Rua da Passagem (Trânsito)

Dos meus favoritos nordestinos, Lenine é um músico, cantor, compositor brasileiro da melhor qualidade, nas melodias, arranjos, letras e reflexões. Nessa canção que segue, cabe um repensar sobre a pressa na qual nos metemos tanto correndo atrás de coisas que no final das contas nem nos fazem tão mais felizes assim como tão cansados.

[youtube:http://www.youtube.com/watch?v=A3WbWOBJxks%5D

Rua da Passagem (trânsito)

Lenine

Os curiosos atrapalham o trânsito
Gentileza é fundamental

Não adianta esquentar a cabeça
Não precisa avançar no sinal

Dando seta pra mudar de pista
Ou pra entrar na transversal

Pisca alerta pra encostar na guia
Pára brisa para o temporal

Já buzinou, espere, não insista,
Desencoste o seu do meu metal

Devagar pra contemplar a vista
Menos peso do pé no pedal

Não se deve atropelar um cachorro
Nem qualquer outro animal

Todo mundo tem direito à vida
Todo mundo tem direito igual

Motoqueiro caminhão pedestre
Carro importado carro nacional

Mas tem que dirigir direito
Para não congestionar o local

Tanto faz você chegar primeiro
O primeiro foi seu ancestral

É melhor você chegar inteiro
Com seu venoso e seu arterial

A cidade é tanto do mendigo
Quanto do policial

Todo mundo tem direito à vida
Todo mundo tem direito igual

Travesti trabalhador turista
Solitário família casal

Todo mundo tem direito à vida
Todo mundo tem direito igual

Sem ter medo de andar na rua
Porque a rua é o seu quintal

Todo mundo tem direito à vida
Todo mundo tem direito igual

Boa noite, tudo bem, bom dia,
Gentileza é fundamental

Pisca alerta pra encostar na guia
Com licença, obrigado, até logo, tiau.

Boa Noite

Eu sei que a Fran não vai me processar se eu roubar umas palavras dela pra por aqui no blog como um boa noite pra quem costuma ler o email de noite quando chega do serviço, antes de ver a novela ou antes de dormir. Beijos, menina!

Viver é saber dar valor aos momentos e aproveitar o máximo cada um deles. Dar valor à sentimentos, pessoas e não se preocupar com opiniões alheias, porque você sabe MUITO bem quem é, de verdade. Então, viva. Faça, vá, chore.. ame! Só que viva verdadeiramente. Mentir não é uma forma de viver, mas sim uma maneira de esconder o que realmente tem dentro de você…
BEIJOS E UM BOA NOITE FRANtástica.

Eitah Nós – Chocolate a Perder de Vista!

Fiz um calculo breve, o que seriam 8 Kg e algumas gramas de chocolate pra comer diariamente? Pois então vejam que escultura linda!

Pra comemorar o aniversário de 30 anos da Qzina Specialty Foods, a marca criou uma escultura de 8 toneladas que entrou para o livro dos records como a maior escultura de chocolate do mundo. A escultura representa um templo Maia e ficará exposta até  dia 21 de dezembro, último dia no calendário Maia, quando será destruída.

Fonte:hypeness

O Lenhador e Seu Machado (Ilustração)

Você gosta de dar com a cara na porta? Quase ninguém gosta… digo quase, porque tem gente que parece que gosta de sofrer. Eles vivem muito tempo passando pelos mesmos repetidos problemas, amargando dores emocionais ou físicas, como se não houvesse escolha. Sempre há! Muitas das vezes só nos falta o CONHECIMENTO adequado pra cada situação. Na ilustração a seguir cabe uma reflexão sobre qual seria o nosso machado…

Essa é a história de Pedro, um ótimo lenhador que chegou a uma serraria procurando emprego. O capataz deu-lhe um dia para que ele mostrasse as suas habilidades.

Pedro surpreendeu o capataz, pois era capaz de derrubar dez árvores enquanto o normal era abater duas por dia. O melhor lenhador derrubava quatro.
Diante disso, Pedro foi alvo de comentários por parte de todos, pois era o melhor lenhador que se conhecia. Foi um verdadeiro sucesso. Porém, depois de algum tempo, sua produção baixou até que passou a ser o pior de todos os lenhadores. O que estaria acontecendo? O capataz preocupado, procurando saber o que estava havendo, chamou Pedro e disse:

– No dia em que você chegou aqui derrubou dez árvores, sem demonstrar cansaço e assim continuou por algum tempo. Mas ultimamente o vejo abatido e esgotado, sua produção foi caindo e você tem derrubado apenas uma árvore por dia. O que houve?

– Não sei, respondeu Pedro. Estou trabalhando como nunca trabalhei antes: tenho me esforçado três vezes mais, sou o primeiro a ir para a mata e o último a voltar!

O capataz pensou um pouco e perguntou a Pedro:

– Pedro, nesse tempo que está aqui, quantas vezes você amolou o machado?

E Pedro, um pouco atrapalhado, respondeu:

– Nenhuma, não tive tempo.