Amar é Aprendizagem

Amar é uma aprendizagem difícil. Embora tenhamos nascido para o amor, amar não é instantâneo. É como aprender a andar, a gente vai de passo em passo. Alguns caem tremendamente e dói tanto que nem dá mais vontade de continuar andando. Ai ficamos prostrados num canto, à espera de algum milagre que não vem. A gente precisa aprender a amar, amar a quem de direito, o Eterno, a nós mesmos e aos outros. É um processo, uma sequência de etapas quais não acontecem automaticamente… sei que estou teorizando um pouco as coisas por aqui Na verdade é mais simples do que parece… é como aprender a distinguir os sabores, mas no caso distinguir os saberes: Entre o amargo e o doce, o doce e o salgado, o azedo, quais combinações eu gosto mais?

“Quem está satisfeito despreza o mel, mas para quem tem fome até o amargo é doce.” 
Provérbios 27:7

É preciso descobrir o que é o amor e depois como podemos amar. É preciso descobrirmos o amor por nós mesmo, porque mesmo que não haja ninguém por perto de nós, temos a nós mesmos, e se não nos amarmos primeiro, como receber o amor do outro sem ser extremamente dependente dele? A se de aprender a amar com liberdade…

Declarar que ama…

Dizer eu te amo é coisa séria

Uns 20, 30 anos atrás, em geral nem os pais costumavam declarar com todas as letras o quanto amavam seus filhos. Amavam, sim. E muito! Mas não diziam. Apenas demonstravam, na maioria das vezes! Entre os casais, então, o tão esperado eu te amo costumava ser dito e repetido somente na fase da paixão, e olhe lá, com digamos, excessiva cautela.

Olhar nos olhos de alguém e dizer eu te amo costumava equivaler como selar um compromisso. A pessoa teria que, de fato, tornar-se responsável por quem cativou, como imortalizou Saint Exupery em seu maravilhoso livro O Pequeno Príncipe.

Mas como sabemos, as gerações se complementam, a cultura é dinâmica e os tempos mudam. Hoje, essa declaração chega a ser quase como um cumprimento diário, em muitos casos. Os adolescentes, então, esfuziantes que são, não se cansam de se declarar aos amigos, ficantes e namorados todo o amor que têm pra dar!

Há quem considere essa prática um abuso, sem sentido e sem consistência. Banalizaram os sentimentos, justificam-se os mais críticos e reservados. Em alguns casos, pode até ser, mas não apostaria nesta conclusão assim, tão precipitadamente.

Claro que tem gente que fala sem sequer imaginar como é que se sente e, principalmente, como é que se pratica o amor de verdade. Essas pessoas, sim, certamente estão desconsiderando a profundidade e responsabilidade que o amor pede. E quando é assim, concordo: é preciso um tantinho de pudor com o amor, porque é coisa séria!

Por outro lado, embora seja coisa séria, também acredito que deva ser coisa leve, gostosa, espontânea, fluida. E sendo assim, talvez não precisemos resistir tanto às declarações, embora devamos, sim e sempre, fazê-las de modo sincero e consciente, sabendo o que estamos dizendo.

Resumindo: é possível amar muito mesmo! E que bom que seja assim. Mas vale lembrar que uma declaração, quando feita em alto e bom som, toca o outro e gera nele uma expectativa (ou várias). O modo como você diz eu te amo pode ser compreendido de diversas formas, dependendo de quem ouve.

Portanto, mais do que ficar julgando a quantidade de vezes que as pessoas têm declarado seu amor, penso que o importante é sugerir uma reflexão: além das palavras, de que forma temos demonstrado amor? Temos sido pacientes e tolerantes com nossos amados? Temos ouvido o que eles dizem e nos interessado pelo que eles sentem? Temos nos disponibilizado para fazê-los felizes?

Imperfeitos que somos, certamente cometeremos erros, mesmo amando. Mas se nos tornarmos e nos mantivermos atentos agora, hoje, e durante o maior tempo que conseguirmos, talvez consigamos compreender que dizer eu te amo é como colocar um lindo laço sobre um presente. Muito bom! Mas o presente sempre é o que somos. E somos, fundamentalmente, o que fazemos, muito mais do que o que falamos. Tal qual, sabiamente, escreveu Ralph Waldo Emerson: O que você faz fala tão alto que não consigo escutar o que você diz.

Dra. Rosana Braga
Consultora

Fonte:

O Que é O Amor – Reflexões Sobre o Amor

Depois do convite para participar do blog fiquei a pensar qual seria minha contribuição..

Então remexendo em uns e-mails senti vontade de compartilhar alguns pensamentos meus de quando me foi proposta certa definição sobre o que o amor representava para tal pessoa..

Amar é uma Decisão?

Fiquei a pensar nessa tal definição sobre o amor (a de que escolhemos a quem amar.. e amamos. simples assim) e escrevi meus pensamentos..

Como limitar o amor a nossa vontade? Acho meio sem nexo.

E você já refletiu o que vem a ser amor? (estou eu aqui a pensar) amor/amar não é fácil não.. É renuncia.. É perdão.. É não passar muito tempo chateado.. É enxergar mais qualidade.. É quando os defeitos não sobrepõe as virtudes.

Olhando nesse ângulo se torna bem difícil amar não é?

Muitas vezes não toleramos nem a nós mesmo..

Será que nos amamos de verdade?

Como posso amar a outros se nem sei o que é me amar? Como vou dizer a outra pessoa a forma que gosto de ser amado? Será que usamos nosso tempo como de fato desejamos?

Será que nossas escolhas são sempre Bem fundadas?

Será que entendemos a nossa vida pra depois entender elementos dela?

Como por exemplo, o amor? Agora penso na paixão aquela coisa que os poetas chamam de avassaladora… Que nos deixa sem chão… Que nos leva a loucura… Que em muitas das vezes nos dá sensação de leveza.. Que coisa tão boa é sentir essa tal de paixão!!

Mas o melhor mesmo é nos deixarmos envolver por ela não é?

Experimentar dessa loucura, dessa falta do pensar quando se esta apaixonada.. E quando ela vai embora?

Deixando-nos no meio do caminho?

Avassaladora como é, deixa tudo revolto. “E agora José?” o que fazer para reconstruir?

O jeito é sentar e esperar o tempo passar.. Para ir levando consigo algumas coisas.. Para que o trabalho não seja tão pesado.. Como somos egoístas..

Depois de um tempo vivendo com uma pessoa dizer que na verdade nunca gostou dela de fato.. Como machuca isso..

Quando falo gostar não me refiro a esse gostar limitado que estás a pensar ai agora..

É aquele das juras de viver o resto da vida juntos.. Dos planos..

Como conseguir sustentar essas “juras” se com o passar do tempo vamos descobrindo a pessoa que escolhemos?

Como reconhecer que o único errado da história foi eu? Pois a escolha foi minha!

Su Regina
Su Regina

Encima do Muro

Encima do Muro

Você diz que eu não te amo inteiro
que fico jogando migalhas
diz que eu sempre fico encima do muro,
mas pra quê descer daqui
se teu terreno é inseguro?

Não quero morrer na areia movediça
sabendo que não há um príncipe que me salve.

Conjugar Verbos Online

Oi gente, desculpem o sumiço, [muitos problemas 😦 na vida offline] . Mas achei uma ótima ferramenta online de conjugação de verbos em Língua Portuguesa, para aqueles momentos nos quais escrevendo um texto pinta a dúvida se é assim ou assado que se diz uma tal palavra.

Faz um tempinho comentei com vocês de um site que ajuda a conjugar verbos em Italiano. Agora achei ess muito bom e simples.

Clique na imagem pra acessar o site

Aproveitem!!!

Conversor de Áudios Online

Passando por um perrengue (Situação muito difícil), meu notebook está dando muitos probleminhas por conta do sistema operacional e por conta de um planejamento financeiro meio defeituoso, estou me vendo obrigado a esperar um pouco pra dar uma atualizada na minha máquina. Por conta disso estou fazendo uso do Ubuntu (Sistema Operacional Linux, GRATUITO – é só baixar na internet e usar, – OpenSource [código aberto, quem entende de programação de computadores faz a festa personalizando muitas coisas], LINDO – não deixa em nada devendo às aparências de um MAC OS ou um Windows 7 e etc da vida…) mas como não instalei o sistema do Ubuntu na minha máquina (estou usando a partir do cd de instalação como se fosse apenas um teste, “estou experimentando”…), não tenho como instalar os plugins que me dão condições de ouvir arquivos de áudio mp3. Quando você não apenas “experimenta” o Ubuntu no seu computador a apartir do cd, mas faz a instalação completa, ai você pode sair instalando de tudo que quiser que tem disponível e de maneira gratuita (inclusive, pode instalar o Ubuntu mesmo usando o Windows, quando iniciar a máquina é que vai decidir em qual sistema operacional vai usar – em outra postagem falo melhor sobre isso). O fato é que pensei na possibilidade de haver um site onde eu pudesse fazer a conversar dos meus arquivos .mp3 para .ogg que é um formato de audio suprtado pelo Ubuntu. Qual não foi a minha surpressa quando achei o media.io – ainda não entendi muito bem ao que se propõe o site além de converter gratuitamente os áudios que temos, mas ele é super simples de usar. Intuitivo, o site está em inglês, mas logo de cara dá pra entender onde clicar pra poder escolher seu arquivo, enviar, escolher o formato de áudio o qual deseja, e depois baixar. Algo chato é que só dá pra converter um arquivo por vez. Tentei abrir várias abas pra converter vários áudios, mas como a minha conexão com a net estava oscilando, dois arquivos ficaram incompletos e depois travaram a minha tentativa de conversão novamente. Fora isso, se você não for fominha… kkkkk, vai conseguir um bom resultado.

Artigo Relacionado

Trecho de Romance Quase Inventado

(Ouvi em meio aos corredores…)

– Menino, o que estás fazendo comigo?
Enquanto te amo percebo estar feito boba
sorrindo sem parar,
meu sorriso traz uma mistura de prazer,
felicidade e espanto…

– Menina, não és só tu que carrega no rosto
um sorriso em quadro estampado,
Monalisa ficaria com uma inveja de mil cores,
Leonardo da Vinci teria de reinventá-la,
pra fazer uma mistura de nosso riso em festa.

Bolo Gostoso – Bandeja de Coco

Bolo de Coco

Uhhhh! Gente, eu quase não falo de comida por aqui, coisas gostosas… Mas hoje não resisti a pegar e copiar a dica de receita culinária da Grazi Matte, do blog Manequim Plus. Até porque tem coco, e eu amo receitas que usam coco, sejam doces ou salgadas (com preferência às doçuras). Grazi foi muito criativa e prática, postando um video onde ensina a receita… praticidade que me incentivou a compartihar por aqui. Aproveitem, ou melhor, deliciem-se:

P.S.: Su, vai a dica pra ti, que tem se entretido na cozinha. Beijos!

Case-se Comigo…

Case-se comigo

Vanessa da Mata

Case-se comigo
Antes que amanheça
Antes que não pareça tão bom pedido
Antes que eu padeça
Case comigo
Quero dizer pra sempre
Que eu te mereço
Que eu me pareço
Com o seu estilo
E existe um forte pressentimento dizendo
Que eu sem você é como você sem mim
Antes que amanheça, que seja sem fim
Antes que eu acorde e seja um pouco mais assim
Meu príncipe, meu hóspede, meu homem, meu marido
Meu príncipe, meu hóspede, meu marido

Case-se comigo
Antes que amanheça
Antes que não me pareça tão bom partido
Case-se comigo
Antes que eu padeça
Case comigo
Eu quero dizer pra sempre
Que eu te mereço
Que eu me pareço
Com o seu estilo
E existe um forte pressentimento dizendo
Que eu sem você é como você sem mim
Antes que amanheça, que seja sem fim
Antes que eu acorde e seja um pouco mais assim

Meu príncipe, meu hóspede, meu homem, meu marido
Meu príncipe, meu hóspede, meu marido

Seja meu príncipe, meu hóspede, meu homem, meu marido
Meu príncipe, meu hóspede, meu marido

Troca de Olhares

Ontem eu estava no ônibus, quando vi uma menina bem gordinha assim como eu, só que ela estava com uma roupa horrorosa, isso é, segundo o meu ponto de vista feminino. Uma calça pescador de elanca azul marinho, uma camiseta azul marinho, um tênis preto uma mochila horrorosa, o cabelo todo sei lá, oleoso, e um olhar transpassado de tristeza. Ela não transparecia nem a beleza da alegria ou do bem cuidar. Não digo nem das roupas caras, de grife, ou coisa assim. A menina estava tristemente desarranjada…

Mas ela não era criança. Devia ter uns 26 anos com aparência de 40. Ela sentou na mesma direção que eu. Percebi que ela me olhava. Eu vestia um tomara que caia estampado florido nos detalhes, bermuda jeans bem confortável, uns chinelinhos dourados… maquiagem leve, cabelos soltos, essas coisas que eu adoro… estava na praia com meus familiares, me divertindo um pouco, aproveitando o final de semana.

 Percebi que ela ficava me olhando e eu observando ela… Havia um confronto saudável, ao mesmo tempo de admiração e questionamento. Isso é o que eu sentia… E fiquei pensando: O que leva a pessoa a ficar assim tão descrente de si mesma a ponto de não se arrumar, não se perfumar, nada que fosse atrativo? Me parecia que ela parecia vestir uma fantasia de cinderela às avessas, quase bruxinha, ao invés da princesa que era. Que história de vida aquela menina deve ter experimentado, pra decidir se tratar tão mal?

 Havia ali só tristeza, sabe? Pensei que era uma forma de rebelar-se contra si mesma por ser assim gorda.

 Ai aconteceu que um rapaz que subiu no ônibus ficou olhando pra mim… e nem percebeu ela… Não chegou a ser um olhar de cobiça desvairada, desejo doido e desrespeitoso. Apenas aquele toque de olhar no qual você percebe o interesse genuíno do homem em querer que você seja dele.

Qual a leitura que eu fiz? Os homens também gostam de gordinhas… Mas é preciso estar bonita independente de como você seja. Só que pra chegar nesse ponto de gostar-se, de entrar em paz consigo mesma… é uma jornada difícil… demais… solitária demais… quando não, tem uma ou outra pessoa que nos apóia, incentiva, motiva…

 Aprender a gostar de si mesmo não sendo o que as pessoas esperam que você seja é muito difícil. Mas é extremamente possível. Temos casos em andamento e espero estar a caminho.

“Posso não estar onde eu quero mas estou à caminho.”

(atribuído a Joyce Meyer)

Texto composto com a ajuda de Deny.

Romantismo & Realidades

Porque será que quando estamos apaixonados, nossos olhos brilham? Achei lindo o que eu compartilho abaixo. Se os homens aprenderem um pouco mais… mal sabem eles o que será de suas vidas!

Ela: Posso te confessar uma coisa?
Ele: Lógico!
Ela: O seu sorriso é o mais lindo e sincero do mundo.
Ele: Posso eu te confessar uma coisa agora?
Ela: Pode!
Ele: Esse sorriso só existe quando eu olho pra você.

Onde estão as Rainhas desse Mundo?

Achei uma frase boa no Facebook, falando sobre princesas e rainhas. Algo que pode parecer um tanto utópico se pararmos pra olhar apenas o lado negativo do mundo. Mas focando nos pequenos exemplos, os casos de sucesso, há de se querer mais rainhas por ai, pelo mundo afora. Eu acho que tem poucas mulheres sendo tratadas como rainhas, logo elas não conseguem ensinar seus filhos como fazer pra amar uma mulher da maneira mais adequada. Na escola não se ensina esse tipo de coisas, apenas algumas professoras heroínas, as que erguem a voz em meio as ondas contrárias… Chega me dar saudades dos tempos de antigamente, onde as boas maneiras não eram clichê de filme romântico. Dá vontade de inventar um mundinho à parte, onde as delicadezas sejam só nossas e dane-se a maldade que há no mundo… mas até esse dane-se de rebeldia seria um estar de acordo com tudo o mais que está errado. Melhor mesmo é  não ser tão saudosista e incentivar que surjam mais rainhas entre as mães ao meu alcance. Portanto, mamãe de plantão, leitoras, amigas, cuidem de seus pequenos grandes homens de daqui a pouco. Cuidem também de suas princesas, lhes passando não a fórmula do homem perfeito, o príncipe encantado das histórias de contos de fadas, mas do homem real, que por seus sinais vão demonstrar o que fazer de bom com uma menina, mulher, amada… Não quero nunca ser utópica, porque isso me faz pensar em irrealismo, mas cultivo uma realidade que nos transforme mesmo que aos poucos, por mais contraditória que seja em relação à maioria mas mentalidades vigentes.

P.S.: Post dedicado à amiga Sarah Magalhães. Beijos.

Como Mudar o Mundo? [O Que Cabe na Realidade]

Copiei e colei de um blog, o Sustentabilidade Aiesec:

The Buddha statue at Mihintale.

The Buddha at Mihintale, Sri Lanka Imagem via Wikipedia

Sei que todo tipo de consideração prática torna este conselho difícil de ser seguido. Podem existir empréstimos a serem pagos, a necessidade de pedir a opinião de amigos e da família e também o desejo de elaborar um sério plano de trabalho. Não estou dizendo que não deva fazer essas coisas – só que não deve perder muito tempo com elas, ou perderá o momento.

O risco é maior porque muita gente vai tentar convencê-lo a desistir de seu sonho, argumentando que isto ou aquilo pode não dar certo. Poucos são capazes de torcer por você dizendo: “Pode contar comigo”. Quanto mais tempo você gasta olhando para o umbigo, mais tempo dá para que essas forças gravitacionais negativas o mantenham aprisionado.

Como exemplo, eu citaria nosso trabalho no Sri Lanka. Convoquei a junta de diretores para uma reunião de emergência ao telefone. Estávamos todos unidos no desejo de ajudar as vítimas do tsunami, mas ainda com medo de mergulhar em algo tão novo. Depois de argumentar a favor de iniciar as operações da Room to Read no Sri Lanka, houve um coro tentando me convencer de que não poderíamos fazer isso:

“Não temos nenhuma equipe lá”
“A Room to Read não está autorizada a trabalhar no Sri Lanka”
“Já estamos ocupados demais com os nosso cinco países”

E depois da argumentação de que “se quiséssemos tomar esta decisão, teríamos que fazer um estudo de três meses da situação para então decidir”, a cartada final de um dos voluntários fez com que eu aplaudisse silenciosamente: 
“Jenny, com todo o devido respeito, se em 1998 John tivesse decidido fazer um estudo de três meses da situação do Nepal, provavelmente jamais teria fundado a Room to Read. O estudo revelaria tantos e tão terríveis obstáculos que ele teria ficado pessimista e nenhuma das grandes realizações dos últimos seis anos teria acontecido. Acho que devemos ir em frente, conscientes, é claro, de que encontraremos obstáculos, mas confiando que nossa equipe saberá superá-los.”
Se você quer fazer alguma coisa pra transformar o mundo num lugar melhor, não se concentre nos obstáculos. Não peça autorização. Mergulhe de cabeça.
O texto que você leu foi escrito por John Wood, fundador do Room to Read e autor do livro Sai da Microsoft para mudar o mundo”. Aos 35 anos de idade, John decidiu abandonar sua carreira para trabalhar exclusivamente com o Room to Read, ajudando crianças ao redor do mundo. Mesmo com todas as dificuldades, ele insistiu nesse sonho e hoje John tem seu trabalho reconhecido. Pessoas como ele fazem a diferença, é só querer.
Pare de falar e tome uma atitude! O primeiro passo é sempre mais complicado, mas fica tudo mais fácil depois!
 Quer saber mais? acesse o link! http://www.roomtoread.org/

Fonte: Sai da Microsoft para Mudar o Mundo – John Wood

Você Mudar o Mundo? Você também PODE!!!

Indicação de leitura da melhor qualidade, daquele tipo que te faz repensar a vida, dar um tapa na preguiça e começar a ver o que te incomoda no mundo com outros olhos. Afinal de contas, você já percebeu que tem uma porção de coisas quais você não precisa apenas reclamar sobre elas mas pode ir lá e mudar a situação?

Segue abaixo o texto da editora aqui no Brasil:

“A história de John é uma fascinante narrativa da transformação de um executivo predador em um empreendedor responsável por oferecer o incrível dom de ler e escrever a milhões de crianças de todo o mundo.” – Marc Andreessen, co-fundador da Netscape

Insatisfeito com o trabalho de alto executivo na Microsoft, o americano John Wood decidiu fazer um trekking pelo Nepal na esperança de que, ao subir bem alto no Himalaia, deixaria de ouvir o chefe gritando em seu ouvido.

Deu certo. A viagem não apenas funcionou como um antídoto contra a exaustiva rotina de trabalho, como o fez descobrir a paixão e o objetivo maior de sua vida: ajudar crianças carentes a aprender a ler e escrever.

Saí da Microsoft para mudar o mundo é ao mesmo tempo uma história de transformação pessoal e o relato de um empreendedor social que colocou sua experiência corporativa a serviço de uma causa nobre – mudar o mundo pela força da educação –, criando a Room to Read, uma ONG com a “eficiência da GE e a compaixão de Madre Teresa”.

Wood não esconde que sua inspiração veio de Bill Gates e de Steve Ballmer, a dupla que comanda a Microsoft. Princípios como foco nos resultados, profundo conhecimento dos números, respeito às idéias dos outros, relação de lealdade com a equipe e, acima de tudo, paixão pelo negócio foram tirados do dia-a-dia competitivo da grande corporação e aplicados no combate ao analfabetismo e na promoção da inclusão social.

Com base nesses princípios, em apenas sete anos a Room to Read construiu 287 escolas, 3.600 bibliotecas e 110 oficinas de informática, distribuindo mais de 2,8 milhões de livros e oferecendo 2.336 bolsas de estudo para meninas carentes. No total, mais de 1,2 milhão de crianças de sete países (Nepal, Vietnã, Camboja, Índia, Sri Lanka, Laos e África do Sul) foram beneficiadas. Esses números demonstram a capacidade de Wood de transformar sonhos em realidade.

****

“Não há nada que assuste tanto um homem quanto ser capaz de descobrir a enormidade do que ele pode fazer e se tornar.” – Soren Kierkegaard

Saí da Microsoft para mudar o mundo é uma crônica de viagem com pitadas de saga de negócios e de drama humano. Nela o autor conta sua trajetória, seus desafios pessoais e profissionais – primeiro como executivo de tecnologia e, depois, como empreendedor que aposta na educação para melhorar o mundo.

John Wood estava em ascensão na Microsoft quando um trekking pelo Himalaia o levou a descobrir que o objetivo de sua vida era “devolver” ao mundo o tanto que havia recebido.

Dividido entre o sucesso profissional e financeiro e o desejo de ajudar os outros, o autor ficou sensibilizado com a visita que fez a uma escola no Nepal cuja biblioteca tinha apenas alguns exemplares deixados para trás por mochileiros como ele.

Ao se oferecer para fazer algumas doações, sua idéia foi recebida com ceticismo pelos professores locais. Afinal de contas, por que um alto executivo da maior empresa de tecnologia do mundo perderia tempo juntando livros usados para equipar uma escola em um país do Terceiro Mundo? Mas John cumpriu sua promessa e voltou com uma tropa de iaques carregados de livros.

Foi naquele momento, ao perceber a importância daquele pequeno gesto de solidariedade, que ele tomou a decisão de abandonar a Microsoft e criar a Room to Read, uma ONG que tem por objetivo construir escolas, bibliotecas e centros de informática e fornecer bolsas de estudo de longo prazo a meninas carentes.

Fonte:Editora Sextante

Ciúmes

É dolorido pensar que podemos perder alguém ou algo que temos – serve tanto pra pessoas como pra coisas, assim é o ciúme. O ciúme é o resultado de nossas fragilidades, medos, temores antigos. por tanto já ter perdido uma porção de coisas e pessoas. O ciúme faz parte do nosso sentimento de POSSE, que querer ser dono de alguma coisa – antes precisamos aprender a ser donos de nós mesmos, e não depender que nossa alegria venha exclusivamente dos outros… se o outro não me fizer feliz, o que será de mim? Eu sou! Independendo do outro me fazer feliz ou não. Portanto, basta de ciúmes. Eu sei que aquilo que é meu é meu e pronto. Eu sei que quem tiver de me amar, vai me amar e pronto. ão vou correr atrás de ninguém mais, que o verdadeiro amor atraia quem de direito pra estar perto de mim. E se esse alguém for tão bom assim, que vá de quando em quando ser útil na vida de outros, dos quais não terei ciúmes. Eu sei que falar assim, é fácil, difícil é viver isso no dia a dia. Mas não é nada que um bom treinamento emocional dê jeito.

Amor Engaiolado

Clique na imagem pra fazer download

” …Nós devemos amar as pessoas e controlar a nós mesmos. Mas o que fazemos é justamente o contrário. Amamos a nós mesmos e controlamos as pessoas…” (Joyce Meyer)

Porque é que ao amarmos as pessoas nos sentimos no direito de controlar suas vidas, fazendo delas nossos escravos emocionais, dependentes de nós, nossos servos amáveis, obrigados a nos satisfazer os desejos do coração?

Durante muito tempo vivi relações de amor assim. Eu era cega e nem percebia. Hoje em dia não vejo que isso seja saudável. Frase de amigo meu que eu amo: “Quem ama deixa a gaiola aberta” (Leonardo Ladislau). Contrariando um pouco a letra de Caetano Veloso em Sozinho: “…Por que você me deixa tão solto? / Por que você não cola em mim? / Tô me sentindo muito sozinho / Não sou nem quero ser o seu dono / É que um carinho às vezes cai bem“, não quero questionar a desatenção de alguns amantes, mas sim a exigência daqueles que ao serem amados querem se fazer nossos donos. Realmente há necessidade de se armar uma gaiola onde se possa prender o outro para que não o percamos de nossas vidas? Amar pode ser: viver e deixar viver, contribuindo pra que a vida em ambos, o que ama e o que á amado, seja multiplicadamente vivida.

Pra Quem Estuda Idiomas

A 4x4 segment panorama of the Coliseum at dusk...

Coliseu de Roma, imagem via Wikipedia

Hummm… que delícia! Tal como comer pra mim é um dos maiores prazeres da vida, falar, me expressar, abrir o verbo (ou melhor, conjugar o verbo), também é muito delicioso. Ainda mais quando se está aprendendo outro idioma. Além do já obrigatório Inglês que temos de aprender, outro idioma de sua preferência seria muito bom em caber na sua língua – não apenas pra ficar bonito no currículo na hora da conquista de uma vaga de trabalho, mas pra seu crescimento pessoal mesmo. Fiquei muito feliz noutro dia quando estava numa livraria vendo as novidades emeus olhos passearam pela fileira dos livro nacionais e foram aos estrangeiros, lendo sem dificuldades os títulos em francês e eu nem tinha me dado conta da tradução automática que meu cérebro estava fazendo com o pouco que eu sei desse idioma delicioso… só fui perceber quando dei de cara com títulos em Japonês! :$ arrgh! (ainda não sei quase nada, embora ame os Mangas e Animes Japoneses! rsrs). Quem aprende outro idioma abre as portas para ir ao mundo e conquistar seus sonhos. E a liberdade é um dos maiores dons da vida. Portanto, se esforce e aprenda mais um idioma. Seja mais livre.

Para uma ajudinha extra nesse sentido, achei um site MARAVILHOSO pra quem sente dificuldades na hora de conjugar alguns verbos ITALIANOS

Clique na imagem para acessar o site

No Verbos Italianos, você tem a possibilidade de pesquisar pelo verbo em italiano e ele mostra todas as conjugações possíveis em todos os tempos. Muito Lindo! Bem pra quem curte, aproveite. Se vocês encontrarem outros sites do gênero, deixem a dica nos comentários.

Nova Aparência no Gmail

Google Logo officially released on May 2010

Image via Wikipedia

Gente de vem em quando uso a minha conta no Gmail pra enviar e receber coisas de alguns contatos, mas fazia um tempo que eu não mexia nela. Qual não foi o tamanho da minha surpresa quando abri e encontrei um aviso de nova aparência ou velha… ??? Cliquei e aceitei a nova. Pra quem curte Gmail, achei um video no Youtube e estou postando, nela a Google explica as novidades.