Guerreiras Sem Censura

mulheres mastomizadas EuGordinhas

Facebook libera postagens de imagens de mulheres vítimas do câncer de mama

Facebook decide voltar a atrás e liberar a postagem de fotos na rede social de mulheres com seios à mostra que passaram por cirurgia para a retirada de mama.

A medida ouve o pedido de mais de 20 mil pessoas que protestaram no Facebook contra a censura. Os apelos começaram após a rede social banir imagens em que o fotógrafo David Jay mostra uma série de jovens sobreviventes do câncer de mama.

Antes, o Facebook considerava as imagens impróprias por aparecerem os seios. Agora, a rede social diz entender que o compartilhamento de fotos pode ajudar a aumentar a conscientização sobre o câncer de mama.

Além disso, acredita ainda que a medida vai ajudar os homens e mulheres que enfrentam um diagnóstico, o tratamento, ou a convivência com as cicatrizes do câncer.

Combate Ao Câncer

Desconectar-se

Por incrível que pareça, há quem fuja de si mesmo e isso tem um preço caro a ser pago.

Por incrível que pareça, há quem fuja de si mesmo e isso tem um preço caro a ser pago.

De vez em quando é bom desconectar-se, estar solto, sentir sua própria individualidade. Algumas pessoas têm medo disso pois não gostam de se sentir sós. Acontece que as coisas mais importantes de nossas vidas nós fazemos sós: Nascer e morrer. Ainda que assistam e colaborem com nosso parto, ainda que segurem a nossa mão e nos olhem nos olhos na hora que formos dormir, ainda assim entramos e saímos da vida sozinhos. E quando dentro da vida, temos de aprender a entrar e sair da vida das pessoas, e temos de aprender a lidar com as pessoas que entram e saem de nossas vidas. Em alguns momentos, somos nós quem decidimos solitariamente o que será melhor para as nossas vidas e ainda que peçamos conselho a quem for de nossa confiança, o peso da responsabilidade na hora da escolha, será sempre sobre nós que estará. O peso pode ser pesado ou leve, pode ser compartilhado, mas… caberá sempre a nós vivenciá-lo por inteiro.

É bom de vez em quando acordar e começar a tomar os devidos cuidados com nosso corpo, mas não ligar a TV, o rádio, o computador ou o celular… simplesmente desconectar-se de tudo o que seja externo, tudo o que acontece no mundo, não precisa ser por dias, nem muitas horas, mas por momentos. É preciso que tenhamos o silêncio necessário, o mínimo de interferência possível, para termos contato com quem realmente somos. Às vezes o barulho do lado de fora não nos deixa ouvir a nossa voz do lado de dentro. Vocês sabiam que a nossa felicidade depende um tanto bem grande do quanto damos atenção ao que somos interiormente? Falo por experiência própria e por já ter perguntado a quem emana essa leveza de vida chamada de alegria verdadeira… Sei que pode ser extremamente doloroso ter os primeiros contatos consigo mesmo, principalmente quando nos relegamos à anos de fuga. Por incrível que pareça, há quem fuja de si mesmo e isso tem um preço caro a ser pago. O reencontro consigo mesmo pode ser dolorido. Notar que talvez por anos a pessoa se abandonou a si mesma, dá uma dor dolorida. Mas não é nada que não seja aliviável. É possível nos acharmos e nos cuidarmos, ou começarmos a nos cuidar por dentro. Há feridas que precisam ser limpas. Há muita poeira a ser limpa nos móveis dos cômodos na casa que existe dentro de nós. É necessário abrir as janelas e deixar o vento e o sol entrar. Há lugares que ainda precisam ser reservados? Sim, pode ser que o seu mistério não seja logo desvendado… geralmente nunca é de cara que todos os segredos são revelados de nós pra nós mesmos – Há ocasiões onde a insegurança é tão forte que nem em nós mesmos confiamos, quanto mais nos outros. Mas é preciso ter a coragem de fechar um pouco as portas para o mundo e abrir as portas para si mesmo. Não é egoísmo não, é questão de sobrevivência. Só vive de verdade quem se conhece um tanto. Do contrário corremos o risco de ser meros repetidores da vida alheia e isso a gente percebe com o tempo que não nos faz felizes.

Arrisque-se ao encontro contigo mesmo. Tenha paciência contigo mesmo – pode ser que não se agrade de si logo de cara, mas tenha calma. Não se xingue por razões que você acha justo, com o tempo você percebe que a sua justiça própria é muito cruel e injusta, um tanto preconceituosa e cheia de incorreções que lhe ensinaram como se fossem verdade absolutas… busque ter sabedoria pra lidar com maturidade com os seus próprios erros e com os dos outros. Se estamos vivos essa é a oportunidade de acertarmos muito mais do que errados até hoje. Há uma boa chance de sermos felizes de hoje em diante.

Aparências

menina com a revista com capa de Uggly Betty fazendo como se fosse o seu rosto

A Betty a Feia era muito legal!

Eu sei muito bem que o mundo no qual vivemos tem se mercantilizado e que até mesmo as pessoas estão se produtificando, se coisificando, e até mesmo (em algumas ocasiões), usando as suas redes sociais como uma espécie de vitrine onde se mostram como um algo a ser comprado, conquistado, admirado, bem quisto. Isso é bom ou ruim? Depende do ponto de vista. Tem quem goste. O que eu quero mesmo pensar a respeito é até que ponto a produção de nossas embalagem tem sido útil.

Pois o que nos enxergam por fora tem sido uma imagem do real ou apenas uma mera ilustração? Tem vez que a gente expõe quem é de verdade e outras nas quais faz o jogo do esconde-esconde e deixa vir à tona um mero personagem de ficção realística – alguém que gostaríamos de ser pra que gostem de nós, e às vezes nem gostamos desse personagem que estamos sendo…

Há de se ter cuidados com o que somos e o que os outros pensam que somos. Não precisamos ter tanto cuidado com o que pensam sobre nós, porque não há como ficar regulando o que pensam o tempo todo. As pessoas têm a liberdade de pensar no que quiser. Nós é quem temos de ter o cuidado de pensar com carinho sobre quem somos. Até que ponto a nossa imagem nos ajuda ou atrapalha? – digo, a imagem que formamos. Será que a imagem que a gente cria para os outros mais nos ajuda ou nos atrapalha no amor que podemos ter por nós mesmos?

Um recadinho aos desavisados: Quer me julgar por conta da aparência? Não lhe julgarei além da sua própria escolha. Também já escolhi livros pela capa e perdi belas histórias por causa disso.

Há quem ache a Barbie legal...

Há quem ache a Barbie legal…

Maternida & Paternidade

Maternidade Paternidade - EuGordinha

Ter um filho e ter a possibilidade de multiplicar o amor que temos em nós em outra vida. T’Amo

MaternidadePaternidade EuGordinha

Gordas, Gordinhas & Gordonas

Gordas Gordinhas e Gordonas - EuGordinha

A gorda é o única rejeitada que é preconceituosa com as da sua “própria espécie”. Quer ver? Poste uma foto de mulheres realmente gordas, não gordinhas, nem fofinhas, mas gordas e espere para ver os comentários de outras gordas. São críticas atrás de críticas, umas focam a saúde, outras falam que aquelas não são gordinhas e sim obesas.

Ora, independente se você tem 5 ou 100 quilos acima do peso considerado normal você já é considerada anormal para a sociedade. Então, pra quê apontar e julgar!? Quando fazem com você, como você se sente!? A verdade é que tendemos a julgar os outros como a si mesmo. Se você tanto se importa com o peso alheio e julga o que não lhe é de respeito, é sinal de que sua autoestima está tão destruída que precisa descontar isso em alguém.

Enquanto não nos unirmos, nos respeitarmos e nos aceitarmos mutuamente, nunca seremos vistas! Nos apoiarmos é muito melhor do que nos julgarmos, não é?

Via Carla Souto

Café Pendente – Solidariedade

Cafe_pendente- EuGordinha

Entramos num pequeno café, pedimos e nos sentamos. Logo, entram duas pessoas:
– Cinco cafés. Dois são para nós e três “pendentes”.
Pagam os cinco cafés, bebem seus dois e se vão. Curioso, pergunto:
– O que são esses “cafés pendentes”?
E me respondem:
– Espera e vai ver.
Logo vêm outras pessoas. Três advogados entram e pedem sete cafés:
– Três são para nós, e quatro “pendentes”.
Pagam por sete, tomam seus três e vão embora. Depois um rapaz pede dois cafés, bebe só um, mas paga pelos dois.
Estamos sentados, conversando e olhando, através da porta aberta, a praça iluminada pelo sol em frente à cafeteria. De repente aparece na porta um homem com roupas baratas e pergunta em voz baixa:
– Vocês têm algum “café pendente”…?

» Esse tipo de caridade apareceu pela primeira vez em Nápoles. As pessoas pagam antecipadamente o café a alguém (desconhecido) que não pode permitir-se ao luxo de uma só xícara quente. Deixavam também nos estabelecimentos não só o café, mas também comida. O costume ultrapassou as fronteiras da Itália e se difundiu em muitas cidades de todo o mundo, inclusive no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Via  NacaoJuridica

o Velho, O Menino e o Burro

O Velho, o Menino e o Burro

Um velho resolveu vender seu burro na feira da cidade. Como iria retornar andando, chamou seu neto para acompanhá-lo. Montaram os dois no animal e seguiram viagem. Passando por umas barracas de escoteiros, escutaram os comentários críticos; ” Como é que pode, duas pessoas em cima deste pobre animal !”.

O velho o burro e o menino - EuGordinha Resolveram então que o menino desceria, e o velho permaneceria montado. Prosseguiram…Mais na frente tinha uma lagoa e algumas velhas estavam lavando roupa. Quando viram a cena, puseram-se a reclamar; ” Que absurdo ! Explorando a pobre criança, podendo deixá-la em cima do animal.”

Constrangidos com o ocorrido, trocaram as posições, ou seja, o menino montou e o velho desceu.

Tinham caminhado alguns metros, quando algumas jovens sentadas na calçada externaram seu espanto com o que presenciaram; “Que menino preguiçoso ! Enquanto este velho senhor caminha, ele fica todo prazeroso em cima do animal. Tenha vergonha !”

Pintura do velho do menino e do burro - EuGordinhaDiante disto, o menino desceu e desta vez o velho não subiu. Ambos resolveram caminhar, puxando o burro.

Já acreditavam ter encontrado a fórmula mais correta quando passaram em frente a um bar. Alguns homens que ali estavam começaram a dar gargalhadas, fazendo chacota da cena; ” São mesmo uns idiotas ! Ficam andando a pé, enquanto puxam um animal tão jovem e forte!”

O avô e o neto olharam um para o outro, como que tentando encontrar a maneira correta de agir.

Então ambos pegaram o burro e o carregaram nas costas !!!

Além de divertida, esta fábula mostra que não podemos dedicar atenção irracional para as críticas, pois estas acontecerão sempre, independente da maneira em que procurarmos agir.

texto do velho o burro e o menino - EuGordinha[Colhido na internet]

Por Uma Beleza Não Convencional

Nicole_Kelly EuGordinhaQuando a gente fala de convenções, pode imaginar entre outras coisas, uma porção de gente se reunindo pra decidir o que é ou não aceito e passando a obrigar todo mundo a aceitar que as decisões tomadas é que são as certas e nenhuma outra é aceitável, e boa. Em se tratando de algumas questões éticas, na formulação das leis que regem uma nação isso pode até ser muito legítimo. Mas no que diz respeito ao como as pessoas são, por natureza, em seus corpos, rostos, cor de pele, tipo de cabelo, peso e etc, isso é desleal.

Pois contrariando a todas as convenções possíveis, Nicole Kelly, de 23 anos está provando ao mundo que a mulher pode ser linda sim, por dentro e por fora, independente do seu corpo. Ela não é gordinha, [como é tema comum aqui em nosso blog], mas lhe falta um braço desde que nasceu. O que não a impede de ser uma jogadora de beisebol, dançar e mergulhar, ter concluído seus estudos na faculdade e ter tido a coragem de se candidatar pelo seu estado o Iowa, nos Estados Unidos, para ser uma Miss. No último sábado, dia 8 de junho, ela foi eleita Miss Iowa. Sua beleza superou a deficiência física de ter nascido sem o antebraço esquerdo. Formada em teatro pela universidade de Nebraska-Lincoln, ela se prepara para enfrentar o concurso de Miss America, em setembro.

Inspirado em nota do Catraca Livrenicole-kelly_ EuGordinha

Dia dos Namorados?

doodle Dia dos Namorados

Hoje é dia dos namorados e isso é altamente alardeado em tudo quanto é canto. A mídia se ocupa bem de divulgar esse fato tão logo acabe o dia das mães. Os motivos para se fazer isso, são óbvios: comércio. Dentro dessas motivações e valores, as pessoas se sentem pressionadas a COMPRAR, VENDER e isso pode ser bom, desde que não se manipulem as emoções das pessoas pra que se sintam bem ou mal consigo mesmas por estarem namorando ou não.

Há quem fique até mesmo deprimido por não ter um namorado. Podemos dizer que essa pessoa está sendo fraca diante da mídia? Ei, lembremos que a Mídia faz uma baita pressão. Se muitos de nós pararmos pra pensar que ainda choramos diante de um filme (de mentirinha) não há quem seja assim tão fraco. Desde cedo somos ensinados que deve se amar de um jeito assim e assado, ai de quem foge da cartilha se vê sendo cobrado e crucificado até a morte. Será que cada um de nós não pode aprender com o outro como amar? Há um livro muito interessante sobre o assunto, não só para o amor entre namorados, mas qualquer que entenda que o amor é bom pra viver.

Precisamos ter cuidado com as pressões que a nossa cultura impõe. Não sou contra a comemoração do Dia dos Namorados. Mas quem namora de verdade mesmo, entende que o seu relacionamento, pra ser saudável tem de ser feito e refeito dia após dia. Há certas quebras que podem acontecer no coração mal tratado que são difíceis de curar. Há de se ter cuidado com as falsas regras,, as expectativas falsas e toda falsidade que possa haver nesse sentido.

Aos que estão na jornada de aprendizagem sobre o amor. Feliz dia de viver a vida, amando a si mesmo e compartilhando desse amor com quem se ama!

P.S. A imagem de ilustração é o doodle do Google para o dia dos namorados. É impressão minha, ou o cebolinha que roubou o coelhinho da Mônica, está prestes a ser furtado – e quem conhece a histórias entre os dois já sabe que ele vai tomar uma surra por causa disso. Sem qualquer mensagem subliminar, só coisa da minha cabeça mesmo: Até quando o que chamam de amor tem de ser considerado uma disputa de forças?

Autopiedade

Autopiedade - EuGordinhaAuto-piedade é o sentimento, emoção ou comportamento de pena de si mesmo diante de um evento estressante. É um sentimento associado ao auto-conforto com importante papel nas relações humanas. Pode envolver desde um comportamento breve, ocasional e transtório como comer doces após um dia estressante até um traço de personalidade central expressado mesmo sem provocação ou diante de percepções distorcidas e que causa sofrimento a si e aos outros mas é mantido por um ganho secundário. (Fonte: Wikipédia)

Esse tema já vinha me perambulando os pensamentos faz uns dias. Ai ontem de noite li num trecho do livro que estou amando, ai hoje cedo comentaram comigo a respeito. Diante de tanta gente reclamando do tanto que os outros os fazem sofrer. Já fui assim, não nego, mas… tem uma hora que a gente tem de entender que não dá pra viver o tempo todo se sentindo vítima dos outros. Uma vez ouvi de uma amiga que: “Só fazem com a gente o que de alguma forma permitimos” – e estávamos falando sobre as questões interiores, o modo como lidamos com as emoções e sentimentos despertados. E notei que é assim mesmo. E tem vez que a gente gosta de ficar curtindo uma dorzinha, ficar se sentindo inho, inha, coitadinho, coitadinha, pequenininho, pequenininha, sofridinho, sofridinha… Eu sei que situações traumáticas podem acontecer em nossas vidas, causando dores cujas feridas abertas doem muito toda vez que de algum modo forem tocadas. Mas tem uma hora que a gente tem de dicidir que vai ficar curtindo isso, ou se vai tratar. Andar meio mundo com um espinho no pé não é muito inteligente… aliás, quem tem espinho no pé, quando anda, não anda muito… deixa a vida atravancada, sem muitos acontecimentos dos mais gostosos de se viver. Eu sei que é uma aprendizagem virar o jogo nesse sentido, mas o bom é que, é POSSÍVEL. É bom ter isso em mente. Um coração partido, por mais dolorido que tenha sido, tem cura. Ainda estou em proceso de cura em muitas pequenas áreas de minha vida, mas já fui curado em muitas coisas, por isso acredito em um coração 100% saudável. Prezo por isso, e espero que meus leitores por aqui também compreendam e queiram isso para as suas vidas.

Forte abraço pra quem dele carece pra vencer mais um dia!

23 tipos de homem que não valem a pena investir

Alerta nunca é demais quando realmente faz algum sentido. A quem mereça ouvir, ler, pensar e etc…

23 tipos de homem que não valem a pena investir

Exibido, neurótico, egoísta, workaholic e outros tipos de boy para passar longe

Você está ficando, namorando ou interessada em um boy que todas as suas amigas falam que não te merece, mas você insiste em achar que é apenas implicância da parte delas?

Se liga então nos principais tipos de homens à solta por aí, e se você se identificar com mais de uma das opções, comece a cogitar dar um pé na bunda do boy, afinal, as chances de ele não te merecer mesmo são grandes. E claro, nunca se esqueça que o amor é cego:

1. Boy lixo

Se o cara insistir em te chamar para sair somente às segundas ou terças-feiras à noite, fique de olho, pois onde há fumaça, há fogo. A maior parte dos caras que estão em um relacionamento sério passa o fim de semana com as namoradas, e durante a semana procura danadas para dar uma fugidinha.

2. Boy exibido

Prefere namorar uma menina bonita com cara de modelo, que causaria inveja a todos os amigos, mesmo que chata e sem conteúdo algum, ao invés de arrumar uma namorada gente boa para ser brother no rolê.

3. Boy egoísta

Sempre marca rolês com os amigos dele – e você sempre vai com um sorriso no rosto -, mas quando chega a sua hora de levá-lo para sair com a sua galera, ele arranja uma desculpa ou vai e fica de cara feia. Ou pior, nunca te convida para sair com os amigos dele. Vai sempre sozinho, te exclui do rolê e só pensa nas coisas dele.

4. Boy carente

Sempre chama uma terceira, quarta ou quinta pessoa para sair com vocês; parece nunca estar satisfeito apenas com a sua companhia, resultando em zero rolês de casal e/ou românticos no fim do mês.

5. Boy perdido

Fica a semana inteira no seu pé te chamando para sair, e na hora do vamos ver, te dá um perdido.

6. Boy Call

Apesar de todos adorarmos um boy call, a situação passa a não ser legal quando vira lei. Se o boy só te liga de madrugada ou aparece no fim do rolê, dê um pé na bunda, afinal, ninguém merece ser a última opção.

7. Boy enrolado

Se você está ficando com um cara comprometido, que faz juras de amor eternas pra você e promete que vai terminar, mas nunca põe um ponto final na relação, se liga, pois as chances de ele ser um babaca são absolutas.

8. Boy da mamãe

O típico filhinho da mamãe, que muitas vezes não percebe que ela mais ajuda do que atrapalha no relacionamento. Além de ser mimado, segue às riscas qualquer conselho banal que a mãe sugerir.

9. Boy dazamiga

Ter amigas mulheres nunca foi e nem será um problema para o seu relacionamento, o problema é quando o boy não tem amigos homens e sempre vai dar rolês com as meninas – e você ainda tem que agüentar isso quieta.

10. Boy marrento

Tem cara que parece ter tesão em brigar; não pode ver um boy olhando para você, que já voa pra cima e parte pra briga. Esse tipo de homem só traz problema.

11. Boy intenso

Saiu com você uma vez e já pede em namoro e compra aliança – af, por que né?

12. Boy mentiroso

Mente sem ter o menor motivo, apenas por mentir. Cuidado, isso pode ser doença.

13. Boy vítima

Está fazendo merda, mas sempre arruma uma forma de inverter e fazer você se sentir culpada – e ainda pedir desculpas.

14. Boy brocha

Só quer saber de transar na hora em que der na telha dele, e na maior parte das vezes não se importa em te satisfazer sexualmente.

15. Boy depressivo

Está sempre pra baixo, não quer sair de casa e qualquer briga ameaça se matar – sim, eles estão à solta.

16. Boy ciumento

Tem ciúmes de tudo e de todos, acha que você é a maior vadia do pedaço e que vai dar para o primeiro macho que passar.

17. Boy Fresco

Nada nunca está bom o suficiente para ele; se acha melhor que todos e não curte se misturar.

18. Boy hipócrita

Quer que a namorada seja uma dama – e se vista como uma. Não aceita nenhuma forma de inovação entre quatro paredes, pois não quer namorar uma “prostituta” – prefere uma menina frígida para trair, do que uma gostosa para exibir.

19. Boy esconde-esconde

Parece ter vergonha de aparecer em público com você; estão juntos há mais de ano, mas evita ter qualquer forma de interação com você no Facebook, ou chegar ao rolê de mãos dadas.

20. Boy workaholic

É aquele que só pensa em trabalho. Sai tarde do escritório, trabalha de fim de semana e no tempo livre só quer descansar e dormir para recuperar as energias. E você, onde fica nisso?

21. Boy Sem Objetivo de Vida

Aquele cara que não trabalha, não estuda e vive sem objetivo algum de vida. Sai dessa ou você acha que isso vai mudar um dia?

22. Boy Fútil

Só sabe falar de academia, carro importado e mulheres gostosas. Vai para a balada de camarote, compra a bebida mais cara só para atrair mulheres e mais mulheres. Presta atenção, porque você só vai ser mais uma.

23. Drunk boy

Não consegue passar um dia sem beber, e sempre que vocês vão para o rolê, ele acaba passando do limite e ficando muito bêbado; fazendo você passar vergonha e até ter que cuidar dele.

Sim, 23 opções de boys diferentes que não valem a pena nem tentar é um número alto, que parece ainda maior quando a maioria dos homens solteiros tem muitas dessas características. Porém, não importa o quanto você vá sofrer, mais vale um pé na bunda bem dado do que uma mulher que não se valorize.

Via ObaOba

Das Maravilhas do Corpo

imagem meramente ilustrativa

imagem meramente ilustrativa

Ganhei esse texto de presente e resolvi compartilhar. É atribuído a Maitê Proença, a atriz. Como não achei o título, resolvi eu mesmo inventar um…

Das Maravilhas do Corpo

por Maitê Proença

Quando sombras obscurecem perspectivas e que o corpo se retrai vencido, eu digo: não deixo! Postura corporal é coisa séria, e a má postura vicia. É bom prestar atenção, porque uma curva para dentro, um pescoço tombado, a cabeça que olha pro chão, tudo isso vai deprimindo a gente.

Ok, você ficou assim porque as dificuldades pesaram sobre o corpo. Mas se quiser ter ânimo para cuidar das dificuldades, sugiro que comece por abrir o plexo solar (aquela espécie de moleira que existe entre os seios); o peito precisa ‘olhar’ para o sol, pro céu, o pescoço tem que estar comprido, a coluna ereta. E respire, respire fundo. Interrompa o batidão e perceba-se. Tire 30 segundos, um minuto. É impossível se sentir mal durante uma respiração profunda, ela leva embora os dramas do dia-a-dia. Experimente várias vezes e evite que o pesos se sedimentem.

Outra coisa, mais doida um pouco, e que funciona lindamente é rir. O mestre indiano Osho ensinava a meditação do riso. É difícil, no começo, rir sem motivo por cinco minutos a cada manhã, mas a eficiência é notória, e com o tempo, pega-se o jeito. Um minuto disso, a qualquer hora, já produz transformações. A prática segue o mesmo princípio do cuidado postural: que normalmente seria uma reação, passa a ser o agente, o motivo, a ação. Você abre o peito, se estica, espreguiça, inspira fundo, e… fica contente. Você ri quando quer chorar, e… o que antes transtornava vira um tropeço do caminho.

Tente. É fácil!