Pêra ou Maçã?

Corpo de Maçã e Corpo de Pêra Blog EuGordinha

É frequente dividir-se os obesos em duas categorias:

  1. Os indivíduos com uma distribuição da massa gorda de tipo andróide, frequentemente chamada forma de “maçã”, indicando que a maioria da sua gordura corporal é intra-abdominal e distribuída à volta do estômago e do tórax;
  2. E indivíduos com um distribuição da massa gorda de tipo ginóide, frequentemente designada por forma de “pêra”, indicando que a maioria da sua gordura corporal se encontra distribuída pelas ancas, coxas e nádegas.

Os homens têm uma maior probabilidade de terem a forma de “maçãs” enquanto as mulheres de terem uma forma de “peras”.

A forma de distribuição da gordura corporal pelo corpo afecta a saúde das pessoas com excesso de peso. Nos corpos em forma de maçã, a gordura não se localiza apenas entre a pele e os músculos, mas também dentro da cavidade abdominal causando uma compressão interna nos órgãos. Desta forma, as pessoas com esta distribuição de gordura corporal correm maiores riscos de virem a sofrer de doenças cardiovasculares e diabetes.

A relação da obesidade com a pressão alta é tão elevada que, segundo alguns estudos, estima-se que 70% dos pacientes obesos hipertensos, deixam de sê-lo ao emagrecerem.

Por outro lado, as pessoas com corpos em forma de pêra, localizada abaixo do abdómen, costumam sofrer de complicações vasculares e ortopédicas como varizes, dores nas pernas e edema. No entanto, esta distribuição não oferece tantos riscos como a distribuição em forma de maçã.

Embora, por ser uma característica herdada, não podemos alterar a forma da distribuição da gordura pelo corpo, podemos reduzir os riscos controlando o peso do nosso corpo.

Fonte:Nutridoc

Amores Líquidos

Amor Líquido Blog EuGordinha

amor frágil.. amor

Hoje está na moda você procurar alguém que combine com o seu perfil, ao invés de combinar coma sua pessoa de verdade. Suas características precisam ser bastante detalhadas e expostas de maneira bem clara e objetiva – tem de ser atraentes, pois senão, quem vai gostar de ti? As nossas verdades em algumas situações acabam sendo relegadas à segundo plano em nossa lista de prioridades, contanto que encontremos alguém que satisfaça nossas ansiedades – nem que seja momentaneamente. No fundo a gente sente que o outro, por mais que a gente o queira, está escorrendo por entre nossos dedos, e a não ser que seja alguém igualmente desesperado por outro alguém (e que esse alguém sejamos nós), nos sentimos tremendamente inseguros, carentes, necessitados…

Estou descrevendo só um pouco do que os especialistas chamam de modernidade líquida, amor líquido… algo que vê o romantismo como fora de moda, o relacionamento à longo prazo como uma prissão, a sinceridade como uma aparência que muda de cara de acordo com a clientela… vivemos em tempos difíceis, mas ainda há esperanças.