoas, oferecendo a devida atenção que em alguns momentos pode ser decisivo entre a nossa vida ou morte.

Como é o atendimento

O trabalho consiste no diálogo compreensivo e na doação incondicional do calor humano. O Voluntário trabalha no sentido de compreender a pessoa que procura o CVV, dessa forma, valorizando sua vida. O atendimento é feito por telefone, pessoalmente, por correspondência, chat ou e-mail. A pessoa que procura o CVV tem o sigilo assegurado, a total privacidade e anonimato. O atendimento ocorre em clima de profundo respeito e confiança. Basta que a pessoa ligue para o telefone 141, ou acesse o site www.CVV.org.br para falar com o Posto CVV de sua região.

Treinamento dos Corredores Quenianos

 

Treinamento Queniano EuGordinhaO Quenianos são considerados os melhores corredores em maratonas e corridas. Eis uma imagem que talvez explique a motivação que eles têm nos seus treinamentos.

 

Direito de ser Feliz

Sorisso Blog EuGordinha

Ninguém Mais vai me roubar o direito de ser feliz! Foi-se o tempo no qual a depressão quis me roubar a vida. Desde que a encarei de frente e entendi seus reais motivos, me decidir a não ser mais sua vítima, nem me escravizar aos seus pensamentos penosos, como correntes pesadas. Hoje estou livre, leve e solta.

Paixão Com Prazo de Validade

Frutas Amadurecendo Blog EuGordinha

Gente eu já tinha comprovado isso na prática infelizmente. Mas ai, li essa matéria que comprova a coisa. E parece que foi um estudo sério mesmo, com especialistas e cientistas e tal… que triste sabe, e ao mesmo tempo que feliz. Porque de um certo modo a gente já vai se metendo na vida preprado pra o que ela tem a nos oferecer!

Leia Mais aqui

“Sempre desconfiei que as nossas emoções são como as frutas: nos saciam quando madura, mas tem sem tempo de vida. Verdes emoções, amadurecendo, maturas e enfim… algumas apodrecem…” Trecho de EuGordinha Romance

Vanessa da Mata – Parte 2

Dando continuidade a tietagem…

Biografia de Vanessa

Carnaval 2011 - Recife

Vanessa da Mata nasceu em 1976, em Alto Garças, no Mato Grosso – uma pequena cidade 400 quilômetros de Cuiabá, cercada de rios e cachoeiras. De formação autodidata, ouviu de tudo na infância. De Luiz Gonzaga a Tom Jobim, de Milton Nascimento a Orlando Silva. Ouviu também de ritmos regionais como o carimbó, dos discos trazidos das viagens de um tio à Amazônia. Ouviu samba, música caipira e até música brega italiana, sons que chegavam pelas ondas da rádio AM.
Aos 14 anos, Vanessa se mudou para Uberlândia, em Minas Gerais, cidade a mil e duzentos quilômetros de distância de Alto da Graça. Foi para lá sozinha, morar em um pensionato: se preparava, então, para prestar vestibular de medicina. Mas já sabia o queria: cantar. Aos 15, começou a se apresentar em bares locais.
Em 1992, foi para São Paulo, onde começou a cantar na Shalla-Ball, uma banda de reggae de mulheres. Três anos depois, excursionou com a banda jamaicana Black Uhuru. Em seguida, fez parte do grupo de ritmos regionais Mafuá. Neste período, ainda dividia seu tempo entre as carreiras de jogadora de basquete e de modelo.

Em 1997, conheceu Chico César: com ele, compôs “A força que nunca seca”. A música foi gravada por Maria Bethânia, que a colocou como título de seu disco, em 1999. A gravação concorreu ao Grammy Latino e também foi gravada no CD de Chico, “Mama Mundi”. O Brasil descobria uma grande compositora. Bethânia voltou a gravar Vanessa: “O Canto de Dona Sinhá” esteve no CD “Maricotinha” – com participação de Caetano Veloso – e em sua versão ao vivo. Já “Viagem” foi gravada por Daniela Mercury em “Sol da Liberdade”. Com Ana Carolina compôs “Me Sento na Rua”, do CD “Ana Rita Joana Iracema e Carolina (2001).
A voz e a presença de Vanessa começavam também a chamar atenção. Fez participações em shows de Milton Nascimento, Bethânia e nas últimas apresentações de Baden Pawell: estava pronta para estrear em carreira solo.

Cd Vanessa da Mata

Em 2002, lançou seu primeiro CD, “Vanessa da Mata” (Sony) – que teve produção conjunta de Liminha, Jaques Morelenbaum, Luiz Brasil, Dadi e Kassin. Entre os sucessos deste disco estão “Nossa Canção” (trilha sonora da novela “Celebridade”), “Não me Deixe só” – que estourou nas pistas com remix de Ramilson Maia – e “Onde Ir” (que esteve na trilha da novela “Esperança”)

Essa Boneca Tem Manual Vanessa da Mata - Blog EuGordinha

O segundo disco, “Essa boneca tem manual” (Sony), foi lançado em 2004 e teve produção de Liminha, como quem também dividiu as composições. Além de suas próprias canções – como “Ai ai ai…”, ”Ainda bem” e “Não chore homem”, regravou “Eu sou Neguinha” (Caetano Veloso, versão que integrou a trilha da novela “A Lua me disse”) e “História de uma gata” (Chico Buarque, de “Saltimbancos”). Como “Ai ai ai..”, música nacional mais executada nas rádios em 2006, o álbum chegou a Disco de Platina.

Sim Vanessa da Mata - Blog EuGordinha

“Sim”, o terceiro disco, lançado em 2007, foi produzido por Mario Caldato e Kassin. O álbum foi gravado entre a Jamaica e o Brasil. Das 13 faixas, cinco tem a participação de Sly & Robbie, dois ícones da música jamaicana. “Sim” é definido, pelo seu título, como “uma resposta positiva à vida, uma resposta de luta”. E conta com participações de Bem Harper, João Donato, Wilson das Neves, Don Chacal e um time da nova geração da música brasileira,como o baterista Pupillo (Nação Zumbi) e os guitarristas Fernando Catatau (Cidadão Instigado), Pedro Sá e Davi Moraes, entre outros.

Em 2009 Vanessa lançou seu primeiro DVD e CD ao vivo, o “Multishow Ao Vivo – Vanessa da Mata”.

Gravado em Paraty e dirigido por Joana Mazzucchelli, o projeto registrou músicas de seus três trabalhos: “Sim”, “Essa Boneca tem manual” e “Vanessa da Mata”.

No palco, além de sua banda, Vanessa foi acompanhada pela dupla de jamaicanos Sly Dunbar (bateria) e Robbie Shakespeare (baixo).

Em 2010, Vanessa lança “Bicicletas, Bolos e Outras Alegrias”, seu quinto disco. Produzido por Kassin e mixado por Mario Caldato, o cd tem 12 faixas inéditas, uma parceria com Lokua Kanza (“Vá”) e outra com Gilberto Gil (“Quando Amanhecer”).

Vanessa recebe o prêmio de Melhor Cantora na categoria Pop/Rock/Reggae/HipHop/Funk no 22º Prêmio da Música Brasileira.

Fonte:http://www.vanessadamata.com.br/

Quem Quer Um Pote de Ouro Grátis

Diz a lenda que no final de um arco-íris há um pote de ouro. No caso abaixo eu acho que não é verdade. Mas ainda assim alguém se habilita?

Pote de Ouro - Arco-Íris - EuGordinha

Paixão com prazo de validade (reportagem)

Paixão EuGordinha

As grandes paixões transformam e fascinam. Tiram o sono, a fome. E são o assunto predileto de poetas, músicos e sonhadores.

Abel Silva Poeta e compositor EuGordinha

“Você dá tudo porque você quer tudo. E esse tudo nunca é suficiente”,

diz o poeta Abel Silva.

Frejat  EuGordinha

Frejat

“A paixão faz você ter atitudes e depois se surpreender – às vezes se arrepende. Em outras fica até orgulhoso”, conta o músico Frejat.

“Um dia, um cara estava tão apaixonado que encomendou 20 dúzias de rosas”, conta a florista Guiomar Teixeira.

“A paixão pega, abre os poros, é igual à droga”, compara a poeta Elisa Lucinda.

Talvez não seja por acaso que a paixão ative no cérebro justamente a região ligada aos vícios: fica bem no meio e é chamada de Sistema de Recompensa.

“Essa ativação do Sistema de Recompensa está associada a uma produção muito grande de feniletilanamina, um tipo de anfetamina que nos deixa eufóricos, excitados, nos sentindo bem. O resultado faz com que a gente queira sempre mais daquela pessoa. É mais ou menos como um vicio. Vários estudos já tentaram medir quanto tempo dura a paixão”, explica a neurocientista Suzana Herculano Houzel, da UFRJ.

O mais recente vem da Universidade de Pávia, na Itália. Pesquisadores analisaram 58 pessoas – algumas solteiras, outras em relacionamentos recentes e mais longos – e descobriram que os recém-apaixonados tinham no sangue uma elevada quantidade da proteína NGF, responsável pelo crescimento dos neurônios, as células nervosas do cérebro.

“Eles mostraram que no começo da paixão, o cérebro provavelmente produz quantidades maiores dessa proteína que faz bem e mantém os neurônios saudáveis”, ressalta a neurocientista.

A proteína NGF também é responsável pela euforia, pelo suor na palma das mãos – sintomas típicos da paixão. Os pesquisadores, então, descobriram que, depois de um ano de namoro, os níveis da tal proteína NGF haviam despencado em 39 das 58 pessoas analisadas. Conclusão dos cientistas: depois de um ano, menos euforia, menos suor, menos paixão.

Elisa Lucinda EuGordinha

Elisa Lucinda

“Isso é ótimo! Quem agüenta viver o tempo inteiro sob o reinado da paixão?”, questiona Elisa Lucinda.

“Acho que para cada ano de sensação inebriada de paixão absoluta, deve haver um período de três anos em que a pessoa não tolera a idéia”, analisa Lulu Santos.

“A paixão dá lugar a um amor, a um sentimento de proximidade”, diz a neurocientista Suzana Herculano.

Com tantas pesquisas, a ciência pode um dia descobrir como a paixão funciona. Mas será possível evitar seus rompantes e estragos?

“Se você não quer se associar a uma pessoa, não quiser se apaixonar, evite o sexo. O sexo ativa o Sistema de Recompensa e faz com que a gente comece a atribuir um valor muito grande à outra pessoa”, alerta Suzana.

“Só vale a pena porque, na realidade, é o que prolonga a sensação de viver”, resume Lulu Santos.

Fonte Reportagem no Fantástico

Panquecas ou Miojo, Eis a Questão?

Lembro de um tempo no qual toda menina tinha de saber cozinhar antes de casar e ir formar sua família. Hoje em dia a gente meio que tercerizou a cozinha e essas questões culinárias mas é sempre bom saber fazer. Conheço um rapaz que teve de aprender na marra tendo em vista que se a sua futura esposa não soubesse cozinhar ele não ficava limitado ao ovo frito e ao miojo todos os dias, kkkkk.

Tendo em vista isso, achei uma foto deliciosa. Estou pra copiar a mesma aqui em casa. Quem fez a delícia foi a Lívia, do blog IrmãsGG.

P.S.: Parabéns por ter conseguido despertar meu apetite por meio de uma foto… isso é raro pra mim.

Protegido: Sam

Este conteúdo está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:

Publicado em Reflexões | Digite sua senha para ver os comentários.

O Poder do Potencial

Seguindo a série, “Rir é o Melhor Remédio”, achei essa imagem que ao meu ver representa o poder do potencial humano. Estou sendo bastante irônico se ninguém percebeu ainda. KKKKKKK!

Menino bandeira EuGordinha Humor

Nossa Capacidade Real

‎”A sua única verdadeira limitação é aquela que você aceita e define em sua própria mente.” (Napoleon Hill)

Lembrando um pouco o que vimos no filme Matrix, quando o Neo tinha de aprender a dominar todo o “sistema” do mundo ao seu redor, para poder vencer seus inimigos exteriores, a frase acima de Napoleon Hill nos lembra que muito da limitação humana está erguida dentro de nós. Nosso potencial humano muitas vezes fica restrito aos medos que nos criaram e aos traumas que sofremos. Mas nossa capacidade real está acima dessas coisas todas. Que nós saibamos abrir espaço dentro de nós e conquistar o que for precisa pra vivermos nossa felicidade.

À Favor da Diversidade

Um filme que pode entrar tranquilamente na minha lista de preferidos é “Pequena Miss Sunshine”. É o tipo de filme que eu gosto porque foge do lugar comum, a todo instante estão acontecendo coisas que te fazem rir, chorar, pensar, enfim fazem o que a ARTE foi feita pra fazer affff nos fazer refletir sobre a realidade.

O filme conta a história de uma família em desajuste que se ajunta pra realizar o sonho da nossa pequena heroína Oliver. Ela quer ser miss… mas está bem fora do que o padrão estabelece pra uma miss. Acontece que eu duvido que você não assista ao filme e seja convencido de que ele é uma das menininhas mais linda que você já viu na vida!

Miss Sunshine Filme EuGordinha

Oliver no desfile de beleza

Posto aqui um de meus muitos trecho favoritos durante o filme. Algo que tem um tanto a ver com esse nosso espaço aqui no EuGordinha.

Cartaz do filme Miss Sushine
Título no Brasil: Pequna Miss Sunshine
Título original: Little Miss Sunshine
Lançamento: 2006 (EUA)
Direção: Jonathan Dayton, Valerie Faris
Elenco: Abigail Breslin, Greg Kinnear, Paul Dano, Alan Arkin.
Duração: 101 min
Gênero: Comédia

Atração Feminina

http://www.mulher30.com.br/ Cibele Santos

Gordinha ou magrinha, quem nunca ouviu um Fiu-fiu na vida? De algum modo, a gente acaba passando por isso. Seja de maneira sincera ou por ironia…

Essa tirinha é da Cibele Santos, artista gráfica de primeira linha. Uma de minhas preferidas, pelo menos desde que descobri acompanho suas tiradas geniais, muito engraçadas no seu site Mulher de 30.

Vanessa da Mata

Vanessa da Mata (Intérprete/Compositora – de peso mesmo sendo magrinha)

De um tempo pra cá tive a grata alegria de descobrir musicalmente mais de perto a Vanessa da Mata. Ouvindo seus ritmos suas letras, melodias, brincadeirinhas com a voz… puxa, amei a originalidade, a vontade e expressão de ser livre e o trazer pra fora todo o seu ser. Gente, porque não podemos ser a gente mesmo e ainda ser feliz com isso? A gente pode. Eu sei disso e a Vanessa me relembra essa verdade em cada canção que eu ouço.

Amei o “ai ai ai ai ai ai…” na apresentação da copa do mundo. Aquele vestido estava lindíssimo…

Don Juan de Marco (Filme)

Don Juan de Marco EuGordinha
Romantismo à perder de vista…

Quem não gosta de um filmezinho romântico de vez em quando? Pergunto às meninas, se bem que alguns rapazes também gostam de romantismo, quando entendem que suas namoradas ficam muito mais receptivas aos seus carinhos e afetos quando os mesmos acontecem recheados de um clima doce e gostoso.

Bem, puxando pela memória, lembrei de um filme de 1995 onde o ator Johnny Deep (lindíssimo segundo opinião de umas amigas minhas na época) faz o personagem de um jovem que diz ser Don Juan, e Marlon Brando, como o psiquiatra que tenta ajudar o jovem a sair de sua triste situação de paixonite aguda, mas ele mesmo é quem acaba sendo ajudado tomando um gosto maior pela vida.

Só pra relembrar ou despertar a curiosidade, deixei esse trecho do filme pra ver…

As Mulheres do topo da árvore (ilustração)

Vou postar uma ilustração a qual considero clássica entre as mulheres. É atribuida a Machado de Assis, mas eu não tenho como comprovar ainda:

Segue um vídeo com canção a qual aconselho que seja ouvida enquanto se lê o texto 🙂

As Melhores Mulheres pertencem aos homens mais atrevidos.

Mulheres são como maçãs em árvores.

As melhores estão no topo.
Os homens não querem alcançar essas boas,
porque eles têm medo de cair e se machucar.
Preferem pegar as maçãs podres que ficam no chão,
que não são boas como as do topo,
mas são fáceis de se conseguir.

Assim as maçãs no topo pensam que algo está errado com elas,
quando na verdade, ELES estão errados…

Elas têm que esperar um pouco para o homem certo chegar,
aquele que é valente o bastante para escalar até o topo da árvore.

(Supostamente escrito por Machado de Assis)

Descobertas (trecho)

Copiado do blog Romance

Ela se sentia meio como Alice entrando no País das Maravilhas, por um caminho estranho, onde a mistura de sensações a tornava uma mulher mais intensa e embora ainda fosse ela mesma, parecia ser uma outra pessoa.

Ao longo do dia ela sentia pelo corpo um torpor. Parecia a sensação de mar que fica em nosso corpo quando passamos muitas horas na praia, no vai e vem das ondas. Seu corpo indo pra lá e pra cá dentro de casa no meio dos afazeres domésticos, carregava aquela dança gostosa. Ela estava se sentindo muito bem por estar viva. E sabia bem os motivos.

Como não havia ninguém em casa ainda, teria tempo de ir mais uma vez se ver no espelho. Ultimamente esse era um exercício diário e até repetitivo. Pra quem não se gostava de olhar no espelho, agora ela se namorava constantemente. Ia ao espelho se ver e com freqüência ouvia de si mesma: Essa sou eu, sou eu de novo, sou eu tão nova, nem parece que sou eu, mas sou, uma novidade de mim vindo pra fora. Seu sorriso estampava no rosto variando em cores suaves e sutis como o arco-íris no céu, efeito do sol transpassando por gotículas de água todas juntas e soltas, em nuvens…

Aerava no ambiente a sua felicidade. Realmente punha uma cor meio que de rosa nas coisas ao redor. Até seus filhos já notavam a diferença na mãe. Havia um gosto bom nas coisas que ela fazia… não estou falando apenas da comida que vinha de dentro das panelas e do forno. Seu coração estava bem melhor aquecido que o forno e suas palavras alimentavam bem mais a cada bom dia que surgia de seus lábios.

Na verdade ela estava até mesmo pondo um brilho especial em seu lábios. Ensaiando frente ao espelho uns beijinhos de vem em quando, quando a coragem lhe permitia uma ousadia a mais… Como na noite anterior. Ela se permitiu tocar o que havia dentro de si, e descobriu mais um ponto suspeito. Ela suspeitava que ainda estava viva, sexualmente viva, após ter sido sepultada por anos de destrato – o que seria um destrato sexual? (continua…)

Eu Te Amo

“Não precisa dizer que me ama. Eu sei disso se for verdade mesmo… Vai transpirar em tua pele e eu vou pressentir nos ferômonios, assim como certos animais pressentem o medo ou a raiva. Se for verdade que você me ama eu vou saber mesmo que você não me diga, porque vou ver nos seus olhos um brilho furtivo e tua preocupação comigo vai me aplacar a necessidade que tenho de saber se está tudo bem comigo… teus olhos terão o brilho sincero de um espelho limpo sobre meu corpo e minha alma. Será tão simples o teu amor como uma sombra em dia quente e um gole d’água na sede. Prezo muito o teu silêncio, portanto me poupe de suas palavras. Continue me amando assim tão pulsantemente, eu vivendo o teu sangue correndo em mim por dentro. Não preciso pensar muito em ti, pra que dês sinal de vida. Pra mim isso vale mais do que qualquer eu te amo dito assim em qualquer idioma que seja. Seja você simplesmente e eu sei que na tua essência há uma amor por mim. Isso me basta.” (L. Ladislau)

Rir é o Melhor Remédio

Porco Sorrindo EuGordinha

Ria mesmo quando for difícil sorrir

Eu já sabia que rir é muito BOM faz tempo, desde que eu era criancinha. Mas houve um tempo que eu aprendi que teria de rir de propósito. Pra quê ficar chorando quando as coisas não deram certo? Podem dar certo depois… se eu fizer de outro modo, mudar a estratégia. Dizem sobre isso: “Se você continua fazendo a mesma coisa, como quer ter resultados diferentes?” Portanto, inove. Experimente ver a situação de aparente perda, ou fracasso como oportunidade de aprendizagem… até porque tem certas coisas ruins que nos acontecem pra que aprendamos a superar os obstáculos da vida. Se não aprendermos agora, vai ter de ser depois, ou depois, ou depois rsrsrs não tem pra onde fugir. Essa é uma realidade que tenho visto na minha e nas outras vidas ao redor.

Outro dia estava me perguntando porque que é quase automático soltar o riso quando vemos alguém caindo no chão. Pensei que talvez, uma hipótese, o nosso cérebro tenha aprendido que você rir de uma situação de dor (mas que não foi tão drástica assim), acaba mudando o clima de dor pra quem caiu no chão. Como quando o bebê está dando seus primeiros passos e tropeça e cai de bumbum no chão. Quando vai ameaçar o choro a gente o levanta e faz festinha, ai ele entende que a queda faz parte da aprendizagem e que ele pode nos acompanhar no riso, que afinal não morreu, que pode continuar com a vida e tal.

Portanto, rir é sempre o melhor remédio!

P.S.: Há quem faça do riso uma fuga da realidade.Há quem se refugie no riso pra evitar a dor. Dizem que na essência do palhaço há muita tragédia. Rir da dor alheia é bom apenas quando vemos que o outro não se feriu gravemente. Humor negro não é tão saudável, porque pode ofender profundamente aquele que sofre tal piada. Sarcasmo no senso de humor também não é muito saudável, não. Mas tem quem goste disso.