Sobre EuGordinha

Quando eu nasci a minha mãe me disse: Linda!

Uma Vida Repleta do que nos Faz Bem

O que te Faz Bem?

Nossos pensamentos são uma das fontes que temos na vida de onde surgem as coisas que compõe a nossa REALIDADE. O que é REAL na sua vida, sempre vai passar pela sua mente, você sempre vai PENSAR naquilo que considera ser uma realidade.

Sendo assim, você pode ESCOLHER em qual realidade viver, na medida em que escolhe em quais ideias pensar e quais ideias dispensar. Faz sentido pra você?

Algumas ideias nas quais pensamos tem o poder de elevar nosso emocional nos dando uma energia para ficarmos motivados e agindo em prol de nossa felicidade e Bem Estar, seja físico ou mental.

Outras ideias acabam nos abatendo e nos deixando mais tristes do que o que seria o suficiente para nos fazer reconhecer que precisamos mudar para melhorar. O que acontece quando num jardim acidentalmente sua mão esbarra num espinhal e no seu dedo a dor indica que há um espinho? A gente não procura uma forma de arrancar o espinho de onde ele causa ferida e dor? Algumas pessoas mesmo sentido dor física e emocional, continuam seguindo na vida como se não estivessem com um espinho encravado em seus corações. Essas pessoas nem sabem que existe um mal prejudicando suas vidas. É como se fosse um tipo de cegueira.

Algumas pessoas mantêm um padrão de pensamento cheio de ideias que sempre a colocam pra baixo e a fazem se sentir mal consigo mesmas. E isso acontece simplesmente porque essas pessoas ainda não atentaram que podem TROCAR alguns pensamentos por outros e assim começar a trilhar um novo caminho na vida, mais excelente e mais feliz!

Faça sua escolha hoje e perceba em quais pensamentos vai permanecer caminhando e quais vai abandonar hoje mesmo, agora mesmo.

Abraço pras amiggas!

 

Política – Você Faz?

Não precisa ser um homem político ou uma mulher política para fazer Política. Não é necessário ser vereador ou vereadora, prefeita ou prefeito, deputado ou deputada federal ou estadual, senadora ou senador, ministra ou ministro, presidente da república, para exercitar ações políticas.

Politica - EuGordinha

A Política é feita toda vez que algumas pessoas se reúnem para decidir o que pode ser feito para que haja um benefício em comum. Uma comparação bem simples, de como a Política funciona é quando um grupo de pessoas decide que vai fazer uma festa no sítio de um amigo em comum. Lá tem piscina, churrasqueira, um campo de futebol, alguns quartos. Vários amigos vão estar presentes no final de semana para se divertir e comemorar um aniversário.

Festa no sítio - EuGordinha

Quando o grupo decide que quer fazer a festa nesse lugar, o proprietário permite com certas condições: A integridade física do local deve ser mantida, a higiene dos cômodos, o estado do jardim e da piscina e tudo mais. Sendo assim o grupo se reúne e entre eles, escolhem quem vão ser os responsáveis para que a festa aconteça da melhor forma possível. Esses responsáveis vão ser os líderes de grupo. Qual é o objetivo da festa? O que vai ter nessa festa? O que vai ser feito? Quem vai fazer? Quantas pessoas vão participar? Por quantos dias? Quais tipos de alimentos e bebidas o grupo como um todo vai querer? Como vão se acomodar? Cada membro do grupo vai ser responsável por fazer que tipo de coisa e quando, de que modo? Quais resultados são os desejados pelo grupo? Como esses resultados podem ser alcançados? Quanto vai custar para fazer com que tudo aconteça? Quantos vão pagar qual quantia? As respostas para cada uma dessas perguntas pode determinar o que vai ser feito para que a festa aconteça.

políticos brasileiros - EuGordinha

A Política de uma nação deveria ser uma prática feita na “Polis”, na cidade, onde cada membro da sociedade, cidadão, fosse responsável pelo que vai ser feito em prol do bem comum. Agora no Brasil, uma mentalidade que existe e já faz muito tempo e está muito arraigada nas pessoas, é a de que os líderes escolhidos por meio do voto são os únicos responsáveis pelo sucesso ou insucesso da sociedade, nas ações que se aplicam para com a coletividade, seja por meio das leis estabelecidas (as regras do que deve ser feito ou não, as punições para quem não faz o que se determinou e etc), ou seja por meio de outras atitudes. Muitos brasileiros reclamam dos políticos mas não aplicam a Política em suas próprias vidas. Há quem briga nas redes sociais por causa de Política, mas não usa uma vassoura para limpar a calçada diante de sua própria casa, na rua onde mora. Por incrível que pareça, tem gente que joga lixo no chão pois tem a pobre mentalidade de pensar: “Pago meus impostos para que o pessoal da limpeza urbana limpe o que estou jogando aqui no chão”. Tem gente que pensa assim…

limpeza urbana - EuGordinha.jpg

Não seria mais sensato se cada um de nós resolvesse cuidar dos próprios problemas a fim de resolvê-los e percebesse que para isso, é necessário também cuidar de resolver os problemas dos outros que estão ao redor, pois tudo está interligado e interdependente? Essa rede na qual estamos inseridos, chamada sociedade, sobrevive quando uns ajudam os outros mesmo quando não se conhecem. Recentemente a classe de trabalhadores de transporte de carga, os caminhoneiros, fizeram greve nacional reinvidicando melhores condições de trabalho. Todas as pessoas do país sentiram de um jeito ou de outro os efeitos da falta que fez o trabalho de um determinado número de pessoas.

greve dos caminhoneiros - EuGordinha

Quando a Economia de um país vai mal, isso significa que uma grupo grande de pessoas por algum motivo decidiu que era melhor não comprar, não vender, não produzir e não movimentar os bens de consumo e o dinheiro que conquistaram. A falta de circulação dos bens, causa as crises econômicas, o que acaba atingindo todas as pessoas de um jeito ou de outro.

Crise economica no brasil - EuGordinha

Tendo em vista esses poucos exemplos que citei, qual seria a importância de nos envolvermos com a Política de alguma forma? Será que apenas o ato obrigatório de votar, num sistema chamado de democrático, onde teoricamente o poder é do povo… será que apenas votar é a atitude política que podemos ter?

Minha intenção com esse texto é trazer você à consciência de que também é responsável pelo seu próprio bem estar, pelo bem estar das pessoas que você ama e das pessoas que você nem conhece mas que fazem parte da comunidade onde você vive. Quem são os representantes dos seus interesses, das suas necessidades, dos seus direitos, que você vai escolher para atuar na Política da nação? Como você poderia contribuir para que o processo acontecesse objetivando o bem de todos? Seria muita utopia de minha parte pensar que é possível mudarmos a nossa vida com as respostas para essas questões? Eu não acho que seja utopia, não. Tem a ver mais com a sua e a minha vontade. Tem a ver com o que chamamos de vontade política.

Cabe a cada um de nós sermos responsáveis pelo país no qual a gente quer viver. 

 

Amar é como Semear

Amar é como um plantio, a gente semeia e sempre colhe, não necessariamente no mesmo lugar em que plantou. O amor é de uma amplidão tremenda, abrange todas as áreas de nossa vida e do Universo, por assim dizer. Me arrisco dizer que tudo o que se move pode ser afetado pela energia do amor. Tudo o que está vivo inclusive. Quanto mais nos damos conta dessa dimensão, mais crescemos por dentro, em nossa consciência e em nossa capacidade de atuação na vida. Melhor nos tornamos.

Agora, amar algumas pessoas e esperar que essas mesmas sejam gratas e reconheçam o que fizemos nos retribuindo, pode ser uma expectativa frustrada. Nem todo mundo que recebe algo de bom amadureceu ao ponto de retribuir, ou pelo menos ser grato.

A quem ama cabe amar na alegria de saber ser capaz de dar algo mesmo que não recebe de volta a mesma bondade. Semear amor sempre frutifica, mas nem sempre no mesmo campo onde se plantou.

Amar é Plantio - EuGordinha

Semeia sem cansar, pois no tempo certo, colherá.

 

Milagre

Podemos chamar de milagre tudo aquilo que a ciência ainda não tem registros em sua busca pela verdade.

Manga com Leite, Mata?

Achei essa imagem numa fanpage de humor…

Veja como são as coisas… durante muito tempo foi dito que chupar manga e tomar leite era mortal. Uma forma de se envenenar, querendo ou não! Já que estamos em setembro, mês no qual as autoridades de saúde, inclusive mental, estão em campanha contra o suicídio, contra a depressão, é bom que seja dito: Querer se matar é um desejo natural de quem não consegue mais ter prazer na vida e a dor se tornou insuportável. É algo compreensível, quando muito se sofre na vida e não se enxerga meios para eliminar o sofrimento. Quem tenta se matar na verdade tenta eliminar a dor que sente, pois esse tipo de dor que leva uma pessoa a desejar a morte é muito profunda. Caso você que está lendo esse texto esteja com tais pensamentos, busque ajuda médica, profissional. Dor emocional é tão importante quanto dor física, na hora de ser avaliado qual tratamento médico deve ser aplicado na busca pela saúde… leia até o fim pois o conteúdo desse texto também pode te ajudar! 🙂

Como eu dizia no começo, muitas pessoas ainda acreditam que manga com leite é uma combinação mortal para o organismo. O que essas pessoas não sabem é que essa suposta verdade foi inventada pelos portugueses nos idos tempos do Brasil colônia. A natureza era muito mais rica na produção das mangas, nos locais onde os portugueses tinham suas fazendas e exploravam o trabalho escravo dos afrodescendentes. Para evitar que esses mesmos escravos entrassem nas cozinhas e roubassem o leite, que era um alimento destinado apenas para elite de então, foi dito aos negros que tomar leite e comer manga era veneno. Sendo a manga um alimento praticamente gratuito nas fazendas e o leite, resultado de um trabalho com o gado.

Desde então essa verdade inventada foi passando de geração em geração até chegar nos dias de hoje. Ainda hoje há quem tenha medo de comer manga e depois beber leite, ou mesmo fazer a mistura por meio de uma vitamina. Mas agora que você já sabe a verdade, pode decidir se prova ou não, dessa combinação de dois alimentos que não são venenosos (pelo menos para a maioria das pessoas… se levarmos em consideração os alérgicos ao leite ou a manga).

Essa questão da ‘Manga com Leite é veneno’, me fez pensar que, há muitas outras verdades inventadas nas quais as pessoas acreditam e por conta dessas crenças acabam por não vivendo uma vida plena. A tal depressão da qual falei logo no começo do texto, pode ser resultado de uma porção de pensamentos que a pessoa foi acumulando, criando verdades distorcidas, as quais acabaram por levar a pessoa ao que chamamos de fundo do poço.

Eu usei o termo verdade inventada, pois é bem conveniente, ao invés de dizer logo de cara que é uma mentira. Você sabe o quanto é ofensivo chegar pra uma pessoa e dizer que a verdade na qual ela acredita é uma mentira? É muito delicado. A gente não gosta de se sentir enganado. Frustração, raiva, tristeza, normalmente são essas emoções negativas que incomodam uma pessoa que foi enganada.

E se boa parte das verdades nas quais você acredita não passassem de verdades inventadas? O que você faria? Como o assunto pode ser longo vou tratar dele noutro momento.

O que podemos fazer agora é aproveitar o sabor da manga com leite se assim quisermos, sem o medo de que a nossa vida seja abreviada.

Beijo pras amiggas!

Você Sabe o que é Discurso de Ódio?

Discurso de Ódio

É quando uma pessoa (ou um grupo de pessoas) incentiva a violência ou o ódio, promove ou incita a que se rejeite ou menospreze outra pessoa ou grupo de pessoas, por alguma característica que geralmente não é o que o padrão diz ser aceitável. Padrão esse que aceita ou não alguma coisa, de acordo com conveniências que podem mudar ao longo dos anos, como a História nos mostra.

O discurso de ódio desumanina indivíduos por causa da raça, etnia, nacionalidade, religião, sexo, identidade de gênero, idade, status social, orientação sexual, deficiência ou doença…

Quem pratica o ‘discurso de ódio’ ainda não amadureceu o suficiente para compreender que a sua própria vida está inserida num emaranhado onde TODOS somos colaboradores para que a vida aconteça – e os amadurecidos desejam que a vida aconteça o melhor possível.

‘O discurso de ódio’ é resultado de um coração que em algum momento foi ferido de tal forma que a ferida não tratada apodreceu. As palavras de ofensa e os xingamentos são o cheiro da podridão que há na alma dessa pessoa. Ou seja, é um tipo de doença da alma. Mas ainda há Esperança! Existe cura pra isso, ainda bem!

Da mesma forma que algumas pessoas se organizam, recrutam e radicalizam com uma eficiência terrível, inclusive usando os meios virtuais para fazer isso; creio que podemos também nos ORGANIZAR, RECRUTAR e RADICALIZAR promovendo um “Discurso de Amor”. Parece piegas pra ti? Então pode ser que algo esteja fora do lugar dentro de ti.

Num mundo onde há tantos que se deixam levar pelas ondas da moda, que influenciam as pessoas para que sintam e pensam no piloto automático, fazendo o que é da vontade de uns poucos ao invés de viver sua plena liberdade, eu te convido a agir por conta própria decidindo ser uma das pessoas que ao invés de engrossar o caldo do discurso de ódio, seja uma pessoa que passe a discursar o amor.

Todo mundo tem dentro de si nem que seja uma gota de amor.

O oceano é a soma de muitas gotas.

Se você concorda com esse movimento, pode usar a hashtag: #DiscursoDeAmor e por meio dela começar a compartilhar conteúdos que tornem as pessoas mais felizes pelo simples fato de existir.

Eu começo meu “Discurso De Amor” agora! Você também pode começar o seu.

Compartilhe essa mensagem nas suas redes sociais se você também quer que o mundo se levante num movimento de amor.

Recomeços

Recomeços - EuGordinhaFaz uns anos eu comecei com esse blog e meu intuito era estar conversando com as meninas gordinhas no mundo virtual, tal qual conversava com as minhas amigas mais próximas que me incentivaram a falar com mais pessoas o que a gente já acontecia no particular.

Naqueles tempos não se falava tanto em Gordofobia, não haviam movimentos ativistas em prol das mulheres gordinhas para que se empoderassem como acontece hoje em dia. Aos poucos o movimento plussize foi tomando forma na moda, na mídia, na cabeça de muita gente que não enxergava a mulher gorda como ela de fato é. Pra falar a verdade, ainda há muita gente que não enxerga a mulher gorda como sendo uma mulher, uma pessoa, um ser humano e vivo como tantos outros que existem. Tem vez que nem a própria mulher se enxerga como deveria.

Ser gorda ou ser magra, se mulher, ser humano, ser menina, jovem, idosa, ser pessoa. Por qual motivo será que o SER em si carrega tanta complexidade? Por qual motivo será que EXISTIR em alguns momentos parece ser algo tão difícil?

As respostas para essas e outras perguntas me motivam a sempre estar buscando os melhores caminhos para a vida. Alguém já disse com muita propriedade que:

“A vida é simples, somos nós quem a complicamos”.

Faz sentido pra mim. Muitas vezes é isso mesmo.

Viver pode ser simples e fácil, assim como pode ser complexo e difícil. Vai depender muito de nós mesmos, da forma como vamos perceber e encarar as coisas que acontecem dentro e fora de nós.

Se antes a minha intenção era conversar com as meninas como fazia com as minhas amigas, proporcionar um outro ponto de vista mais positivo sobre a vida, hoje a intenção mudou. Quero encorajar a todas as mulheres gg, que tomem o posicionamento de serem livres para existir, pois uma das melhores experiências na vida é sentir-se livre para ser quem queremos ser.

Retomo a escrita aqui no blog e a atuação nas redes sociais, com intuito de compartilhar conteúdo que fortaleça quem podemos ser de dentro pra fora. Hoje eu sei que dentro de nós há muito mais do que potencial de vida, há potencial de realização e de felicidade. Mas esse potencial não se transformará no Bem que possa nos trazer, simplesmente estando lá, quietinho dentro de nós. Precisamos pegar a semente e plantar na terra se quisermos ver o broto, as folhas, flores, frutos. Se quisermos ser felizes nessa única vida que temos, teremos de agir para que essa felicidade aconteça. A vida por si só já é um milagre que acontece, mas nem todos nós reconhecemos isso ao ponto de desfrutar.

Forte abraços para todas as amiggas!

Domingo de Tarde

Domingo muitas vezes é um dia misturinha de coisas boas e outras coisas muito tediosas… Sabe quando vai se acabando a tarde e fica uma sensação de ressaca, mesmo quando nenhuma gota de álcool desceu pela garganta? O clássico tédio de domingo. Sintoma de que a segunda-feira, que está logo ali na esquina do dia, vai trazer uma porção de coisas rotineiras que já não empolgam mais como aconteceu um dia. Sinal de que algo na vida precisa mudar. Mas o que seria? Falei ainda a pouco sobre a sensação de ressaca… Antes eu estivesse bêbado para escrever o desabafo que vem a seguir…

Algumas pessoas têm medo da mudança de uma tal forma, que se tornam reféns de uma rotina que é tão pesada e desgostosa, quanto o medo da mudança. Noutro dia ouvi uma amiga dizendo que seria bom se eu aprendesse logo a diferença entre as coisas que poderia escolher, não apenas entre o que era bom e ruim, mas entre o que era bom e o que era melhor. E que eu escolhesse o melhor. Pois eu não poderia ficar encima do muro, com medo de mudar.

A vida que é uma só, é cheia de escolhas a serem feitas. Podemos escolher entre as muitas opções, aquela que melhor nos satisfaça. Não fazer escolha nenhuma é um tipo de escolha, mas posso garantir que os resultados de não escolher não são dos bons. Algumas decisões parecem assustadoras enquanto não são tomadas. Não decidir coisa alguma pode ser pior do que escolher qualquer coisa. Mas quanto tempo leva para aprendermos que viver tem esse risco, e ainda assim agir no sentido de viver? Muitos de nós vive pela metade pois tem medo de que a vida se torne completa e depois não saibamos o que fazer. Um medo de um futuro que nunca foi vivido. Presumimos que seja de um jeito ou de outro e tememos não saber agir diante da novidade. Momentos assim requerem de nós uma pausa, um respirar fundo e uma tomada de decisão.

Eu sei que você tem uma decisão pra tomar e tem adiado isso faz uns dias. Age com a coragem que tem coração pede. E se a paz não sair de dentro de você, siga adiante. Por mais que seja dolorido. Mais adiante a maturidade vai florescer como um novo dia, e na claridade dos fatos, ficará evidente que você tomou a melhor decisão.

Ser ou Não Ser – Escolha ou Imposição?

As gordinhas lindas na ilustração são arte do Edull

Quem você é hoje é resultado da sua vontade ou da vontade de outras pessoas?

Quando no geral nos perguntam quem somos, costumamos responder nosso nome e logo em seguida vem a profissão, ou o que fazemos. Como se o nome e as nossas ações fossem suficientes para nos definir. Pois bem, digo que não é, pois somos muito mais do que as nossas ações e os nomes que escolheram pra nós.

Quantas vezes a gente age no impulso e logo se arrepende procurando reaver nossas atitudes e tomando um outro rumo na vida? Aí de nós se fôssemos apenas o que fazemos. Mas enfim, o caso é que, a nossa real identidade não se restringe ao nome, profissão, aparência… Quem de fato somos está muito ligado a um somatório de muitas características que são exclusivamente nossas, um jeito de ser que no mundo só quem tem somos nós. A nossa vontade também tem a ver com quem somos, nossas intenções. O quanto que valorizamos essa particularidade?

Há quem valorize muito pouco, inclusive chega ao ponto de ir na onda de toda moda que surge sem se questionar se de fato gosta ou se está aderindo apenas para ganhar mais elogios e likes e ser aceito por um grupo de pessoas que pode dar um senso de aprovação e bem estar. Estou dizendo que não devemos andar na moda? Não. Não to dizendo isso. Estou dizendo que não precisamos ser “maria vai com as outras“? Sim, estou falando que podemos ser individuais e mesmo assim amáveis, aceitáveis, gostáveis e únicos enquanto seres humanos. Não há nada de errado com isso. Algumas pessoas têm medo de assumir a própria identidade, pois é natural sermos autênticos na vida e no mundo e uma grande massa de pessoas que não tem a própria identidade definida vir com paus e pedras querendo nos demover da nossa condição de exclusividade. Acontece que chegar ao ponto de sermos quem somos é libertador e não há dinheiro no mundo que pague pela paz de saber que somos amados pelo que somos e não pelo esforço que poderíamos fazer para ser aceitos.

Se você já descobriu o quão libertador é ser quem você é de verdade, compartilhe essa ideia com outras pessoas e contribua para um mundo mais livre e feilz!

Cada Semente Tem Seu Fruto

Cada semente tem o seu devido fruto. Ainda que pro fruto possamos entender “resultado”, ainda que seja apenas uma planta em si, com sua folhagem, com ou sem flores tão visíveis e vistosas… enfim. Cada semente guarda dentro de si o projeto de algo por vir, se for devidamente plantada e cultivada. Algumas ideias podem ser plantadas no pensamento, cultivadas na mente ao longo de um tempo e podem dar frutos nas emoções e vontades, de modo que as nossas atitudes venham acabar espelhando por fora o que está sendo produzido dentro de quem somos. Já parou pra pensar em quais tipos de sementes andam sendo plantadas dentro de ti? Foram sementes que você mesma escolheu ou lhe deram sem perguntar por sua vontade? Quais tipos de frutos você quer estar colhendo e desfrutando? Quais frutos não quer nem mais provar o sabor e até mesmo não vê-los mais em seu interior?

 

Qual Sonho Vamos Realizar Hoje?

Dormiu e acordou? Perfeito… Qual sonho vai realizar hoje?
A maioria de nós, por motivos culturais, não tem o hábito, nem aprendizagem de PLANEJAMENTO. Coisa que até mesmo uma semente por menor que seja, já sabe, nós humanos muitas vezes precisamos aprender como se faz. Precisamos decidir o que a gente quer da vida e ir lá e calcular os custos, prever as atividades que terão de ser feitas por quanto tempo até que apareçam os resultados desejados, os quais, somados, resultem no desejo realizado. Felicidade, é algo que pode acontecer mas também pode ser feita de propósito. Podemos ser felizes de propósito, com um propósito. Podemos planejar quando vamos ser felizes no futuro e inclusive hoje. Podemos ser felizes hoje, decidindo fazer algo que nos faça bem, que faça bem a quem amamos… Enfim. Realizar um sonho não é tão difícil como alguns fazem parecer.

“Acredite em seus sonhos”

O que Fazer Diante do Leite Derramado?

“A Menina do Leite”

fábula de La Fontaine

 

A menina caminhava cheia de contentamento, pois era a primeira vez que iria à cidade, para vender o leite de sua vaquinha.

Colocou sua melhor roupa e partiu pela estrada equilibrando a lata de leite na cabeça.

Enquanto caminhava, a menina começou a fazer planos entusiasmados para ganhar dinheiro:

Vou vender o leite e comprar ovos, uma dúzia. Depois, ponho a galinha a chocar os ovos e ganho uma dúzia de pintinhos, que logo eles crescerão e terei bonitos galos e belas galinhas. Venderei os galos e fico com as galinhas, porque são ótimas para pôr ovos. Outra vez ponho os ovos para chocar e terei mais galos e galinhas. Venderei tudo e compro uma cabrita e algumas porcas. Se cada porca me der três leitõezinhos, vendo dois, fico com um e …

A menina estava tão distraída com seus pensamentos, que tropeçou numa pedra, perdeu o equilíbrio e levou um tombo inevitável. Todo o leite foi derramado no chão, para desolação da sonhadora.

E os ovos, os pintinhos, os galos, as galinhas, os cabritos, as porcas e os leitõezinhos foram pelos ares…

Moral da história: Não se deve contar com uma coisa antes de conseguí-la.

Ok. Quem é que define a moral de uma história? Não sei. Só sei que na maioria das vezes não gosto muito da definição fechada que me apresentam. Uma história que traga alguma lição não tem apenas uma moral, uma interpretação possível, uma lição. Uma história pode conter milhares de pontos de vista, milhares de interpretações. Sendo assim, quero tirar algumas lições úteis sobre O que fazer Diante do Leite Derramado.

Uma delas:

A Importância do Planejamento

A menina estava contando que daquela porção de leite inicial, ela conseguiria uma certa quantia de dinheiro e com o mesmo investiria na compra de uma galinha que depois daria continuidade a uma série de outros investimentos com os quais ela poderia satisfazer suas vontades.

E daí que o leite caiu e foi derramado? O leite em si não era o mais importante. O importante era o planejamento que a menina tinha do que fazer mais adiante. Na maioria das vezes, as pessoas vivem e poucos planos fazem em relação ao futuro. A menina, ainda que tenha perdido o leite já tinha consigo algo a seu favor: Uma noção de futuro. Ela sabia onde queria chegar. Eis uma vitória!

Em breve compartilho as demais lições.

A Dor como Hábito

Sentir dor é ruim – eu poderia dizer isso categoricamente e todos poderíamos ser unânimes em concordar. Certo? Errado! Mas como assim? Podem acabar me perguntando. Ai eu lembro que no mundo há pessoas que gostam de sentir dor. “50 tons de Cinza” e cia mostram no sucesso de bilheteria e vendas de livros que os temas que giram em torno do BDSM tornaram o assunto da dor associada ao prazer como sendo algo não tão fora do comum assim e até aceitável e compreensível como sendo uma de nossas facetas humanas. Ok, podemos entender que a porcentagem das pessoas que gostam de experimentar dor é uma parcela pequena da população mundial. Mas existe e não pode ser desprezada se quisermos saber da realidade. Nem vou perder tempo pesquisando sobre isso agora. Existem os masoquistas, sim. Existem os sadistas. Existem as relações sadomasoquistas, onde um gosta de fazer sofrer e o outro gosta de sofrer a dor. E estou falando ainda das dores físicas, as que podem ser sentidas no corpo com consentimento entre as partes. Mas e quando a dor é infligida na alma, sem o consentimento de quem sofre?

Estou lembrando de situações de bullying. Antigamente nem tinha esse nome, era só zueira mesmo, brincadeiras de mal gosto pra quem sofria e só uma brincadeira mesmo pra quem fazia. Escárnio, zombaria. Há um salmo na Bíblia que diz:“Bem aventurado o que não se assentar na roda dos escarnecedores”. É engraçado que eu, quando era adolescente ainda, li esse trecho e reconheci a rodinha de colegas na escola que se juntavam pra zuar com a cara daqueles que por algum motivo era diferentes, não estavam na moda, ou tinha o nariz grande, eram magros demais ou altos ou baixo ou gordos e gordas. Antes mesmo de ter lido o conselho bíblico eu já tinha decidido que não me juntaria com aqueles que falavam mau dos outros, só porque estavam em maioria na hora de fazer um acordo do que julgavam aceitável ou não. Decidi isso porque tive a sorte de me notar bem diferente do que os colegas da escola eram, eu mesmo podia ser considerado um alvo fácil deles, mas por alguns motivos passava meio que despercebido. Haviam outros alvos mais fáceis pra sofrer bullying. Por outro lado, eu sendo negro, pobre, brasileiro (o Brasil é um puto de um país hipócrita que ainda tem muito racismo e preconceito entranhado na carne que nem cor branca ou negra tem de fato. Somos quase todos mestiços por aqui, quase ninguém conseguiu se manter dentro de uma linhagem pura pra poder apontar pra o outro e se dizer melhor do que o outro por motivos… étnicos? Sério mesmo que a cor da pele, tipo de cabelos ou tipo de corpo deveria mesmo ser um motivo pra nos diferenciarmos como melhores ou piores? To me dando conta do tanto que esse tipo de pré-conceito ou conceituação é tão absurdo e ridículo!). Enfim, por vários motivos tive como sentir na pele a dor do bullying, do racismo, do preconceito dos outros e de mim pra comigo mesmo. Graças a Deus não durou tanto o quanto que me fizesse ficar anestesiado e cego.

Sim, a dor prolongada, emocionalmente pode nos cegar de certa forma. A gente acaba por se acostumar com a dor que nos é inflingida por um tempo considerável. Ficamos condicionados a viver com a dor, deixamos de viver certas coisas por causa dela. Passamos a pensar e agir modelados dela dor. Como a história do elefante que tinha um espinho no pata e por causa disso não pisava no chão com todo peso que tinha e por conta disso andava muito diferente dos outros. Tem muita gente no mundo que anda torto porque tem um espinho na pata emocional.

Falta de amor pode nos causar dor emocional. Solidão, sentimento de menos valia… auto estima inexistente ou muito baixa. Não ter recebido amor de quem deveria nos dar quando nascemos, nossos pais, pode nos causar prejuízos no longo prazo. E pra quem quiser concordar comigo e quiser uma solução rápida eu logo adianto que culpar os nossos pais não resolve o problema. A maioria das vezes que eu já vi esse tipo de coisas acontecendo é porque os nossos pais também não receberam amor dos pais deles de maneira adequada. Entre achar culpados pelas dores que sentimos hoje e buscar tratar com elas agora pra que vivamos bem de hoje em diante, eu prefiro a segunda opção.

Estou me prolongando nesse texto, em tempos nos quais as pessoas não têm muita paciência pra ler ou mesmo acham que têm pouco tempo pra viverem suas vidas tão longas e tão cheias de compromissos altamente significantes, altamente recompensadores e produtivos em termos de alegria. Desculpe, meu querido leitor ou querida leitora, se você chegou até aqui e não achou o que queria. O que você queria de fato? Posso dizer o que eu quero. Quero que a sua dor de anos a fim seja extinta. Se for o caso de você ter dentro de seu coração uma dorzinha de estimação, que você vem alimentando e cuidando dela fazem anos, é hora de acabar com isso. Se enquanto você foi fazendo a leitura acabou por perceber alguma dor ai dentro de você, uma dor antiga que ainda incomoda, é hora de retirarmos esse espinho. Ter percebido é o primeiro passo. Querer se livrar disso é o segundo. O tratamento já começou se assim for. Vou terminar o texto por aqui, mas voltarei nesse assunto. Pois é muito importante.

Forte abraço aos que considero vencedores por ainda estarem na luta!

Recomeços

Uma ideia recorrente pra mim é a de que “Viver é bom por mais dolorido que seja”. Me considero otimista. Mas não o tipo de otimismo burro que nega a realidade e exclui todo tipo de dor que possa existir. Sou otimista e realista ao mesmo tempo. Busco caminhar de um jeito que o caminho sendo bom ou ruim possa me trazer os benefícios de uma vida que possa ser feliz. Quem de nós não quer ser feliz? A maioria quer. A minoria se decepcionou com as expectativas frustradas ou dores repetidas, enfim, muitos outros motivos. Pra não fugir do que quero dizer, recomeçar é necessário… Muitas vezes acontecem na vida situações totalmente fora de nosso controle e que são extremamente dolorosas. Nosso coração parece que se quebra em mil pedaços. Parece que estamos destruídos por dentro. Mas se estamos vivos, podemos nos reconstruir, sempre. Por mais que pareca impossível. É possível, sim. Temos como. Às vezes só precisamos aprender como nos refazer, reestruturar, reconstruir, recomeçar.

(Re)Começos

Qual seu sonho? Muita gente deixa de realizar os próprios sonhos por medo de tentar e fracassar. Medo do que vão dizer se der errado, medo de dar de frente com as próprias limitações e perceber que não consegue. O medo é uma merdinha que deve ser limpa de nossa mente e coração, como fazemos com as fraldas sujas nos bebês.

Voltando à pergunta inicial: Qual é o seu sonho? Estou aqui pra te incentivar a buscar a realização de teu sonho. Pelo simples fato de que ele pode ser mais possível do que você pensa. Se ainda não sabe disso é porque ainda não ter conseguido ver como se faz para realizar um sonho. Uns dizem que “o impossível só é impossível enquanto alguém não vai lá e faz“. Hoje em dia temos muitas invenções que servem como exemplo do quanto essa frase é verdadeira. Agora, se o medo ainda estiver dentro do coração e da mente, então os sonhos ainda ficarão prejudicados em seu estado de semente pronta pra germinar, mas guardada no escondido.

Quer saber? Você só tem uma vida, se você não quiser realizar o seu sonho, ninguém vai. Se você não realizar o seu sonho, corre o risco de chegar no fim da vida, ver que várias outras pessoas realizaram os seus e ficar se perguntando como teria sido contigo se tivesse tentado. Portanto, TENTE! Experimente tentar. Comece! Procure saber quem já realizou um sonho parecido e veja quais caminhos a pessoa percorreu. Aprenda, esteja com disposição pra aprender coisas novas que você ainda nem sabe que existem! Mas comece. Dê o primeiro passo. Se falhar ou errar, entenda que faz parte do processo. (Re)Comece quantas vezes for necessário. Mas comece Hoje mesmo, AGORA!

Faça sua vida valer à pena! Repito: Se você não buscar realizar o seu sonho, outra pessoa não o fará por ti!

 

 

(Im)Perfeição

Somos (im)perfeitos. Algo óbvio, mas que passa desapercebido, ou será que não? Passa sim, pra muita gente passa. Demorei anos de minha vida pra aprender a colocar os sinais de parênteses onde deveriam estar de fato. Releia: “somos (im)perfeitos”. Compreendeu? Todo e qualquer ser humano que seja, por mais que trabalhe a respeito vai dar de frente com a sua própria (im)perfeição. Acontece que na maior parte do tempo as pessoas focam mais na imperfeição do que na perfeição. Perdem tempo olhando pra o que tem dentro de si mesmas que está errado, ou nem isso, olham por fora as coisas que fazem de errado e não conseguem descobrir por quais motivos agem como estão agindo, ou melhor… reagindo na maior parte do tempo. Sabe, a diferença entre a ação e a reação é que agindo a gente sabe por qual motivo está fazendo algo e na reação a gente só faz porque está sentindo um forte impulso pra fazer, sem pensar nas consequências, sem refletir, sem se dar conta do quanto pode ser dolorido o que acontecerá logo após… O que fazer então? Eu me dei muito bem comigo mesmo quando parei de ter raiva de mim, por exemplo. Quando percebi que muito da minha vida não estava dando certo porque EU estava agindo de modo inadequado, pois ao invés de ficar com raiva das atitudes erradas que eu estava tomando, fiquei com raiva de mim mesmo. O que parece muito natural, quando vejo por ai a maioria das pessoas fazendo o mesmo. É estranho quando a gente percebe que algo ruim parece natural, quando na verdade não deveria ser. É ruim quando a gente se dá conta de que as coisas erradas parecem acontecer em muito maior frequência do que as coisas certas. O bom da história é que dá pra mudar. Muito do que parece repetitivo na vida, do que parece que sempre foi assim e sempre será, pode sofrer uma mudança drástica e essa mudança pode ser pra melhor. A parte chata da história é que nem sempre é fácil perceber o quanto que podemos mudar e como fazemos isso. Estou me lembrando de uma vez no qual diante de uma situação de dor muito forte, foi dito: “Deve haver uma vida melhor do que essa”. E havia. Tive de aprender a ter paciência comigo mesmo pois uma parte de mim queria muito fazer as coisas darem certo na vida, mas a outra parte ainda vacilava muito e precisava aprender muitas coisas. Precisei aceitar os dois lados de mim mesmo, quem eu queria ser e quem eu estava conseguindo ser. Aceitar quem somos incondicionalmente, nos erros e acertos é parte do que chamam de amor próprio. Faz um bem sem medidas, todo mundo deveria aprender como se faz.

 

Página de Diário: 8 de março – Dia Internacional da Mulher

Eu sei que já dei muitos parabéns para as mulheres nessa data de hoje, mas de uns tempos pra cá esse dia me parece mais motivo de tristeza do que de felicidade. Mas ainda assim, é melhor que haja um dia no qual se lembrem das mulheres do que nenhum dia, né? Ontem mesmo ouvi uma notícia dizendo que em muitos trabalhos feitos por homens e mulheres, os salários das mulheres é menor. Em consultorias, por exemplo, a diferença chega a ser de 60%. Dá vontade de jogar uma bomba em algum lugar pra explodir alguma coisa e ver se a raiva passa. Nesse momento entendo os que fazem terrorismo, como se a violência fosse a única forma de resolução de problemas que aparentemente de modo pacifista não dão conta. Mas sei que não resolveria explodir coisa nenhuma, pelo menos não nesse caso. Einstein disse que “É mais fácil dividir um átomo do que um preconceito”, e olha que existe muito preconceito contra as mulheres. Acompanho os movimentos de empoderamento feminino, é tema que me interessa e muito! Digo dos empoderamentos reais e não aqueles que só querem jogar maquiagem na cara das meninas, dizer que elas estão lindamente aceitáveis para os padrões definidos não se sabe por quem, e as jogam no mundo desse jeito e só. Sou a favor do empoderamento de verdade, aquele que faz a mulher pensar de modo livre e consciente de que ela é de fato poderosa pra fazer o que quiser da vida – embora isso signifique que ela poderá ter um mundo contra ela e poucos a favor, o pensamento machista ainda está impregnado em muito do que temos na sociedade. Muito do que eu sei de mais importante na vida eu aprendi foi com as mulheres e não com os homens. Desde a minha mãe, passando pelas professoras, amigas, escritoras, artistas e pensadoras, umas que sequer souberam de minha existência tendo em vista que já morreram… algumas morreram mesmo antes de eu nascer, não souberam nem sabem, as que ainda vivem, do legado de construção que deixaram dentro de mim. Clarice Lispector me salvou da morte, quando no auge de uma depressão, cheio de pensamentos suicidas eu combinei que só morreria depois de ler toda obra dela… Não li pra não gastar tudo e ficar de vez órfão dessa escritora que tão bem sabe como retratar a alma humana e principalmente feminina. Deu tempo de fazer terapia com os textos dela e outros, redescobrindo a vida e o mundo e achando novos motivos pra viver. Noutro dia lendo um livro da Regina Navarro, fiquei sabendo que na História da Humanidade, homens e mulheres já viveram em condição de igualdade na sociedade de então. Não havia guerra dos sexos, pra um provar ser mais forte do que o outro, mais sensível do que o outro, mais importante do que o outro. As diferenças se complementavam e a sociedade conseguia fluir mas dentro do que entendemos ser justo. Daí em algum momento o homem se achou mais importante do que a mulher pelo fato de ter ele a “semente” com a qual multiplicar a população e por conta disso toda uma série de ações foram tomadas no sentido de colocar a mulher na condição de objeto a ser usado para procriação – foi assim que entendi, olhando o contexto de todos os fatos históricos. O homem passou a exercer controle sobre a mulher por causa da natalidade e entendeu que o domínio sobre a mesma significava o domínio sobre a força de trabalho que da mulher viesse por meio de seus filhos. Nesse ponto da reflexão muita gente talvez já tenha abandonado esse textão aqui, pois no dia de hoje por qual motivo a gente pensaria na mulher em si, de verdade? Ainda há muito o que conquistar para que a mulher tenha de fato a liberdade da qual é digna. Liberdade sobre seus ganhos, seu corpo, seus pensamentos, sua forma de sentir o mundo e a si mesma. A legislação brasileira (e a de outras partes do mundo, tendo em vista alguns casos jurídicos de que tive notícia), não privilegia a mulher como sendo um ser humano em iguais condições de existência com um homem para responder judicialmente. As leis brasileiras referentes ao casamento e o divórcio, não são igualitárias; se o texto for lido com o mínimo de bom senso vai se notar nele que a mulher é tratada como um tipo de propriedade que pertence ao homem com o qual vai se casar. A Justiça não é justa no todo para com as mulheres! E o irônico é que as leis não surgem do nada, são feitas por nós, humanos…. homens e mulheres. Me diz, vou comemorar o que no dia de hoje? Hoje é um dia memorial pra relembrar todas as mulheres que venceram onde já deveriam manifestar a sua excelência sem precisar de luta. É bom relembrar hoje as mulheres que se sacrificaram para que outras tivessem direitos que deveriam ser naturais, mas todo um sistema criados a séculos não legitima, a não ser que hajam movimentos a favor ou contra o que tem de ser. Entendo as mulheres que são homoafetivas por declarado motivo de terem se decepcionado com homens que não as souberam tratar como deveriam, eu não as julgo como já fiz ignorantemente um dia. Entendo as mulheres que sofreram o abuso de seus corpos estuprados e diante da truculência do Estado num atendimento hóstil para com a vítima, fazem com que a mulher se sinta a culpada quando na verdade é vítima. A tal cultura do estupro ainda infecta muitas mentalidades. Dá ou não dá vontade de jogar uma bomba em alguns lugares? Entendo muito bem quem faz terrorismo, mas não concordo com seus métodos. Há formas muito mais violentas de fazer protesto de modo a trazer resultados reais. A raiva, o ódio, a indignação, a revolta, podem ser usadas como energias convertidas em forma de consciência, conhecimento, sabedoria e ação prática, na direção de mudanças para que haja liberdade, em todos os sentidos – não apenas financeira (que é o que muitas mulheres precisam pra entender que não há cabimento em estar submetidas a um casamento falido onde o homem se coloca como o provedor do lar, sustentador dos filhos e opressor da mulher que muitas vezes se sente uma puta, por ter de se deitar com um homem que não ama, mas a coibe de tomar uma posição onde se sinta digna e possa ser de fato feliz. Muitas mulheres se sentem obrigadas a ter uma vida medíocre por não terem consciência do quanto podem gerir suas próprias posses ou mesmo adquiri-las por si mesmas). Quem quer que eu fique feliz e comemore o dia das Mulheres? Vou comemorar a vitória anônima que comigo for compartilhada das mulheres que todos os dias se esforçam pra mudar suas próprias vidas e caminham no sentido da liberdade desejada. Vou continuar fomentando e instigando a força interior que move a vida das mulheres que quiserem ser felizes na conquista de seus ideias reais e não apenas ilusórios. Ainda é preciso que muitas mulheres tomem nas mãos a responsabilidade de mudar os seus destinos e decidam dar um rumo em direção à felicidade, ao invés de se conformarem com uma vida medíocre, muito abaixo do que poderiam viver em termos de qualidade. É preciso que as mães entendam que não é muito útil criarem suas filhas para que sejam apenas princesinhas prontas para se encontrar com um príncipe encantado e cuidar de um reino. As mulheres podem ser conquistadoras dos reinos que quiserem e para isso não precisam estar submetidas ao domínio de um príncipe ou rei que seja. Cada qual pode escolher o destino que quiser e se esforçar para a concretude do mesmo, para que não viva apenas uma vida de sonhos aparentemente impossíveis de realizar. Muitas mulheres hoje em dia sofrem opressão em suas mentes e corações, por terem sido entulhadas, soterradas, com ideias falsas sobre como deveriam ser em seus corpos e mentes para que fossem aceitáveis e amáveis, desejáveis e queridas. Vou continuar lutando com palavras e ideias, não precisarei explodir bomba em canto nenhum a não ser dentro das mulheres que precisam demolir as velhas estruturas de pensamento que só as fazem se sentir e ser como se fossem prisioneiras de um sistema injusto que não privilegia sua felicidade. Parabenizo não apenas hoje, mas em todos os dias que eu ver manifestação de vitória, a cada mulher em quem admiro o esforço pela mudança. Que haja mais liberdade e mais possibilidade para ser feliz na vida, em cada mulher que existe no mundo! Esse é meu desejo hoje, amanhã e depois. — Leonardo Almeida

Saladas Pra Que Vos Quero!

Que tal substituir a refeição que se faz normalmente por uma salada?

De acordo com a nutricionista Vivian Goldberger, para susbstituir adequadamente refeições, a salada deve conter fontes de proteínas (carne vermelha, frango, peixe, ovos, soja ou frutos do mar), carboidratos (macarrão ou tubérculos, como batata, mandioquinha, inhame, cará, milho) e leguminosas (feijão, lentilha, grão-de-bico ou ervilha).

“Na hora de temperar, outra dica gostosa e saudável: azeite batido com ervas, que só deve ser acrescentado na hora de servir. A salada deve conter muitas folhas verdes, legumes crus e quanto mais coloridos melhor. Se possível, adicionar sementes como a de girassol, gergelim e linhaça. Também é interessante polvilhar castanhas como a de caju e do Pará”, ensina.

salada

 Seguem algumas receitas de saladas que podem ser muito bem degustadas!

© Jacek Chabraszewski - Fotolia.com

© Jacek Chabraszewski – Fotolia.com

SALADA MEXICANA

“Com atum e maionese light, oferece proteína magra e gordura boa e serve como recheio de tomates crus sem sementes. Se quiser complementar a refeição, acrescente uma porção de arroz ou massa integral”.

Ingredientes:
4 tomates grandes, firmes e bem lavados
1 lata de atum light
1/4 de cebola em cubos
1/4 de pimentão verde em cubos
1/4 de pimentão vermelho em cubos
1 lata de milho
4 colheres (sopa) de maionese light
Folhas de coentro (ou salsa)

Modo de preparo:
Corte uma tampa na parte superior dos tomates. Retire a polpa com cuidado e deixe os tomates virados para baixo sobre um papel-toalha para escorrer o excesso de água. Em uma tigela, coloque o atum, a cebola, os pimentões e o milho e misture a maionese. Recheie os tomates e decore com coentro ou salsa. Sirva em seguida.

© sugar0607 - Fotolia.com

© sugar0607 – Fotolia.com

SALADA TROPICAL

Ingredientes:
Mix de alfaces (lisa, crespa, escura e romana)
Rúcula
1 tomate fatiado
1/4 de xícara de manga em cubinhos
5 unidades de kani kama cortados em cubinhos
1/4 de xícara de abacaxi em cubos
1/4 de xícara de azeitonas pretas fatiadas
4 ovos de codorna
Cenoura ralada

Molho:
1 colher de sopa de azeite extra-virgem
1 colher de sopa de vinagre balsâmico
Sal light a gosto

Modo de preparo:
Forre o prato com as folhas e, por cima, arrume os demais ingredientes. Em um recipiente, bata vigorosamente os ingredientes do molho e despeje sobre a salada. Bom apetite!

A healthy red quninoa salad

© MSPhotographic – Fotolia.com

SALADA ORIENTAL

“A quinoa e o shitaque garantem fibras e proteína de boa qualidade, ao lado de cenoura ralada e folhas de rúcula. Por isso, é uma salada que faz às vezes de um jantar levinho. Quer mais substância? Sirva-a com um filet bovino magro grelhado”, ensina a nutricionista Vivian Goldberger.

Ingredientes:
1 dente de alho picado
2 colheres (sopa) de azeite de oliva
8 cogumelos shitake cortados em tiras
Sal a gosto
1 xícara (café) de vinho branco seco
1 cebola roxa pequena em fatias finas
1 e ½ xícaras (chá) de quinoa cozida
2 xícaras (chá) de vagens cozidas e picadas.

Molho:
3 colheres (sopa) de molho de soja (shoyu)
2 colheres (sopa) de água
1 pitada de açúcar
Gengibre ralado a gosto
Pimenta dedo-de-moça sem sementes em tiras a gosto

Modo de preparo:
Doure o alho no azeite, acrescente o shitake e tempere com sal. Quando secar a água que o cogumelo soltar, junte o vinho e refogue por 3 minutos. Retire do fogo, disponha em uma travessa e misture com a cebola, a quinoa e a vagem. Regue com os ingredientes do molho misturados e sirva.

Diante dessas receitinhas maravilindas, não resta muito o que dizer. Bom Apetite!

Parte das receitas, via GuiaDaSemana

Flavio Gikovate – o Dr. Que Cuidava dos Corações Partidos e Afins

Fiquei um pouco triste ao saber na noite passada que o Dr.Gikovate faleceu. Ele deixou uma obra muito boa no seu trabalho incansável de tratar com as emoções e sentimentos das pessoas, principalmente no que diz respeito as relações amorosas e as relações da pessoa consigo mesma. Era muito bacana ouvir como ele com seu jeito calmo e acertivo, ia lidando com as dúvidas e angústia dos ouvintes de seu programa na rádio CBN, quando ele ao vivo apresentava “No Divã Do Gikovate“. Vai me deixar muitas saudades.

flávio gikovate

Dr. Flávio Gikovate

“Médico psiquiatra, psicoterapeuta, conferencista e escritor, Flávio Gikovate morreu nesta quinta-feira, 13, às 18h30, depois de uma curta batalha contra um câncer de pâncreas descoberto em abril. Ele estava internado no hospital Albert Einstein desde o início da semana passada. Autor de inúmeros livros que se tornaram best-sellers, ele apresentava o programa No Divã Do Gikovate, na rádio CBN, e participava periodicamente de encontros, sempre lotados, com o público na Livraria Cultura. Foi num desses encontros, em 13 de setembro, que ele apresentou seu último livro: Para Ser Feliz no Amor (Summus). Na obra, o autor analisa os aspectos que prejudicam os relacionamentos – para ele, a baixa autoestima, o ciúme, o medo de perder o ser amado, a vontade de mudar o outro. E, claro, aponta o caminho para que o casal encontre a felicidade. Confiante no tratamento, Gikovate andava cheio de planos. Dois dias depois do lançamento, no entanto, descobriu uma metástase.

Pioneiro nos estudos sobre o sexo, amor e vida conjugal no Brasil, ele publicou mais de 30 livros que já venderam, juntos, cerca de 1 milhão de exemplares. Gikovate falava sobre temas complicados de relacionamento de um jeito que todos entendiam. Daí seu sucesso.

Sua estréia na literatura foi em 1975. De lá para cá, publicou obras como O Mal Bem e Mais Além, Uma História do Amor… Com Final Feliz, A Arte de Educar, Uma Nova Visão do Amor, Ensaios sobre Amor e Solidão, Deixar de Ser Gordo, Além do Divã – Autobiografia e muitos outros. Nascido em 11 de janeiro de 1943, Flávio Gikovate se formou em medicina em 1966, na USP. Ele contava que sua grande fonte de inspiração eram seus pacientes – foram mais de 10 mil nesses 50 anos. “Escrevo o que vivo na prática. E não há melhor material de observação do que o comportamento das pessoas. Não invento fórmulas. Meu objetivo é levar conhecimento. Se isso é autoajuda, então escrevo livros de autoajuda. Não tenho medo de rótulos. O meu respaldo não é acadêmico. Ele vem do público, que compra os meus livros e gosta do que lê“, escreveu em seu site” (via Estadão)

Pra quem ainda não o conhece, segue abaixo um dos programas que ele apresentou, na íntegra:

Deboísmo – Estilo de Vida

Deboismo

Achei bacana o artigo que segue:

Só para ficar um pouco mais claro gente:

Deboísmo é um estilo de vida. Ser de boa não significa ser inerte ao mundo, significa ser ponderado. É o “não se esquecer” que quem debate com você do outro lado da tela é uma pessoa, digna de respeito, assim como você.

Ser de boa não significa não debater, não significa se calar perante as injustiças. Significa não ofender as pessoas, argumentar de maneira lógica e sensata, sempre respeitando os direitos humanos.

Ser de boa significa deixar uma discussão acabar mesmo sem convencer o inimigo, principalmente se ele partir pra ofensas. Pois uma mente que está tomada pela raiva provavelmente não estará aberta a uma nova ideia.
Significa também, não se incomodar e se estressar com os pequenos problemas que a vida nos traz. Quando lidamos com um monte de problemas pequenos, fica mais fácil lidar com os grandes problemas.

O deboísta faz a sua parte para parar o que lhe aflige, ele muda o que pode para fazer a sociedade um lugar melhor, virtualmente ou não. Procura contribuir de todas as formas cabíveis, e não sofre pelo incabível.

Quem acha que ser de boa é aceitar injustiças acontecendo, o mal sendo feito, claramente não entendeu o recado.
Significa, em suma, ser de boas.

Via Deboísmo