Como se Olhar

Muito do que vemos em nós na maior parte das vezes é tremendamente influenciado pelo que disseram a nosso respeito. A gente não nasce com uma visão muito acertada de quem somos. Faça a experiência de por um bebê diante de um espelho. Em alguns momentos eles se comportam como se o próprio reflexo fosse uma outra pessoa. Não é muito diferente com a gente. Muitos de nós está acostumado a receber dos outros uma opinião de quem somos e alguns (a maioria, infelizmente) acaba aceitando pra si mesmo a opinião do outro como se fosse uma verdade absoluta. Muitas pessoas passam a vida inteira sofrendo com uma auto imagem pobre, porque disseram pra eles que eram feios ou isso ou aquilo, palavras de desprezo e desvalor.

Dá trabalho nos olharmos no espelho e reconhecermos quem de fato somos. Mas é um trabalho que é bem recompensado. Até mesmo no quesito FEIO ou BONITO, é complicado tirar a venda dos olhos e ver por nós mesmos. Porque em toda época alguém se levanta pra dizer que bonito é isso e feio é aquilo e vice-versa. O ruim é que de tempos em tempos o que é feio ou bonito muda e ai mudam-se as roupas, os cortes e cores de cabelo, os modo de falar e agir e etc e tal. Melhor do que isso tudo é ser quem realmente somos. Independente da opinião alheia. Mas isso dá trabalho e pode ser muito desgastante a princípio e somos por natureza preguiçosos. Só mesmo quem já está cansado de sofrer por dentro é que decide tomar a atitude de pensar e agir por conta própria, em defesa de si mesmo e a favor da própria felicidade. As recompensas são pra lá de gratificantes.

"Como os outros o vêem não é importante, como você se vê significa tudo"

“Como os outros o vêem não é importante, como você se vê significa tudo”

Sobre a verdade

“Todo ponto de vista é a vista de um ponto” (Leonardo Boff)

Muitos de nós se precipita ao arvorar uma verdade incompleta e fazer pouco caso da verdade incompleta dos outros.

 

Das Mudanças Por Dentro

“O mundo muda quando a gente muda por dentro.” (Leonardo L.)

Praticamente tudo o que vemos no mundo e que não é natural, foi existente em algum momento dentro da cabeça de alguém na forma de uma ideia. Todos os objetos que tocamos, veio a idealização de uma pessoa que diante de uma necessidade, inventou o que precisava.

Não só os objetos que cabem nas nossas mãos e diante dos nossos olhos são realizações possíveis, como também canções, histórias, sentimentos. Muito do que há no mundo de bom pode vir de dentro de nós. Na mesma medida que também entra em nós, quando buscamos por isso.

Ao invés de só receber o que há de bom (e o de mal, pois que o mal também acontece no mundo e pode acabar caindo pra dentro de nós mesmo sem querermos), podemos ser do tipo de pessoa que faz da vida um algo acontecente. Podemos inventar modos de sermos felizes e aproveitar cada uma das pequenas alegrias que nos surjam pelo caminho. Noutro dia ouvi que a felicidade não é um destino final no qual chegamos, mas um modo de estar caminhando. Que seja então assim, passo a passo, um jeito de andar que se inventa e se reinventa se necessário. E que no dia de hoje as mudanças interiores se façam realizações palpáveis.