Amar…

“Pigmalião, horrorizado pelo comportamento indecente das mulheres de Chipre, optou por viver isolado e imerso em seu trabalho. Mas, como não era insensível à beleza feminina, esculpiu uma imagem de mulher, em marfim, para fazer-lhe companhia.” Via T’Amo

No final das contas Pigmalião se apaixona pela estátua que fez e suplica a uma deusa que faça da sua criação a sua amada. Não é muito diferente das pessoa no mundo de hoje em dia.

Grandes Mulheres por Dentro

Poderia já ter acontecido antes né? Antes tarde do que nunca. Sei lá se tarde. Só acho que as mulheres deveriam ter maior reconhecimento em áreas onde atuam com igual ou superior qualidade de exercício da função, se comparada aos homens.

Primeira oficial-general das Forças Armadas recebe promoção no Rio

Rio de Janeiro – Passados 31 anos desde o ingresso das primeiras mulheres na Marinha do Brasil, as Forças Armadas do país ganharam hoje (26) a primeira mulher oficial-general da sua história. Médica anestesista, Dalva Maria Carvalho Mendes, 56 anos, foi promovida de capitão-de-mar-e-guerra para contra-almirante médica da Marinha em cerimônia realizada no Hospital Naval Marcílio Dias, zona norte do Rio.

“É como se estivesse renovando votos de casamento com a Marinha, [sinto-me] uma noiva ansiosa, feliz e emocionada, sinto muita honra”, declarou. A expectativa da primeira general brasileira é que sua nomeação dê às mulheres cada vez mais espaço dentro da corporação. “Eu espero ser um exemplo [para as outras mulheres da Marinha]”, disse.

A contra-almirante informou que o novo posto será na Escola Superior de Guerra, onde vai contribuir para a melhoria do conhecimento de gestão. Acima de Dalva, cujo posto representa duas estrelas do generalato, está o comandante da Marinha, Julio Soares de Moura Neto, almirante de esquadra, com quatro estrelas.

A contra-almirante, que negou ter sofrido preconceito entre os colegas homens, defendeu a capacidade das mulheres para assumir novos postos nas Forças Armadas. Atualmente, as mulheres são 33% do quadro de oficiais e 6,8% dos praças da Marinha, fazendo parte dos corpos de Engenheiros, de Saúde, de Intendentes e Auxiliar, além do Corpo Auxiliar de Praças.

“Estamos mostrando que temos capacidade e com certeza teremos o respeito de todos. Nós [mulheres] estamos mudando, é uma geração toda que está chegando aí. Tenho tido contato com outras colegas das outras Forças e todas estão bastante entusiasmadas com esta possibilidade [de almejar o posto de oficial-general]”.

Viúva, mãe de dois filhos, Dalva fez parte do primeiro grupo de mulheres a ingressar na corporação, em 1981, feito então inédito entre as três Forças. Anestesista, a nova contra-almirante médica exerceu a maior parte da carreira no Hospital Naval Marcílio Dias, ocupando funções técnicas e administrativas.

A filha de Dalva, Luciana Carvalho, 27 anos, seguiu a carreira da mãe e hoje é primeiro-tenente do quadro técnico da Marinha. Ela se disse orgulhosa de ver sua mãe fazendo história. “É uma sensação diferente, indescritível, pois é uma situação que até então nunca tinha visto”, comentou. Ela disse que tem esperança de, no futuro, haver uma mudança na carreira que permita ao oficial do quadro técnico alcançar o posto de general.

Analista de sistemas, o filho, Carlos Eduardo Carvalho Mendes, não seguiu carreira, mas declarou enorme admiração pela mãe e por sua profissão. “Estou muito orgulhoso. Sempre achei que as mulheres tinham que ter todos os direitos que os homens têm e minha mãe é o espelho maior que tenho dentro de casa, uma pessoa com moral e ética, que se conduz assim dentro de casa e no trabalho”.

Via Agenciabrasil

Parabéns!!

Aos Homens Pequenos e As Mulheres Grandes

Achei maravilhoso e esclarecedor esse texto da Ana Carolina Rezende e peguei pra postar aqui. Aproveitei uma outra postagem da Bianca Gordinha pra trazer à tona algo sério sobre o que dizer. É muito comum ler reclamações das meninas sobre uns rapazes que aparecem nas redes sociais e na vida real. É só uma amostra, não representa o mundo como um todo, mas… segue…

Sobre a Auto-Estima e a Sedução – Parte I

“Estou sendo levada a acreditar que muitos homens acham que nós que estarmos acima do peso estamos com uma péssima auto-estima, sendo assim seria um favor que eles nos fazem de enviar mensagens induzindo ao sexo. Estou deletando vários “amigos” do face por causa do assédio negativo, e por fim nem estou mais aceitando alguns convites de amizades.” Bianca Gordinha.

Sobre a Auto-Estima e a Sedução – Parte II

“Gosto não se discute e deve-se respeitar. Mas, só para citar como exemplo, alguns homens preferem estar ao lado de uma mulher magra e burra do que ao lado de uma mulher inteligente, descolada, culta, educada e gorda. E isso serve também para mulheres que preferem homens sarados e acéfalos, a estarem ao lado de homens inteligentes, que as valorizam e gordos. Sinto pena de gente assim, e quem for do sexo masculino e não quiser se aproximar de mim por causa do meu peso, por favor, não se aproxime mesmo, quero avisar que está me fazendo um grande favor, poupando-me e se poupando, porque minha preferência é por homens de verdade. E para aquelas que possuem ‘namorados’ que sentem vergonha de assumirem o ‘compromisso’, de as apresentarem para os amigos, digo para se valorizarem mais, porque se não, sempre terão como ‘companheiro’ alguém que pensa ser homem, mas que não passa de moleque. Felicidade alheia incomoda, e se vier de uma gorda incomoda muito mais. Eu sei, eu sinto. Mas desenvolvi um trabalho mental de auto aceitação e amor próprio que excluiu da minha vida a vergonha de ser quem eu sempre fui: uma mulher gorda que tem todo o direito de ser e estar feliz, de buscar meu caminho, de lutar por meus sonhos e de não aceitar ser discriminada pelo tamanho do meu corpo. E de excluir da minha vida qualquer um que queira me fazer sentir menos do que sou. Sou uma mulher acima do peso e sou feliz. Gosto de mim, aliás, me amo, exalo sensualidade, carisma, alegria de viver e aprendendo a encarar a vida sem medo do que os outros vão dizer, porque falar eles falam mesmo e minha energia é poderosa e abençoada demais para ser gasta me preocupando com esse tipo de coisa, prefiro investi-la no meu crescimento e aprimoramento intelectual e emocional. Hoje, percebo que o que incomoda mais as pessoas não é o meu corpo roliço, mas a leveza da minha alma, o desprendimento que tenho em relação ao que prega o preconceito, e o amor próprio que faço questão de ressaltar. O incomodo que estas pessoas sentem é pela felicidade que tenho, e que elas, inconscientemente talvez nunca vão possuir, porque perdem tempo e energia demais em invejar o outro ao invés de ir atrás do que lhes é de direito, o direito de serem felizes. Não tenho um pingo de vergonha do que sou e de como estou, e por isso que digo: Sou gorda sim, e por que não?” Ana Carolina Rezende

 

O Velho, O Menino e o Burro

Numa tarde bem ensolarada, um velho, um menino e um burrinho começam a atravessar uma longa rua de chão batido numa cidadezinha muito amigável por causa do convívio dos seus moradores.

Caminhavam humildemente: o velho em cima do burrinho e o menino a pé puxando-o pela corda. Quando eles já haviam andado poucos metros dessa rua passaram perto de um mercadinho onde várias senhoras distintas e muito trabalhadoras começaram a comentar:

– Que velho mais folgado, permitir que aquele menininho tão novo fique andando nesse chão batido, enquanto ele tranquilão vai a cima do burro. Ah!cada pessoa sem coração se fosse meu parente eu já falava umas boas.

O velho ouviu isso e ficou confuso e partilhando com o menino disse que era melhor eles trocarem, pois nem percebeu que estava fazendo algo tão errado assim. Daí então: o menino subiu em cima do burro e o velho foi puxando o animal. Andaram mais uns 10 metros e passaram perto de um bar onde havia uns homens bebendo e criticando disseram:

– Que menino malvado, todo alegre em cima do burro, enquanto o seu avozinho, coitado, fica andando nesse sol forte a pé. Ah! se fosse meu filho eu já dava umas boas palmadas e pedia para ele caminhar.

O menino ouvindo isso ficou chateado e disse ao velho. Olha vovô, é melhor o senhor também subir no burrinho, talvez esse povo pare de nos provocar. E assim fizeram: o velho e o menino subiram em cima do burro e continuaram a travessia daquela longa rua. Quando estavam passando perto de um campinho de futebol, muitos meninos e meninas que ali brincavam começaram a gritar:

– Seus loucos… sem coração. Onde já se viu duas pessoas tão fortes e saudáveis judiarem tanto de um animal indefeso e fraquinho. Isso deveria ser denunciado à sociedade protetora dos animais.

O menino e o velho olharam um para o outro e ficaram surpresos, pois eles sabiam que aquele burrinho era bem forte. Porém, na dúvida de estarem judiando do animal decidiram que: o velho e o menino iriam descer do animal e andar os dois a pé para não cansá-lo. Feito isso acreditavam poder seguir tranquilos, pois agora ninguém tinha o que mais falar deles. Mas, antes de saírem da cidade ainda passaram por uma Paróquia onde as pessoas acabaram de sair da Missa e conversavam na praça. Essas pessoas quando viram aquela cena começaram a rir, chamaram o Padre, ele também rindo, disse:

– Ó Senhor! Ajuda essas mentes ignorantes! Daí-lhes uma luz! Onde já se viu um velho e um menino tão idiotas, andando a pé nesse calor, enquanto puxam um animal tão forte que poderiam levar os dois sem problemas.

Depois de ouvirem isso o velho e o menino até choraram, pois não esperam que tanta gente e até mesmo gente da Igreja, o Padre, pensasse tanto mal deles e comentaram entre si: o que fizemos de errado e o que podemos fazer de certo? A única opção que sobrou é colocar o burro em cima deles e isso daria ainda maior motivo de sarro e injúrias. Foram então que decidiram, vamos logo embora dessa cidade, não vamos ficar aqui nem mais um segundo e, montando os dois no burrinho saíram a galope sem dar atenção a ninguém. Mas, ainda não estava terminado, quase no fim daquela rua, umas pessoas fizeram questão de gritar cheios de razão:

– Gente orgulhosa. Passe pela nossa cidade e nem é capaz de nos cumprimentar. Na verdade ali temos três burros, isso sim. E quem sabe o de quatro patas é mais inteligente. Vão mesmo e não voltem!!!

REFLETINDO: quando alguém está decidido a falar mal de você. Não importa o que você faça de bom ou de ruim. O projeto dos corações maliciosos e malvados já está feito. E suas atitudes não mudaram em nada o que eles pensam. E então, o que fazer? Seja você mesmo. Erre e acerte. Tente e invista. Marque um objetivo e chegue até ele usando os bons meios e não fique parando no caminho, nos bares, mercearias, campinhos e até mesmo praças de paróquias, onde, na maioria das vezes, só ficam aqueles que não tem o que fazer com suas próprias vidas e se dedicam fervorosamente a cuidar da vida dos outros. Numa história como essa, feliz é o burro que não entende como está sendo julgado e só faz se deixar conduzir pelas mãos dos seus proprietários. Que eu e você também sejamos um burrinho, mas de Jesus. Pois, Ele sabe como nos falar, onde nos levar e como nos corrigir. Talvez esse velho e esse menino nunca mais voltaram naquela cidade e isso não significa falta de perdão, mas sim de sentimentos. Ninguém é de papel ou de pedra. Cuidado com o que você fala, pois pode perder um amigo, um cliente, um empregado e até mesmo um familiar para o resto da vida. Daí, só no juízo final para as coisas se acertarem definitivamente. Se você está vendo alguém errar ou pensa que ele esta errando, se informe diretamente com a pessoa, pois de comentários, suposições e partilhas daninhas o inferno está cheio.

Versão do Teatro de Sombras