Cuide-se

“Do que adianta termos um bom corpo,

se não temos cabeça para cuidar dele?“

(Duarte Granja)

Fofoca – Ilustração interessante

Você já foi vítima de fofoca? Já fez fofoca? Pense sobre os efeitos de umas palavrinhas soltas. É tão simples não tem algum assunto interessante pra dizer a não ser… a vida alheia. Ouvi algo que me marcou tremendamente:

“Pessoas inteligentes falam de ideias; pessoas comuns falam de coisas e pessoas medíocres falam de outras pessoas” (ditado popular)

Uma mulher espalhou uma fofoca sobre uma certa pessoa que ela não conhecia bem, mas a invejava. Alguns dias depois, o bairro inteiro sabia a história. A pessoa que foi alvo da fofoca ficou indignada e muito ofendida. Mais tarde, a mulher que espalhou o boato descobriu que era tudo mentira, ficou arrependida e foi visitar um velho sábio para descobrir o que podia fazer para consertar o estrago.
_ Vá até a praça principal – disse ele -, compre uma galinha e mande matar. Depois, no caminho de casa, depene-a e solte as penas uma a uma pela rua. Embora surpresa com o conselho, a mulher fez o que o sábio havia mandado.
No dia seguinte ele disse:
_ Agora vá, recolha todas as penas que deixou cair ontem e traga para mim.
A mulher seguiu o mesmo caminho, mas, para seu desespero, o vento tinha dispersado todas as penas. Depois de procurar por horas, ela voltou com apenas três penas na mão.
_ Está vendo – disse o velho sábio – , é fácil soltá-las, mas é impossível recolhe-las. Com a fofoca também é assim. Não custa muito espalhar um boato, mas, depois que se espalha, nunca se pode reverter o dano completamente.

Deus da Minha Vida – Thalles Roberto

Deus meu,
Pai meu,
Amor meu,
Tudo, razão de tudo!
Deus meu,
Ar meu,
Farol que eu preciso,
Como eu preciso!!

Eu preciso Te sentir todo dia!
E olhar pra Tua luz pra não me perder!
Meu Senhor, Tu és a minha alegria
E eu preciso!!

Deus da minha vida
Fica comigo
Sou a Sua casa
Mora em mim
Deixa eu Te dizer o que eu preciso, Pai
Eu preciso do Senhor!!

Gorda

Recebi num email um depoimento interessante. A menina me pediu anonimato, mas ainda assim eu acho que essa vivência acontece com muitas… já ouvi histórias. Só quero comenta a parte na qual ela diz que estava falando mal de si mesma… Puxa, a gente pode acabar tomando uma palavra simples e colocando um peso de preconceito sobre ela… Segue o texto d leitora:

Certo dia estava conversando na internet, quando me perguntaram como eu era. 
Então o que será que respondi? Comecei a escrever:  Gordin… Então de repente parei e pensei:
Ué! por que estou escrevendo que sou GORDINHA, se eu não fosse gorda eu diria que era MAGRA e não MAGRINHA.

Quando dei por mim já estava dando Enter com a palavra GORDA aparecendo na tela. De primeiro, tive uma sensação estranha de estar falando mal de mim mesma, mas depois me senti tão livre que agora sempre que me perguntam como sou, digo: sou GORDA e já não me sinto mal por dizer isso, me sinto tão livre como nunca antes senti. Essa liberdade que sinto agora faz eu me sentir e me ver mais bonita. Olho para o meu corpo e digo como é lindo, com roupa ou sem roupa, me sinto desejável, me sinto poderosa.

Diante disso tudo me pergunto: por que vivi tanto tempo debaixo de uma ditadura que me oprimia? O que Quero agora é ser livre como eu sou, viver como eu sou, deixar morto de desejos quem me ama. Não importa se não sou desejada pelos homens em cada esquina, o importante mesmo é me fazer desejável para mim mesma e para o homem que me interessa, o homem a quem amo, isso sim vale a pena.

Sorteio do livro – A Ditadura da Beleza

Sorteio de um Livro

Concorra ao sorteio do livro “A Ditadura da Beleza” de Augusto Cury. Para participar é simples. Na página inicial do Blog EuGordinha, assine para receber as atualizações, deixando seu email. Vejo como assinar aqui.

Os assinantes já cadastrados já estão concorrendo. Todas as assinaturas realizadas até o dia 10 de maio de 2012, estarão concorrendo. O sorteio será realizado no dia 15 de maio de 2012, e o ganhador(a) receberá por correio a sua edição do livro.

Boa Sorte e Beijos ^-^