Página de Diário: 8 de março – Dia Internacional da Mulher

Eu sei que já dei muitos parabéns para as mulheres nessa data de hoje, mas de uns tempos pra cá esse dia me parece mais motivo de tristeza do que de felicidade. Mas ainda assim, é melhor que haja um dia no qual se lembrem das mulheres do que nenhum dia, né? Ontem mesmo ouvi uma notícia dizendo que em muitos trabalhos feitos por homens e mulheres, os salários das mulheres é menor. Em consultorias, por exemplo, a diferença chega a ser de 60%. Dá vontade de jogar uma bomba em algum lugar pra explodir alguma coisa e ver se a raiva passa. Nesse momento entendo os que fazem terrorismo, como se a violência fosse a única forma de resolução de problemas que aparentemente de modo pacifista não dão conta. Mas sei que não resolveria explodir coisa nenhuma, pelo menos não nesse caso. Einstein disse que “É mais fácil dividir um átomo do que um preconceito”, e olha que existe muito preconceito contra as mulheres. Acompanho os movimentos de empoderamento feminino, é tema que me interessa e muito! Digo dos empoderamentos reais e não aqueles que só querem jogar maquiagem na cara das meninas, dizer que elas estão lindamente aceitáveis para os padrões definidos não se sabe por quem, e as jogam no mundo desse jeito e só. Sou a favor do empoderamento de verdade, aquele que faz a mulher pensar de modo livre e consciente de que ela é de fato poderosa pra fazer o que quiser da vida – embora isso signifique que ela poderá ter um mundo contra ela e poucos a favor, o pensamento machista ainda está impregnado em muito do que temos na sociedade. Muito do que eu sei de mais importante na vida eu aprendi foi com as mulheres e não com os homens. Desde a minha mãe, passando pelas professoras, amigas, escritoras, artistas e pensadoras, umas que sequer souberam de minha existência tendo em vista que já morreram… algumas morreram mesmo antes de eu nascer, não souberam nem sabem, as que ainda vivem, do legado de construção que deixaram dentro de mim. Clarice Lispector me salvou da morte, quando no auge de uma depressão, cheio de pensamentos suicidas eu combinei que só morreria depois de ler toda obra dela… Não li pra não gastar tudo e ficar de vez órfão dessa escritora que tão bem sabe como retratar a alma humana e principalmente feminina. Deu tempo de fazer terapia com os textos dela e outros, redescobrindo a vida e o mundo e achando novos motivos pra viver. Noutro dia lendo um livro da Regina Navarro, fiquei sabendo que na História da Humanidade, homens e mulheres já viveram em condição de igualdade na sociedade de então. Não havia guerra dos sexos, pra um provar ser mais forte do que o outro, mais sensível do que o outro, mais importante do que o outro. As diferenças se complementavam e a sociedade conseguia fluir mas dentro do que entendemos ser justo. Daí em algum momento o homem se achou mais importante do que a mulher pelo fato de ter ele a “semente” com a qual multiplicar a população e por conta disso toda uma série de ações foram tomadas no sentido de colocar a mulher na condição de objeto a ser usado para procriação – foi assim que entendi, olhando o contexto de todos os fatos históricos. O homem passou a exercer controle sobre a mulher por causa da natalidade e entendeu que o domínio sobre a mesma significava o domínio sobre a força de trabalho que da mulher viesse por meio de seus filhos. Nesse ponto da reflexão muita gente talvez já tenha abandonado esse textão aqui, pois no dia de hoje por qual motivo a gente pensaria na mulher em si, de verdade? Ainda há muito o que conquistar para que a mulher tenha de fato a liberdade da qual é digna. Liberdade sobre seus ganhos, seu corpo, seus pensamentos, sua forma de sentir o mundo e a si mesma. A legislação brasileira (e a de outras partes do mundo, tendo em vista alguns casos jurídicos de que tive notícia), não privilegia a mulher como sendo um ser humano em iguais condições de existência com um homem para responder judicialmente. As leis brasileiras referentes ao casamento e o divórcio, não são igualitárias; se o texto for lido com o mínimo de bom senso vai se notar nele que a mulher é tratada como um tipo de propriedade que pertence ao homem com o qual vai se casar. A Justiça não é justa no todo para com as mulheres! E o irônico é que as leis não surgem do nada, são feitas por nós, humanos…. homens e mulheres. Me diz, vou comemorar o que no dia de hoje? Hoje é um dia memorial pra relembrar todas as mulheres que venceram onde já deveriam manifestar a sua excelência sem precisar de luta. É bom relembrar hoje as mulheres que se sacrificaram para que outras tivessem direitos que deveriam ser naturais, mas todo um sistema criados a séculos não legitima, a não ser que hajam movimentos a favor ou contra o que tem de ser. Entendo as mulheres que são homoafetivas por declarado motivo de terem se decepcionado com homens que não as souberam tratar como deveriam, eu não as julgo como já fiz ignorantemente um dia. Entendo as mulheres que sofreram o abuso de seus corpos estuprados e diante da truculência do Estado num atendimento hóstil para com a vítima, fazem com que a mulher se sinta a culpada quando na verdade é vítima. A tal cultura do estupro ainda infecta muitas mentalidades. Dá ou não dá vontade de jogar uma bomba em alguns lugares? Entendo muito bem quem faz terrorismo, mas não concordo com seus métodos. Há formas muito mais violentas de fazer protesto de modo a trazer resultados reais. A raiva, o ódio, a indignação, a revolta, podem ser usadas como energias convertidas em forma de consciência, conhecimento, sabedoria e ação prática, na direção de mudanças para que haja liberdade, em todos os sentidos – não apenas financeira (que é o que muitas mulheres precisam pra entender que não há cabimento em estar submetidas a um casamento falido onde o homem se coloca como o provedor do lar, sustentador dos filhos e opressor da mulher que muitas vezes se sente uma puta, por ter de se deitar com um homem que não ama, mas a coibe de tomar uma posição onde se sinta digna e possa ser de fato feliz. Muitas mulheres se sentem obrigadas a ter uma vida medíocre por não terem consciência do quanto podem gerir suas próprias posses ou mesmo adquiri-las por si mesmas). Quem quer que eu fique feliz e comemore o dia das Mulheres? Vou comemorar a vitória anônima que comigo for compartilhada das mulheres que todos os dias se esforçam pra mudar suas próprias vidas e caminham no sentido da liberdade desejada. Vou continuar fomentando e instigando a força interior que move a vida das mulheres que quiserem ser felizes na conquista de seus ideias reais e não apenas ilusórios. Ainda é preciso que muitas mulheres tomem nas mãos a responsabilidade de mudar os seus destinos e decidam dar um rumo em direção à felicidade, ao invés de se conformarem com uma vida medíocre, muito abaixo do que poderiam viver em termos de qualidade. É preciso que as mães entendam que não é muito útil criarem suas filhas para que sejam apenas princesinhas prontas para se encontrar com um príncipe encantado e cuidar de um reino. As mulheres podem ser conquistadoras dos reinos que quiserem e para isso não precisam estar submetidas ao domínio de um príncipe ou rei que seja. Cada qual pode escolher o destino que quiser e se esforçar para a concretude do mesmo, para que não viva apenas uma vida de sonhos aparentemente impossíveis de realizar. Muitas mulheres hoje em dia sofrem opressão em suas mentes e corações, por terem sido entulhadas, soterradas, com ideias falsas sobre como deveriam ser em seus corpos e mentes para que fossem aceitáveis e amáveis, desejáveis e queridas. Vou continuar lutando com palavras e ideias, não precisarei explodir bomba em canto nenhum a não ser dentro das mulheres que precisam demolir as velhas estruturas de pensamento que só as fazem se sentir e ser como se fossem prisioneiras de um sistema injusto que não privilegia sua felicidade. Parabenizo não apenas hoje, mas em todos os dias que eu ver manifestação de vitória, a cada mulher em quem admiro o esforço pela mudança. Que haja mais liberdade e mais possibilidade para ser feliz na vida, em cada mulher que existe no mundo! Esse é meu desejo hoje, amanhã e depois. — Leonardo Almeida

Anúncios

2 respostas em “Página de Diário: 8 de março – Dia Internacional da Mulher

  1. Boa tarde!!!
    Como sempre, belíssimo texto.
    Sou uma pessoa que a muito tempo a trás me ajudou a fazer um blog, como o tempo foi se passando perdi o acesso do mesmo.
    Gostaria de saber se consigo recupera-lo?
    Aguardo seu retorno EuGordinha
    Grata.

Comente...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s