Conselhos Pra Meninas?

A situação não tá fácil pra ninguém. Quando às vezes algumas coisas apertam e a gente busca por auxílio, o quanto que podemos dar crédito ao que nos dizem? Precisamos aprender a descobrir essa tal verdade pra não sofrermos as consequências da ignorância.

5 conselhos errados que as revistas femininas dão sobre o amor

Ana Carolina Prado

Por Ana Paula Severiano*


Latinstock/Corbis

Regras infalíveis para conquistar o homem dos sonhos e fazer a relação durar são um clássico da filosofia de boteco feminina. Boa parte delas a ciência desmente – e dá pistas sobre o que realmente funciona

Você precisa bancar a indiferente

Vários conselhos giram em torno deste tema: “não atenda todas as ligações para não parecer tão disponível, invente uma desculpa para não ir para cama com ele na primeira noite, não exagere nos cuidados e no afeto ou ele vai se espantar e fugir”. Bobagem, meros joguinhos. O que parece mesmo fazer o affair deslanchar é achar alguém com as mesmas intenções que você: relacionamentos duram quando as duas pessoas têm níveis de comprometimento parecido, segundo um levantamento de um time de pesquisadores da Universidade de Minnesota. Eles analisaram os perfis e vídeos de 78 casais discutindo para tentar resolver o problema que mais lhes incomodava. Os vídeos foram vistos e analisados conforme as manifestações de hostilidade – expressões de frieza e rejeição, por exemplo – e desesperança de cada um. Também foi avaliado como os parceiros tentavam acalmar um ao outro. Resultado: os casais com diferença de comprometimento foram os que demonstraram mais hostilidade e tendência ao rompimento. Quando os dois eram superempenhados ou superdesencanados, a tendência era ficar tudo bem. A reciprocidade é o que vale: se o outro dá sinais de estar na sua, é atencioso, te liga etc., não faz sentido querer bancar a indiferente pra fazer charminho. O tiro pode sair pela culatra.

Ele anda apático? Prepare um jantar romântico

Nada disso. Esquentar um relacionamento que anda meio morno – como dizem as revistas femininas – exige maior quebra de expectativa. Melhor levá-lo para andar de montanha-russa. Um estudo publicado por Arthur Aron, pesquisador da Universidade de Stony Brook, em Nova York, expôs casais desanimados a experiências novas e excitantes, como ver filmes de terror, e notou melhora na qualidade de vida da dupla. A conclusão é que nessas situações ocorre um aumento de neurotransmissores como dopamina, adrenalina e norepinefrina – também produzidas quando você se apaixona -, o que faz lembrar o começo do namoro. O problema do jantar romântico é que pode ser rotineiro demais, portanto, com menor capacidade de liberar as mesmas substâncias.


Latinstock/Corbis

Nunca deixe ele perceber que o jogo está ganho

Outra receita clássica é de que os joguinhos de sedução no início da relação devem se manter no longo prazo – seria importante não abrir a guarda totalmente, deixar o parceiro sempre com alguma dúvida sobre os seus sentimentos e sua entrega. Muita gente persegue essa máxima ao longo de toda a vida a dois. Pois bem. Cientistas da Universidade do País Basco que estudaram esse comportamento chamam essas pessoas de “inseguros esquivos”, do tipo que não se envolve demais porque, no fundo, acredita que é melhor “não ter” do que ter e perder. É aquele preocupado em estar sempre por cima. O outro tipo de inseguro são os ansiosos, que fazem o oposto: forçam a intimidade e cuidam compulsivamente do parceiro. São justamente aqueles que costumam dar aos amigos a impressão de estar por baixo na relação e ouvem esses conselhos de que “você se entrega demais, faz tudo pra ele, seja menos dedicada” ou o radical “homem gosta mesmo é de ser pisado”.

Essa classificação de inseguros esquivos, inseguros ansiosos e seguros foi usada por Javier Gomez Zapiain, líder do estudo basco, ao avaliar os modelos afetivos dos 211 casais voluntários da pesquisa, para investigar a relação entre o sexo, a afetividade e as demonstrações desse afeto. As pessoas eram avaliadas e separadas nesses 3 grupos e respondiam a questionários. Conclusão? Quem, na média, demonstrou mais satisfação sexual e mais felicidade na vida a dois foram os de perfil seguro. Eles são os que sabem trocar de papel conforme o momento da relação e de cada um. Segundo os pesquisadores, são pessoas que conseguem se colocar em posição de dependência e reconhecer quando precisam de suporte, além de se expressar quando estão passando por momentos de ansiedade, e ao mesmo tempo lidar com a carência do outro, entender quando o parceiro está se sentindo mal e precisa de atenção. Rebatendo o conselho: demonstrar que você está carente e precisa muito da pessoa não necessariamente vai causar desinteresse no outro. Abrir a guarda faz parte, além de dar o sinal verde para que o outro também possa se mostrar fragilizado quando for o caso.

Não vá para a cama no primeiro encontro

“Resista à tentação ou ele vai pular fora na manhã seguinte”, é o que martelam na cabeça das mulheres. Mas será que a estratégia surte algum efeito? Uma análise de 2010 da Universidade de Iowa considerou um estudo com 642 adultos heterossexuais de Chicago, que responderam sobre a qualidade do seu relacionamento e o tempo que demoraram para fazer sexo. Casais que liberaram geral na primeira noite não disseram estar menos felizes do que os que esperaram. “É possível que o amor verdadeiro surja quando as coisas começam com uma abordagem mais direta, quando as pessoas flertam, se envolvem sexualmente e depois constroem a relação”, diz Anthony Paik, o sociólogo responsável pela análise. Vai nessa linha a pesquisa feita pelo site Match.com com mais de 5 mil pessoas solteiras – e consultoria da antropóloga Helen Fisher, da Universidade de Rutgers, nos EUA. Ela mostrou que 35% da amostra já saiu para um encontro casual, fez sexo na primeira noite e manteve um relacionamento longo depois disso. Segundo Barry Gibb, biólogo da University College London e autor do livro The Rough Guide to Brain, é até melhor ir logo para cama e descobrir se vocês são compatíveis. Se forem, vai ser demais e haverá grande liberação de ocitocina e vasopressina, hormônios do desenvolvimento do apego e da confiança. Se não, vocês partem para outra e pronto. Desse ponto de vista, as duronas estariam apenas perdendo tempo.

Se ele está mesmo apaixonado, vai se lembrar das datas especiais

Parece ser realmente legal quando um cara presenteia a mulher com um buquê de flores para celebrar a data da primeira vez que eles dividiram juntos um chiclete. Afinal, gestos valem mais do que palavras, certo? Talvez não. Em um estudo publicado em 2010, as psicólogas Lara Kammrath e Johanna Peetz, das universidades de Wilfrid Laurier, no Canadá, e de Colônia, na Alemanha, afirmam que os sentimentos amorosos podem levar a alguns comportamentos românticos, mas não a outros. Atitudes mais espontâneas, como dizer “eu te amo” e oferecer uma massagem relaxante quando a companheira chega em casa cansada, estão mais associadas à paixão do que a ações que dependem de uma memória de longo prazo e de planejamento, tipo se lembrar de datas especiais, organizar uma serenata ou não esquecer de tirar o lixo (caso isso seja uma prova de amor para você, como foi para algumas das garotas do estudo). Seria o atestado de razão para aqueles que desconfiam que aquele amigo que costuma fazer surpresas cinematográficas para todas as namoradas, na real, faz isso mais porque gosta de um espetáculo do que movido por uma paixão avassaladora, maior que a dos outros.

Via Super.Abril.com

Novas Colaboradoras

Natália Rodrigues,
Só não tem seu blog pessoal ainda por falta de tempo eu acho, mas é uma menina muito bem antenada e de coração imenso de sensível, esperta e uma porção de outras qualidades quais vocês vão descobrindo aos poucos. Faz um tempo que tem me ajudado nas postagens da FanPage do Blog e agora é oficial.

Suely Regina,
Minha filósofa nordestina favorita é irritante um pouco quando arrenga comigo, como toda irmã. Amo sua sensibilidade e carisma naturais. Também tem ajudado na FanPage e já até escreveu um artigo no blog, sugerindo outros e tendo conversas comigo que em muitas ocasiões foram fonte de inspiração pra pensamentos bons.

Meninas lindas por dentro e por fora, que agora me ajudam oficialmente nas questões de conteúdo do blog.

Quem quiser tratar de assuntos mais “femininos”, é só falar com elas.

A Casa Caindo e Minha Mãe Dormindo

Minha mãe me surpreendeu na manhã de hoje. Após forte apelo popular inclusive via Facebook, para que houvesse chuva, a mesma chegou e chegou bem chovida. Quem dera acontecesse assim também no nordeste brasileiro e em outras regiões do mundo. Acontece que aqui em casa nós temos um probleminha técnico. Recentemente foi feita uma reforma no telhado e em decorrência de uma chuva anterior com ventos fortes, que arrancaram uma telha do vizinho e jogou a mesma em nosso telhado, mesmo após o reparo, quando chove MUITO acaba infiltrando água no telhado e entra o pinga-pinga dentro de casa.Pois então, choveu MUITO, MUITÃO mesmo. Ou seja, logo de madrugada eu fui acordado com o som do pinga pinga, e a chuva continuando a cair lá fora e eu depois de ajeitar as vasilhas onde podia vim pra vida virtual já que o sono tinha sido estragado, dar andamento aos trabalhos do dia, às diversões, aos compromissos. Até que vejo minha mãe resmungar qualquer coisa meio sem nexo, se levantar da cama dela pra ir na minha vaga.Alguns minutos depois qual não é minha surpressa quando entro no quarto dela e vejo tudo alagado, encima da cama principalmente. Ao perguntar se ela sabia do caso, respondeu: “Quero dormir meu sono em paz”.

Lembrei do filósofo cínico Diógenes, que morava dentro de um barril e só tinha por bem material uma cuia com a qual bebia água… quer dizer, tinha até o momento que viu um menino beber água na fonte usando as mãos em concha. Certa vez, Alexandre, o Grande, imperador do mundo de então, chegou diante desse filósofo e perguntou o que ele queria. O que pedisse, seria satisfeito. Resposta: quero que saia da frente do meu sol – o mesmo estava se aquecendo e Alexandre estava fazendo sombra… Mesmo diante das risadas do povo ao redor Alexandre os respondeu que se não fosse Alexandre, ele queria ser o tal filósofo.

Quem sabe um dia alcanço a paz de minha mãe, ou algo bem perto disso.

P.S.: Sobrou pra mim arrumar tudo, mas debaixo de boas risadas tendo em vista o inusitado da aprendizagem.

O que se QUER e o que se PRECISA

Das grandes sabedorias práticas que precisamos aprender na vida pra sermos felizes é:

A diferença entre o que queremos e o que realmente precisamos. Muitos de nós temos perdido/desperdiçado tempo, buscando coisas que queremos e achamos que nos farão felizes, mas que não são necessárias. Ou seja, ao conquistarmos, muitas das vezes não sentimos a satisfação que queríamos, ou então é uma alegria de momentos MUITO curtos. Diferente da alegria que vivemos quando uma necessidade é satisfeita.

É engraçado, e triste ao mesmo tempo. Na verdade só tem graça quando amadurecemos pra ver com outro olhar, mas acontece de jogarmos a culpa em Deus quando pedimos pra Ele coisas que não chegam nunca e julgávamos precisar delas… Muitas dessas coisas Deus já nos deu a CAPACIDADE de conquistar, mas não percebemos isso… Precisamos distinguir a diferença entre o que queremos e o que precisamos. Então daremos mais um passo dentro desse terreno tão almejado chamado felicidade.

Que Rir por Último Rir Melhor – Dicas de Um Conquistador Barato!

Achei muito CURIOSO o fato de que dentro de determinadas condições, nós, seres humanos frágeis e quase indefesos nos tornemos tão vulneráveis. Será que a matéria abaixo serve de dica pra que meninas não escolham os últimos carinhas que lhe aparecem num bar/balada/festa e etc e tal? Se o critério de escolha for a aparência… CUIDADO!!!!! Mas o oposto também funciona, rapazes!

Pessoas ficam mais bonitas às 4h da manhã (e a culpa não é só do álcool)

Thiago Perin

A ideia de que a beleza alheia aumenta conforme a gente bebe, o álcool faz efeito e a madrugada corre não é novidade. Certeza que muitos de vocês já até comprovaram isso na prática, né? Mas olha que interessante: a culpa não é, necessariamente, da bebida (ou, melhor dizendo,  da bebida). Três pesquisadores da Universidade de Macquarie, em Sidney (Austrália), passaram uma noite inteira acompanhando 87 voluntários em um bar local. De tempos em tempos, mediam o nível alcoólico de cada um e pediam que dessem notas à aparência das pessoas ao redor.

Eles confirmaram o que a gente já sabia: conforme foi ficando tarde, todos foram vendo mais beleza nos desconhecidos. E isso até entre gente comprometida, que nem estava procurando companhia. E, para os pesquisadores, parte desse efeito – que eles chamam de the closing time effect (o efeito da hora de fechar) – se deve, simplesmente, à exposição prolongada às mesmas pessoas. Como se a gente se “acostumasse” com elas e desse uma “colher de chá”. Além disso, eles acham que a escassez também tem culpa: como a certa altura a quantidade de pessoas no bar diminuía, quem restava parecia naturalmente mais bonito – é, por comparação.

“Esse fenômeno merece ser pesquisado não apenas por ser interessante, mas também porque acontece todas as noites, em todos os bares, em todas as cidades do mundo”, diz o estudo.

Via SuperInteressante

20 Dicas Para o Sucesso

Dicas de Sucesso na Vida… Não me venha dizer que é muita coisa!!! Vamos deixar a preguiça de lado e fazer o que vale ser feito? Nada que é excelente custa barato. Até com as nossa atitudes nós pagamos o preço do que é bom na vida.

20 Dicas Para o Sucesso

01-Elogie 3 pessoas por dia.
02-Tenha um aperto de mão firme.
03-Olhe as pessoas nos olhos.
04-Gaste menos do que ganha.
05-Saiba perdoar a si e aos outros.
06-Trate os outros como gostaria de ser tratado.
07-Faça novos amigos.
08-Saiba guardar segredos.
09-Não adie uma alegria.
10-Surpreenda aqueles que você ama com presentes inesperados.
11-Sorria.
12-Aceite uma mão estendida.
13-Pague suas contas em dia.
14-Não reze/ore apenas pra pedir coisas. Agradeça e peça sabedoria e coragem.
15-Dê às pessoas uma segunda chance.
16-Não tome nenhuma decisão quand estiver cansado ou nervoso.
17-Respeite todas as coisas vivas, especialmente as indefesas.
18-Dê o melhor de si no seu trabalho. Teha prazer em fazer bem feito.
19-Seja humilde, principalmente nas vitórias.
20-Jamais prive uma pessoa de esperança. Pode ser que ela só tenha isso.

Leandro Hassum – Reeducação Alimentar

Estou feliz pelas vitórias alcançadas pelo Leandro Hassum. O gordinho gostoso de engraçado está emagrecendo e muito feliz por isso. Pra quem pensa que por admirar o fato das pessoas serem gordinhas, faço apologia à gordura: Não, não! Faço apologia ao bem estar como somos. Naturalmente nascemos gordos ou magros por capricho da natureza dada via DNA. Se o fato de sermos gordinhos estiver nos prejudicando a saúde, então partamos pras dietas bem orientadas por Nutricionistas e a tal da Reeducação alimentar, que é ótima de se vivida.

O humorista Leandro Hassum (38) está seguindo uma dieta rígida para poder perder peso. O artista revela que já eliminou 18 quilos nos últimos dois meses e que ainda quer perder mais 15 quilos. “Estou pegando firme e conto com a ajuda de um personal para fazer exercícios todos os dias. Além disso, estou comendo direitinho de três em três horas e fazendo uma reeducação alimentar”, afirmou ele ao site oficial do programa Encontro com Fátima Bernardes.

A vontade de emagrecer de Hassum tem relação com o seu futuro mais saudável. “Estou fazendo de tudo para ter uma velhice saudável. Ando de bicicleta e faço stand up pedal diariamente na praia de Charitas, em Niterói”, contou o artista, que já sente as mudanças em seu dia a dia. “Me sinto muito melhor, muito mais disposto, já criei muito mais resistência física. Estou muito feliz”, finalizou.

Leandro Hassum interpreta o Jorginho no seriado Os Caras de Pau ao lado do amigo e humorista Marcius Melhem.

Via Caras

Nova Flor no Jardim da Vida: Alice caymmi

Posso estar exagerando um pouco mais me senti lendo uma das cartas ao jovem poeta de Rilke, quando estava me dando conta do texto de Alice Caymmi. É muito delicada na expressão de mostrar como funciona o processo criativo de um artista. No meu ver ela mostra as raízes de uma plantinha e ensaia o futuro dos frutos, diante dos meus olhos. Amei ler, saber, sentir, prever. Amanhã ela estará fazendo o lançamento de seu Adriana Calcanhoto.

Se quiser conhecer do delicioso texto dessa menina, clique aqui, e pra conhecê-la cantando, segue o video.

Jen Davis – Fotógrafa da Intimidade

É muito bom quando encontramos na arte um eco do que estava dentro de nós e nem desconfiávamos. Tive essa grata surpresa ao descobrir Jen Davis, uma fotógrafa americana que além de ser gordinha tem um olhar maravihoso pra captar a vida em toda sua força… ou seria suavidade? A vida tem seu lado forte e suave e isso é facilmente perceptível nas fotos de Jen.

Segue uma amostra do seu trabalho, e pra quem curte fotografia é só clicar aqui e ver um pouco mais das suas fotografias.

Você Não é Ninguém Ainda – Alice Caymmi

Ser um jovem artista hoje é ser múltiplo. Não necessariamente fazer muitas coisas, mas saber um pouco de tudo (e ainda se virar para descolar uma grana para pagar o estúdio de vez em quando). Mas ser um artista novo que faz parte de uma família tradicional tem outras nuances.

Como dar continuidade àquilo que você mesma não construiu? À primeira vista, você é um farsante ou um gênio de nascença. Nenhuma das duas opções é, digamos assim, agradável aos ouvidos de um jovem artista. Meu pai acaba de brincar aqui pelas minhas costas, dizendo:

— Você tem 35 dias após o lançamento do seu show para fazer sucesso! Mas voltando ao lento processo da tradição. A primeira reação, adolescente, é: “Vou contrariar tudo o que a minha família já fez!” Precipitado. Na primeira chance, a própria estrutura do seu corpo vai dizer o contrário. Se as suas mãos, o seu pescoço, os seus olhos são semelhantes aos dos seus familiares, por que sua arte não pode ser? Negar não é legal, até porque a genética é cruel nesse ponto. Mas imitar todo mundo não está com nada. Às vezes, quando você tem alguém em sua família em quem você se espelha, acaba imitando essa pessoa em momentos críticos. O jovem artista tem que ter muito cuidado.

Quando estamos acuados, recorremos às nossas referência afetivas. Mas, pense bem, seus pais, seus tios, seus avós são todos muito mais velhos do que você. Então, para que parecer um jovem idoso? Chato. E, além do mais, ninguém pediu para ser preservado.

Assim que o seu pai, ou algum outro familiar seu que seja um artista ilustre, começar a te incorporar no trabalho dele para te ensinar a trabalhar, apostando no seu talento, vão surgir perguntas. “Como é fazer parte desta família?” Não podemos ter medo desta pergunta. Não podemos achar também que sejamos tão maravilhosos assim a ponto de as pessoas perguntarem sobre a gente antes de citar alguém da família. Dá raiva, eu sei, mas você não é a Maria Bethânia.

Egotrip? Proibido! “Sabe com quem você está falando?” Sorry, querido, você não é ninguém ainda, você praticamente nasceu ontem. O que eu quero dizer com isso é: “Construa sua arte. Faça o seu trabalho.” Entende?

Acho que o nosso ego e o nosso eventual sucesso ou insucesso vêm para vingar a quantidade estratosférica de atentados e de bullying que sofremos na infância. Sem drama, mas criança odeia amiguinho ilustre. Ainda me lembro de alguns professores que faziam questão de citar meu avô nas aulas. Na hora, era lindo. No recreio, não.

Nostalgia pura não leva a nada. Tenho certeza de que se meu vô Dorival ainda estivesse neste plano astral, ficaria de saco cheio se eu ficasse cantando apenas (ó, pasmem) Dorival Caymmi. Se alguém antes de você desbravou caminhos na arte de forma a ser considerado um gênio, para que resguardar a obra de outro em vez de desbravar sozinho os horizontes atuais? Não que você seja tão grande quanto o seu parente. Aliás, você não tem que ser tão grande quanto ele. Relaxa.

Na verdade, tudo isso é balela, porque, quando eu deito minha cabeça no travesseiro à noite, só sinto uma coisa: medo. Mas desistir não é uma opção.

Alice Caymmi é cantora e compositora

Reportagem no Jornal o Globo de 23 de setembro de 2012

Acorda Princesa!

Se trata mal a mãe, também te tratará mal;
Se odeia alguém que já amou; você pode ser a próxima;
Se maltrata os animais, também é capaz de maltratar um ser humano, inclusive você;
Se é desonesto com os outros, com você também será;
Se não respeita as autoridades, também não de respeitará;

Se não trata todas as mulheres como damas, com você não será diferente, ou será até o momento que te ganhar;Porque “Um abismo chama outro abismo”(Salmo42:7)

…Se não mudar agora, não é no casamento que ele vai mudar!
Acorda né princesa?!

Via Camila Pires

Jô Soares – Entrevistado

Ontem de noite eu caindo de sono ainda consegui ouvir e ser acordado por instantes pra conhecer um pouco mais dessa figura tão interessante, cômica, inteligente que é um dos gordinhos mais admirados do Brasil: Jô Soares.
Ontem ele foi o entrevistado e falou um pouco de sua vida, sensibilidade, ideias. Gostei de conhecer um pouco mais desse que é um exemplo em muitos aspectos a ser admirado.

Entrevista ao quadro “O que vi da vida” com “Jo Soares” no Fantástico de 23/09/2012

Segue um artigo da Revista Caras

O apresentador Jô Soares (74) foi o entrevistado deste domingo, 23, no quadro O Que Vi da Vida, do Fantástico, e abriu o seu coração sobre diferentes temas de sua vida.Quando o assunto foi a morte, ele foi categórico. “Medo da morte é um sentimento inútil, tenho medo de não ser produtivo. Citando o meu amigo Chico Anysio, perguntaram para ele: ‘Você tem medo de morrer?’, e ele disse: ‘Não, eu tenho pena’. Já estou firmando compromisso para daqui uns 30 anos”, afirmou ele.

Realizado com o seu programa nas noites da Globo, ele relembra o início de seu talk show, no SBT. “Quando eu tive a proposta de mudar de canal, foi a possibilidade de fazer o talk show. Fazer um programa diário foi ideia do Silvio: ‘Ou é diário ou não é. Se for só uma vez por semana não emplaca’. Intuição de tigre”.

O apresentador ainda diz que não é de sentir saudades do que passou. “Não sou saudosista nem um pouco, estou fazendo o que gosto e o que quero fazer. Nunca tive nada esquemático, era fazer, mais que pensar”. Mas, revela que é de chorar. “Sou um chorão de marca maior com coisas comoventes, com tristeza não”.

Com mais de 200 personagens em sua carreira, Jô diz que não se vê voltando a interpretar suas criações. “Não me vejo fazendo os mesmos personagens com a cara de hoje, não é mais a minha. Descobri também, sem querer, a grande vocação da minha vida, que é o programa que faço hoje, o que me dá mais alegria em fazer, me sinto vivo ali, o talk show. Ter uma pessoa que conversa bem com você é um dos prazeres mais gratificantes que existem”, comentou, completando com a criação do Capitão Gay, um de seus maiores sucessos. “Tive a ideia acordando no meio da noite, porque não tem um herói de gibi viado? Levantei da cama para escrever o quadro. Tem uma característica curiosa, poucos dos personagens tinham nome, eram mais conhecidos pelo bordão ou pelo quadro”.

Falando de sua carreira, Jô Soares diz que é vaidoso: “Eu sou muito vaidoso, claro, nunca escondi isso, qual artista não é vaidoso? Você já nasce querendo seduzir o mundo”, contou ele, que ainda falou de sua forma física. “Eu já era gordo. Gordinho é quase que preconceituoso, gordinho já deixa de ser gordo. Filho único, quando nasci, minha mãe já tinha 40 anos e tudo o que fazia já era aprovado. Pelo fato de ser gordo, já era muito exibido”.

O comunicador ainda relembra de sua infância. “As minhas lembranças da infância são a época do colégio interno, onde eu chorava muito, era uma coisa excessiva, sensibilidade quase gay. Se você não tivesse uma média de notas superiores a cinco, você ficava preso no final de semana, e eu tinha medo de passar o final de semana no colégio, eu chorava muito”, disse ele, que comentou sobre os seus estudos na Suíça. “Fui estudar na Suíça com 12 anos e voltei com 17 porque os negócios do meu pai foram por água a baixo. Lembro do meu pai chegando em casa e dizendo que amanhã já temos comida, depois de amanhã eu saio para batalhar”.

Ele também comenta o início da vida artística. “Acho que começou por acaso, como tudo. Fazer as imitações acabou me levando a lugares. Com 18 anos já tinha cargo importante e com 20 comecei nos programas da TV Rio”. Jô também falou do sucesso do programa A Família Trapo“Foi o primeiro sucesso da televisão nacional, foi de 1966 até 1970. Saí um ano antes e assinei com a Globo”.

Ídolo para muitos, Soares lista os artistas que foram marcantes em sua vida. “Tem atores como o Oscarito, que eu achava um comediante fantástico. Peter Sellers, comediante e ator fantástico, um dos cinco maiores do mundo, como o Chico Anysio também. Chaplin influenciou a vida de todo mundo, sempre me fazia rir e chorar”.

Via Caras

Amor – baseado em animação de Mauricio Bartok

O nome da animação é PERFEITO, de Mauricio Bartok. É um curta metragem bem legalzinho, que me levou a algumas reflexões imperfeitas, que servem no mínimo pra termos alguma visão sobre as coisas da vida. Segue o vídeo e logo abaixo o texto escrito sob inspiração da animação:

O que chamam de amor, é quase uma utopia – mas a gente nem sabe direito o que é uma utopia, só quando descobre que é uma coisa meio impossível é que nos damos conta de que o amor é meio assim.O amor é uma tentativa de fazermos do outro a nossa imagem e semelhança – o amor não é isso, mas queremos que seja. Queremos que o outro se conforme às nossas expectativas e anseios, sonhos e desejos mais profundos, nossas exigências egoístas, mas que parecem muito justas porque dizem respeito ao NOSSO DESEJO. Enquanto estamos nos relacionando com o desejo secreto de fazer do outro o que precisamos, muitas vezes todo o mundo ao nosso redor se desfaz, até que só nos reste mesmo o outro como possibilidade de escolha – isto é, se o outro suportar estar com a gente. Se o aceitarmos como ele realmente é… pode ser amor.

Leonardo Ladislau

Quem curte animação e gostou do trabalho de Mauricio Bartok, pode conferir clicando aqui, por mais das obras dele.

Poeminha Concreto [ou Quase]

Vivendo…

 

Olhar, ver, enxergar, observar…
Escutar, ouvir, estar atento…
Flertar, paquerar, namorar…
Pegar, ficar, sair, transar…
Fazer sexo, fazer amor…
Noivar, casar, amar…
Verbos.
Atitudes.
Palavras.
Vida.

 

Ler Devia Ser Proibido

Simplesmente amei…

Blog Gostoso!

Achei um blog muito bom. Super indico! Sinuosas

É de lá que eu peguei a reflexão compartilhada:

“Não existe antídoto mais poderoso contra a baixa sensualidade do que a adoração de beleza.” Denis Diderot

Via sinuosas.wordpress.com

O que nos Encanta

 

O diferente costuma ser encantador.

Todos nós temos as nossas particularidades sejam exteriores ou interiores. Muitas vezes ficamos a lutar por anos na tentativa de nos modificar e sermos mais “aceitáveis” – antes aos outros do que pra nós mesmos.

Pensemos: Quando, por exemplo, alisamos ou pintamos os cabelos pra agradar a nós mesmos, será que no fundo não estamos tentando agradar ao PADRÃO que colocaram dentro de nós do que é belo? O espelho não é um objeto natural que encontramos pela natureza de modo fácil. A natureza por si só cria, sim situações nas quais podemos nos ver refletidos. Mas não é um ato natural o de nos olharmos no espelho, é um ato cultural. Nos ensinaram a nos olharmos no espelho e buscarmos uma BELEZA que nem sempre é a que está em nós por nascença.

Precisamos aprender a nos ver como somos e descobrir a beleza de nossa cor de pele, formato de nariz, tipo de cabelos, altura, jeito de ser… Se nos amarmos sendo originais, como os DNAs determinaram, toda mudança que fizermos não terá o peso da não aceitação como opressora.

Gaby Amarantos, Vencedora do VMB 2012

Tem hora que nos suspreeendemos com a vida em muitos aspectos. Creio que muitas dessas surpessas têm acontecido aos montes de uns tempos pra cá na vida de Gaby Amarantos. Ontem ela foi a grande vencedora do prêmio VMB.

VMB 2012, premiacao da MTV BrasilEla recebeu 3 de 4 indicações: Melhor Capa, Melhor Artista Feminino e Artista do Ano. Imagino o tanto de alegria que deva está transbordando no coração dela.

PARABÉNS, GABY AMARANTOS!

Devo confessar que não sou fã do gênero brega, technobrega e afins. Gosto um tanto do brega romântico, mas isso é outra história. O que eu admiro em Gaby e outros artistas do gênero é levar a um nível de visibilidade e aceitação uma cultura até certo ponto discriminada pela maioria que só diz que é bom o que está dentro de suas preferências pré-moldadas. O grande lance de Gaby foi ter posto a arte dela ao alcance do coração das pessoas. Sou muito crítico em relação ao conteúdo do que se produz culturalmente. Gosto do que nos faça ver a vida com outros olhos. Sendo que ultimamente tenho visto com crescente interesse esse movimento de expor o simples da gente, as coisas do dia a dia, as manifestações mais populares e diversas do que estou acostumado.

Leia mais sobre a Premiação MVB  Gaby Amarantos no MVB

Unhas Decoradas com Ousadia

Eu amo ver unhas decoradas de tudo quando é jeito, pela arte em si e não que seja pra usar pessoalmente. Quem me conhece sabe que eu não usaria unhas decoradas na condição que me encontro kkkkk. Mas eu sempre gosto de colecionar fotos pra postar no Facebook, e ficar admirando. Coisa minha. Entre várias que recebo muito legais, uma delas de amiga distante eu não tive como não postar por aqui, porque achei de uma ousadia linda.

Natty, sua chicosa! Que ousadia linda essa que tu cometeste! ^-^

Realidade

Cuidado com a verdade sobre a qual você tem andado, a verdade que está te levando pra algum lugar. Cuidado com o que chamam de verdade. Cria um pouco de coragem e vê se aprende a fazer a diferença entre o que é a VERDADE e a mentira. A mentira é fácil de achar, mas tem umas que estão vestidas de supostas “verdades” quando saem da boca de alguns interessados apenas nos próprios interesses.