Ogros & Ogras

Ogros e ogras - EuGordinha

Há uns carinhas que são assim… meio ogros. Eu sou um deles. Sei lá, acho que já engoli tanto sapo na vida que hoje em dia não dou mais conta. Já fui muito de calar a boca diante de algo errado que estavam pra fazer comigo e depois sofrer as consequências calado. Hoje em dia as coisas estão melhores… Não é que eu saia brigando com as pessoas por ai, xingando os motoristas que fazem zuada na rua, ou a Política que ao invés de fazer o que foi feita pra fazer não faz. (Risos) Hoje em dia eu estou meio ogro no jeito de ser. Eu disse que há uns carinhas ogros, mas também há umas meninas que são ogras. Sabia que um pouco de grosseria de vez em quando é bom? Tenho de me explicar, sob pena de martírio desnecessário. Pois então, pra muitas coisas na vida é necessário ser verdadeiro. Pra outras eu dou a vez a outros que queiram. A verdade é dura e ela deve/pode ser dita. Não estou falando sobre atirar pedras no telhado de vidro dos outros, tendo o nosso próprio exposto em sua fragilidade. Não estou dizendo de jogar verdades na cara dos outros como se jogasse pedras. Quem age assim ainda não amadureceu o suficiente. Não estou falando também sobre expor a vida alheia ou própria motivado por raiva ou com vontade de ferir uma pessoa que nos feriu. Pra falar a verdade, fazer uso da verdade em palavras como arma de ataque ou contra-ataque, não é nada sábio e nenhum pouco saudável. Eu chamo de ser ogro, ou ogra, de maneira saudável, quando a gente não usa das mentirinhas sociais só pra ficar bem com os outros, agradando a quem não precisa ser agradado às custas da nossa própria vontade e liberdade.
Muitas vezes a gente tem medo de magoar os outros mas se deixa ser magoado por eles. Quando acontece isso, algo está errado. Novamente eu digo, não estou falando sobre ser grosseiro de propósito, mas tem atitudes nossas que são encaradas como grosseria pelos outros. Tenha muito cuidado com isso. Algumas pessoas nos chamam de grossos, mas no fundo só querem nos fazer sentir um pouco culpados para então nos manipular com base em nossa culpa, cutucando a nossa ferida e nos fazendo reféns do medo de não agradar, só pra que seus egos continuem sendo alimentados em suas vontades. Será que fui claro? O assunto é um tanto delicado. Talvez volte nele mais vezes.

Vítima de Nós Mesmos

Vítima de Nós Mesmos - EuGordinha

Todos nós em algum momento da vida pode ter sido (ou ainda estar sendo) vítima de um modo errado e estranho de pensar. Um preconceito, por exemplo, é um modo estranho de pensar. Não apenas porque promova exclusão e tristeza ao coração das pessoas, mas porque é um pré-conceito. Conceitos são ideias formadas sobre algum assunto, qualquer que seja. Pré-conceitos, são ideias pré-formadas tomadas como se estivessem completas, influenciando o modo como a pessoa vai pensar… e consequentemente agir. Há muito de nossas atitudes que são tomadas no automático – a gente nem percebe o que nos motiva a agir de um jeito ou de outro. Mas muito do que a gente faz é resultado direto do modo como estamos pensando.
Pois então, algumas pessoas são vítimas dos seus pensamentos. Por exemplo, achar que a vida NÃO VAI MUDAR, que tudo sempre se repete na sua vida, então vai ser desse JEITO PRA SEMPRE. Entre outras coisas. A vida sempre muda. Não é porque não deu certo de um jeito que não vai dar de outro. Aliás, muitas vezes acontece de termos o mesmo resultado por estarmos sempre seguindo a mesma receita repetida de sempre no modo de fazer as coisas – esse princípio serve pra quase tudo na vida… É preciso saber, ou pelo menos entender que a nossa visão sobre as coisas pode ser limitada, não nos deixando perceber outras POSSIBILIDADES. por exemplo, não é porque uma coisa está na moda que ela se torna a única possibilidade de Beleza. O que é belo ou não depende do nosso gosto pessoal, das nossas preferências, das nossas vontades… o senso comum é uma outra coisa, o se deixar ser Maria-vai-com-as-outras é uma outra história. Podemos ser Senhores e Senhoras dos nossos destinos, quando e como quisermos. A começar pelo mundo interior. Há quem possa Podem prender o corpo, tapar a boca, calar a voz. Mas ao pensamento não conseguem prender NUNCA – só quando há PERMISSÃO pra isso.E por incrível que pareça, algumas pessoas ainda permitem um aprisionamento assim.