Case-se Comigo…

Case-se comigo

Vanessa da Mata

Case-se comigo
Antes que amanheça
Antes que não pareça tão bom pedido
Antes que eu padeça
Case comigo
Quero dizer pra sempre
Que eu te mereço
Que eu me pareço
Com o seu estilo
E existe um forte pressentimento dizendo
Que eu sem você é como você sem mim
Antes que amanheça, que seja sem fim
Antes que eu acorde e seja um pouco mais assim
Meu príncipe, meu hóspede, meu homem, meu marido
Meu príncipe, meu hóspede, meu marido

Case-se comigo
Antes que amanheça
Antes que não me pareça tão bom partido
Case-se comigo
Antes que eu padeça
Case comigo
Eu quero dizer pra sempre
Que eu te mereço
Que eu me pareço
Com o seu estilo
E existe um forte pressentimento dizendo
Que eu sem você é como você sem mim
Antes que amanheça, que seja sem fim
Antes que eu acorde e seja um pouco mais assim

Meu príncipe, meu hóspede, meu homem, meu marido
Meu príncipe, meu hóspede, meu marido

Seja meu príncipe, meu hóspede, meu homem, meu marido
Meu príncipe, meu hóspede, meu marido

Troca de Olhares

Ontem eu estava no ônibus, quando vi uma menina bem gordinha assim como eu, só que ela estava com uma roupa horrorosa, isso é, segundo o meu ponto de vista feminino. Uma calça pescador de elanca azul marinho, uma camiseta azul marinho, um tênis preto uma mochila horrorosa, o cabelo todo sei lá, oleoso, e um olhar transpassado de tristeza. Ela não transparecia nem a beleza da alegria ou do bem cuidar. Não digo nem das roupas caras, de grife, ou coisa assim. A menina estava tristemente desarranjada…

Mas ela não era criança. Devia ter uns 26 anos com aparência de 40. Ela sentou na mesma direção que eu. Percebi que ela me olhava. Eu vestia um tomara que caia estampado florido nos detalhes, bermuda jeans bem confortável, uns chinelinhos dourados… maquiagem leve, cabelos soltos, essas coisas que eu adoro… estava na praia com meus familiares, me divertindo um pouco, aproveitando o final de semana.

 Percebi que ela ficava me olhando e eu observando ela… Havia um confronto saudável, ao mesmo tempo de admiração e questionamento. Isso é o que eu sentia… E fiquei pensando: O que leva a pessoa a ficar assim tão descrente de si mesma a ponto de não se arrumar, não se perfumar, nada que fosse atrativo? Me parecia que ela parecia vestir uma fantasia de cinderela às avessas, quase bruxinha, ao invés da princesa que era. Que história de vida aquela menina deve ter experimentado, pra decidir se tratar tão mal?

 Havia ali só tristeza, sabe? Pensei que era uma forma de rebelar-se contra si mesma por ser assim gorda.

 Ai aconteceu que um rapaz que subiu no ônibus ficou olhando pra mim… e nem percebeu ela… Não chegou a ser um olhar de cobiça desvairada, desejo doido e desrespeitoso. Apenas aquele toque de olhar no qual você percebe o interesse genuíno do homem em querer que você seja dele.

Qual a leitura que eu fiz? Os homens também gostam de gordinhas… Mas é preciso estar bonita independente de como você seja. Só que pra chegar nesse ponto de gostar-se, de entrar em paz consigo mesma… é uma jornada difícil… demais… solitária demais… quando não, tem uma ou outra pessoa que nos apóia, incentiva, motiva…

 Aprender a gostar de si mesmo não sendo o que as pessoas esperam que você seja é muito difícil. Mas é extremamente possível. Temos casos em andamento e espero estar a caminho.

“Posso não estar onde eu quero mas estou à caminho.”

(atribuído a Joyce Meyer)

Texto composto com a ajuda de Deny.

Romantismo & Realidades

Porque será que quando estamos apaixonados, nossos olhos brilham? Achei lindo o que eu compartilho abaixo. Se os homens aprenderem um pouco mais… mal sabem eles o que será de suas vidas!

Ela: Posso te confessar uma coisa?
Ele: Lógico!
Ela: O seu sorriso é o mais lindo e sincero do mundo.
Ele: Posso eu te confessar uma coisa agora?
Ela: Pode!
Ele: Esse sorriso só existe quando eu olho pra você.

Onde estão as Rainhas desse Mundo?

Achei uma frase boa no Facebook, falando sobre princesas e rainhas. Algo que pode parecer um tanto utópico se pararmos pra olhar apenas o lado negativo do mundo. Mas focando nos pequenos exemplos, os casos de sucesso, há de se querer mais rainhas por ai, pelo mundo afora. Eu acho que tem poucas mulheres sendo tratadas como rainhas, logo elas não conseguem ensinar seus filhos como fazer pra amar uma mulher da maneira mais adequada. Na escola não se ensina esse tipo de coisas, apenas algumas professoras heroínas, as que erguem a voz em meio as ondas contrárias… Chega me dar saudades dos tempos de antigamente, onde as boas maneiras não eram clichê de filme romântico. Dá vontade de inventar um mundinho à parte, onde as delicadezas sejam só nossas e dane-se a maldade que há no mundo… mas até esse dane-se de rebeldia seria um estar de acordo com tudo o mais que está errado. Melhor mesmo é  não ser tão saudosista e incentivar que surjam mais rainhas entre as mães ao meu alcance. Portanto, mamãe de plantão, leitoras, amigas, cuidem de seus pequenos grandes homens de daqui a pouco. Cuidem também de suas princesas, lhes passando não a fórmula do homem perfeito, o príncipe encantado das histórias de contos de fadas, mas do homem real, que por seus sinais vão demonstrar o que fazer de bom com uma menina, mulher, amada… Não quero nunca ser utópica, porque isso me faz pensar em irrealismo, mas cultivo uma realidade que nos transforme mesmo que aos poucos, por mais contraditória que seja em relação à maioria mas mentalidades vigentes.

P.S.: Post dedicado à amiga Sarah Magalhães. Beijos.