Com Que Roupa Eu Vou? Como Se Vestir por Dentro

Qual Roupa Usar?

“Com que roupa eu vou, no samba que você me convidou?” Noel Rosa

Quem nunca sentiu uma certa dúvida sobre qual roupa usar numa determinada ocasião especial? É comum acontecer isso, ainda mais quando não nos definimos ainda sobre o que de fato gostamos ou não gostamos, o que de fato queremos ou não queremos comunicar. Pois vestir uma roupa não é apenas cobrir a nudez do corpo. Os que estudam a Moda sabem que conceitualmente, vestir-se é uma das formas mais contundentes de dizer ao mundo quem somos!  Vestir-se é um ato existencial! Uau, que profundo! Kkkkk

A origem desse post foi a imagem abaixo, que encontrei na Página do Facebook É Verdade Esse Bilhete. Veja que engraçadinho…

É verdade!!! kkkkkk
Acabei sendo levado a concluir que a nossa melhor roupa é o Estado de Espírito em que nos sentimos. Entenda estado de espírito como sendo a soma de tudo o que você sente, pensa e quer num determinado momento. A soma dos seus pensamentos, das suas emoções e das suas vontades, compõe o seu estado de espírito.
Muita gente nem percebe, mas independente da roupa que veste, a gente se veste de verdade é com o que sentimos e com o que pensamos. São essas coisas interiores e invisíveis que acabamos mostrando pra os outros mais do que tudo o que em nós está visível aos olhos. Não são as roupas em si, nas cores que forem, sejam lisas ou estampadas, não são os decotes em si, as golas, as franjas ou qualquer elemento artístico que nos faça ficar na moda. No final das contas, a forma como nos sentimos vai fazer a maior diferença.
É fato que, vestir-se bem vai fazer uma diferença incrível em nosso estado emocional. Mas é apenas um dos elementos. Se mesmo bem vestida a pessoa ainda se sente mal por dentro, é hora de começar a fazer um “bota fora” no armário mental e emocional, fazendo um “banho de loja”, trocando toda vestimenta interior, para que a alma então bem alinhada possa expressar todo o seu potencial.
Quer saber mais sobre o assunto? Deixe um comentário aqui no blog, mande um email, fale com a gente lá no facebook, mande sinal de fumaça, mensagem na garrafa, qualquer forma de comunicação é válida! kkkkkk
Forte abraço pras amiggas!

Fabiana Karla

Não é a primeira vez que eu falo dessa atriz que consegue tirar de mim muitas risadas quando decide encarar personagens cômicos. Ultimamente na novela “Amor à Vida”, ela não deixando o lado cômico de lado também tem investido no dramático – o que não é novidade para quem pode assistir à peça “Gorda” quando a mesma esteve em cartaz.

Continuar lendo

Paixão Emagrece & Amor Engorda

Dica de leitura:

livro sonia hirsch

Trecho do livro “Paixão Emagrece, Amor Engorda” de Sonia Hirsch

“No início, a paixão emagrece. Ainda que o exercício seja só desfolhar o malmequer, ou apertar o celular com força, o coração dispara tanto que qualquer coisinha vale por 10 aeróbicas. E a verdade é que paixão recém-nascida é melhor que qualquer comida.

Seu apetite só pode ser saciado por coisas que não engordam: pele roçando na pele, mão esbarrando na mão, olhares que dizem tudo, beijos suspensos nos lábios. Muitas dúvidas – será que é paixão correspondida? Estará mesmo livre aquele coração?

O sono diminui, a adrenalina corre proporcionando reflexos rápidos, os olhos brilham. Dançar, cantar, dar risada, tudo o que é bom fica fácil. E o corpinho? Afina. Cada suspiro consome 100 calorias.

Até que, de repente, o desejo se realiza. Bem-me-quer, bem-me-quer! As bocas recheadas de beijos, a vida uma roda-gigante, comer para quê se o bom é amar, amar, amar? Noites movimentadas e dias à espera das noites: desnecessário também dormir. O sonho já virou vida e a vida virou estar junto. O resto se ajeita entre um encontro e outro, um telefonema e outro. Se não me engano foi Freud quem disse: paixão são dois náufragos agarrados na mesma tábua. Magros.

Aí, passado algum tempo, a paixão começa a se transformar em amor. Nossos náufragos chegam à segurança da ilha e resolvem cuidar juntos da vida, construir uma cabana e arranjar coisas para… comer. Afinal, eles merecem! Conquistaram o coração um do outro, isso não acontece todo dia, e tome celebração. É café na cama aqui, almoço ali, ceia acolá, uma viagem de férias cheia de comidas típicas, bebidas deliciosas, sobremesas fartas, e o prazer da intimidade matinal se prolonga até mais tarde, abrindo o apetite para novidades. Que a novidade já não é o outro, mas tudo o que se faz junto, tudo o que se gosta, tudo o que se adora. E pode haver algo mais adorável, excitante e gratificante do que descobrir que se gosta da mesma comida?

O amor come, o amor cozinha. O amor chama o amor de minha doçura e dá chocolates caros de presente. Compra vinhos, queijos e outras delícias. Comemora na mesa os sucessos da cama e o passar dos dias, dos meses, do ano – já um ano? Então, festa! Alegria, alegria! E assim o amor engorda.

O amor que engorda põe um olho no espelho e outro no outro, pra ver se engordaram os dois. Bingo. Bochechinhas, pneuzinhos, a cintura apertada pedindo discretamente para desabotoar o jeans… E aí, de duas, uma: ou vão ambos malhar na academia ou começam a chegar com umas roupinhas novas, larguinhas, mais confortáveis para ficar em casa, grudadinhos, vendo filmes e comendo pipoca.

Os da academia renovam a vida, se animam para um spa, resolvem caminhar de manhã e pedalar aos domingos; conhecem pessoas novas e de repente até se apaixonam de novo um pelo outro. Ou por outros.

Os das roupinhas largas, cada vez mais largas, em breve vão precisar de afrodisíacos. Ostras, lagostas, caviar, fígado, rins, testículos e miolos têm reputação de dar muita energia sexual. Temperos como pimenta, canela, noz-moscada, cravo, açafrão, baunilha e gengibre estimulam a circulação, portanto podem auxiliar o sangue a chegar mais abundantemente às zonas prazerosas. Champanhe tem fama de liberar a libido mais do que qualquer outro vinho, e alguns alimentos são tidos como realmente excitantes: aspargo, aipo e alho-poró por causa da forma, faisão e pombo pelo arroubo amoroso.

Um menu afrodisíaco citado pelo Larousse Gastronomique, a quem interessar possa: sopa de tartaruga com âmbar gris, linguado à moda normanda, filé de rena com creme de leite, pombo jovem assado, aspargos ao molho holandês, salada de agrião, pudim de tutano, vinhos do Porto e bordeaux, e finalmente café.

Se funciona, não se sabe; mas que engorda, engorda.”

Do Senso de Humor e do RISO

Se tem algo que eu gosto de fazer é rir. Às vezes dá mesmo pra rir de uns problemas que acontecem. É claro, quando eu lembro que já passei por outros e consegui resolvê-los. Já li até mesmo na Bíblia que Deus ri. Se nós que somos meros mortais conseguimos essa proeza, quanto mais Ele que é um ser eterno. Acho que Deus deve dar muitas risadas de uma porção de coisas que fazemos por aqui… Mas longe de querer imaginar o que Deus sente, achei interessante um artigo falando que os animais também têm senso de humor.

PsicoBiologia – ciência interessante

MACACOS RINDO EuGordinha Blog

O ato de sorrir surgiu num ancestral comum a homens e macacos

Rir não é uma característica unicamente humana. Pesquisadores que se dedicaram a fazer cócegas em 25 jovens primatas – entre eles três bebês humanos – e a gravar o som produzido por todos eles comprovaram que dar risadas é um traço comum a todos os grandes primatas. Isso significa que o gesto surgiu de 10 milhões a 16 milhões de anos atrás, num ancestral comum. A descoberta abre novos caminhos para o estudo da empatia e sua importância entre animais que vivem em grupo.

Há muito tempo, os especialistas que trabalham com macacos já apontavam que muitos dos comportamentos sociais humanos teriam como base sua linhagem primata. Por outro lado, alguns especialistas argumentam que o sorriso humano poderia ter uma origem diversa da de outros primatas porque seu som é diferente.

Mas as novas experiências – as primeiras a estudarem todos os grandes macacos e o homem – revelaram um padrão sonoro comum, compartilhado por todos eles, como aponta Marina Davila Ross, primatologista da Universidade de Portsmouth, no Reino Unido. O grupo obteve 800 registros acústicos e conseguiu analisar cientificamente suas similaridades e diferenças

Via Psicobio-uel.blogspot.com.br

 

Não gostei das Princesas da Disney gordas

Muita gente embarcou num hit da internet mundial: as princesas da Disney gordas feitas pela artista plástica americana Aly Bellissimo para o Cartoon Brew. As imagens correram os sites (incluindo os da grande mídia) classificando os desenhos como “curiosidade”. Apesar de todos os aplausos dados, sou obrigada a dizer que não gostei. Por quê? Explico:

Como bem percebeu a Mafalda, em seu post no Monalisa de Pijamas, as princesas gordinhas estão tristes. Eu diria mais: depressivas. Como se toda aquela felicidade e cantoria dos filmes tivesse ficado para trás porque engordaram.

As imagens me incomodaram tanto que comecei a pesquisar sobre Aly Bellissimo. Minha primeira parada foi numa entrevista que a recém-formada de apenas 21 anos deu ao Terra Magazine, na qual ela falou que não se trata de um protesto contra a magreza: “Eu faço só por diversão”. Até aí, tudo bem, principalmente porque isso rendeu a ela mais de nove mil acessos em seu blog Creepy Miranda – no qual costuma postar histórias de uma personagem gordinha que usa óculos e (dizem) até se parece com a autora.

E sabem o motivo para ela gostar de mulheres rechonchudas? “É mais fácil na verdade, desenhar gente magra é muito difícil”. Ok. Boa razão, não acham?

Até acharia interessantes as histórias da Creepy Miranda, se elas tivessem o objetivo de mostrar a baixa autoestima e as situações vividas pela gordinha lésbica que se apaixona por mulheres com corpo de modelete. Mas a própria autora diz que a intenção é se divertir. Espero que ela tenha alcançado seu propósito, porque sou obrigada a dizer que eu não consegui.

E no caso das princesas da Disney gordas, se o intuito era zoar com a Branca de Neve,CinderelaBela e Jasmine, digo que prefiro o que fizemos no Monacast 78 – Para Sempre Princesa. No programa, eu, Mafalda e Euba desconstruímos esses e outras personagens perfeitinhas dos contos de fadas. Falamos sobre essas mulherzinhas sem defeitos que estão nos livros, nos filmes e também as que encontramos no mundo real.

Clique na Foto pra acessar o Podcast

Tenho certeza que vocês se divertirão mais escutando o programa do que eu ao me deparar com as princesas gordas da Aly Bellissimo ou ler as aventuras de sua personagem Creepy Miranda.

Via PapoDeGordo

Lei Maria da Lenha

Se a moda pega…

Pra quem quer saber da legenda:

0:10 Ele comeu você !

0:12 isso é mentira !

0:19 Head Shot !!!!

0:22 Ai ai ai Véi …

0:24 aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

Os Benefícios de um Strip-Tease Inusitado

Quem diria que dá pra perder 2000 Calorias com um strip-tease inusitado? Pois é o que esse vídeo a seguir demonstra. Aproveitem pra rir um pouco! 😛

Chamego Profissional

Não tem a ver com prostituição, mas com carência mesmo, e ótima oportunidade de trabalho. Já pensou em ganhar a vida vendendo carinho? Não é sexo, é carinho… Achei a notícia interessante e estou repassando. Lembrei de uma passagem na Bíblia onde um trabalho parecido foi oferecido pra uma jovem chamada Abisague.

QUANDO DAVI FICOU muito velho, quase não saía da cama; e por mais que pusessem cobertores sobre ele, ainda assim ele sentia muito frio. Então os ajudantes do rei lhe disseram: “O remédio para isso é encontrar uma moça virgem que sirva de companheira para o rei e cuide do senhor. Ela se deitará nos seus braços, e assim o senhor se aquecerá”. Por isso andaram pelo país, por todos os cantos, a fim de encontrarem a moça mais linda de toda a terra. Finalmente encontraram Abisague, uma moça de Sunã, e ela foi escolhida. Trouxeram a moça ao rei, e ela se deitava nos braços dele, para que ele se aquecesse ( porém ele não teve relações com ela ). (1Reis 1:1-4 – Bíblia Viva)

Jackie Samuel, uma americana de 29 anos, achou um modo inusitado de ganhar a vida: ela é uma uma “Cuddler Professional” (numa tradução livre, “chamegadora profissional”). Resumindo: ela cobra para dormir de “conchinha” com pessoas que não tem com quem dormir junto.

Ela resolveu abraçar, dormir e acalentar pessoas por dinheiro para pagar seus estudos. Ela recebe em torno de R$ 500 por dia (cobra US$ 60 a hora), e “dorme” com até 30 pessoas por semana, incluindo mulheres, aposentados, veteranos de guerra, ou seja lá quem estiver precisando de carinho e afeto.

“Acho que nasci sabendo aconchegar. O aconchego é saudável, faz bem para o espírito e é divertido. Acredito que os clientes vêm a mim por várias razões. Os mais velhos são sozinhos, suas mulheres já morreram e eles precisam apenas de alguém para ficar com eles, passar algum tipo de contato humano”, explica em entrevista ao jornal inglês Daily Mail.

De acordo com Jackie, quando ela é procurada  por pessoas mais jovens, são pessoas vivendo relacionamentos complicados. Ou então são pessoas curiosas sobre como funciona o trabalho de uma aconchegadora profissional. Ela costuma prestar os serviços na casa dos clientes e em cama de casal.

Existem algumas ressalvas: não é permitido tocar em partes do corpo de Jackie que estejam cobertas por roupas. Para deixar a delimitação bem clara, Jackie sempre atende aos clientes vestida com pijamas. A demanda é tanta que Jackie contratou uma assistente, uma jovem chamada Colleen.

Via Noticias.yahoo.com

Laranja Irritante – Annoying Orange (Humor)

Todo mundo conhece uma pessoa extremamente irritante. Normalmente na adolescência eles começam a aparecer com mais frequencia. E persistem em aparecer em momentos de nossa vida. Isso normalmente é muito chato, mas tem lá seu lado cômico.

O bom da vida é tirar vantagem. Será que foi basseado em alguma essoa assim que criaram a Annoying Orange? Eu gosto de rir com a criatividade das histórias e piadinhas sem graça dessa laranjinha sem nariz e irritante.

 

Neurolinguística Para Chocólatras

Como ser livre do vício no chocolate indesejado? …ou de qualquer outra coisa indesejada que se queira. Bem, não é uma fórmula perfeita pois cada um terá de por sua força de vontade na questão. Mas o fato é que vi uma imagem legal compartilhada pela comunidade GordinhasGlamurosas e me inspirei a partilhar por aqui uma aprendizagem útil. Aliás a mesma aprendizagem pode ser usada em várias áreas de nossa vida.

chocólatra Mulher de 30 Cibele Santos

tirinha da Cibele Santos, do Mulher de 30 – clique na imagem e conheça mais

O lance é usar palavras com sentido positivo pois as frases negativas só REFORÇAM ao cérebro a informação do que se deve fazer. Neurolinguística funciona assim. O cérebro funciona com imagens, logo, dizer: “hoje não” equivale a dizer para o cérebro que hoje SIM, pois o cérebro pega a frase e a transforma numa imagem, e a frase hoje não tem a cena da pessoa comendo o chocolate. Usar palavras positivas seria, por exemplo: “Hoje quero comer tal coisa ao invés dessa aqui.” Mentalmente o cérebro substitui a imagem do chocolate por uma outra coisa e o bendito é posto no seu devido lugar de mero servo e não dono de nossa vontade.

#FicaDica

P.S.: A tirinha é da artista Cibele Santos, querendo conhecer mais, já falamos dela aqui, e tem comunidades no Facebook.

Conselhos Pra Meninas?

A situação não tá fácil pra ninguém. Quando às vezes algumas coisas apertam e a gente busca por auxílio, o quanto que podemos dar crédito ao que nos dizem? Precisamos aprender a descobrir essa tal verdade pra não sofrermos as consequências da ignorância.

5 conselhos errados que as revistas femininas dão sobre o amor

Ana Carolina Prado

Por Ana Paula Severiano*


Latinstock/Corbis

Regras infalíveis para conquistar o homem dos sonhos e fazer a relação durar são um clássico da filosofia de boteco feminina. Boa parte delas a ciência desmente – e dá pistas sobre o que realmente funciona

Você precisa bancar a indiferente

Vários conselhos giram em torno deste tema: “não atenda todas as ligações para não parecer tão disponível, invente uma desculpa para não ir para cama com ele na primeira noite, não exagere nos cuidados e no afeto ou ele vai se espantar e fugir”. Bobagem, meros joguinhos. O que parece mesmo fazer o affair deslanchar é achar alguém com as mesmas intenções que você: relacionamentos duram quando as duas pessoas têm níveis de comprometimento parecido, segundo um levantamento de um time de pesquisadores da Universidade de Minnesota. Eles analisaram os perfis e vídeos de 78 casais discutindo para tentar resolver o problema que mais lhes incomodava. Os vídeos foram vistos e analisados conforme as manifestações de hostilidade – expressões de frieza e rejeição, por exemplo – e desesperança de cada um. Também foi avaliado como os parceiros tentavam acalmar um ao outro. Resultado: os casais com diferença de comprometimento foram os que demonstraram mais hostilidade e tendência ao rompimento. Quando os dois eram superempenhados ou superdesencanados, a tendência era ficar tudo bem. A reciprocidade é o que vale: se o outro dá sinais de estar na sua, é atencioso, te liga etc., não faz sentido querer bancar a indiferente pra fazer charminho. O tiro pode sair pela culatra.

Ele anda apático? Prepare um jantar romântico

Nada disso. Esquentar um relacionamento que anda meio morno – como dizem as revistas femininas – exige maior quebra de expectativa. Melhor levá-lo para andar de montanha-russa. Um estudo publicado por Arthur Aron, pesquisador da Universidade de Stony Brook, em Nova York, expôs casais desanimados a experiências novas e excitantes, como ver filmes de terror, e notou melhora na qualidade de vida da dupla. A conclusão é que nessas situações ocorre um aumento de neurotransmissores como dopamina, adrenalina e norepinefrina – também produzidas quando você se apaixona -, o que faz lembrar o começo do namoro. O problema do jantar romântico é que pode ser rotineiro demais, portanto, com menor capacidade de liberar as mesmas substâncias.


Latinstock/Corbis

Nunca deixe ele perceber que o jogo está ganho

Outra receita clássica é de que os joguinhos de sedução no início da relação devem se manter no longo prazo – seria importante não abrir a guarda totalmente, deixar o parceiro sempre com alguma dúvida sobre os seus sentimentos e sua entrega. Muita gente persegue essa máxima ao longo de toda a vida a dois. Pois bem. Cientistas da Universidade do País Basco que estudaram esse comportamento chamam essas pessoas de “inseguros esquivos”, do tipo que não se envolve demais porque, no fundo, acredita que é melhor “não ter” do que ter e perder. É aquele preocupado em estar sempre por cima. O outro tipo de inseguro são os ansiosos, que fazem o oposto: forçam a intimidade e cuidam compulsivamente do parceiro. São justamente aqueles que costumam dar aos amigos a impressão de estar por baixo na relação e ouvem esses conselhos de que “você se entrega demais, faz tudo pra ele, seja menos dedicada” ou o radical “homem gosta mesmo é de ser pisado”.

Essa classificação de inseguros esquivos, inseguros ansiosos e seguros foi usada por Javier Gomez Zapiain, líder do estudo basco, ao avaliar os modelos afetivos dos 211 casais voluntários da pesquisa, para investigar a relação entre o sexo, a afetividade e as demonstrações desse afeto. As pessoas eram avaliadas e separadas nesses 3 grupos e respondiam a questionários. Conclusão? Quem, na média, demonstrou mais satisfação sexual e mais felicidade na vida a dois foram os de perfil seguro. Eles são os que sabem trocar de papel conforme o momento da relação e de cada um. Segundo os pesquisadores, são pessoas que conseguem se colocar em posição de dependência e reconhecer quando precisam de suporte, além de se expressar quando estão passando por momentos de ansiedade, e ao mesmo tempo lidar com a carência do outro, entender quando o parceiro está se sentindo mal e precisa de atenção. Rebatendo o conselho: demonstrar que você está carente e precisa muito da pessoa não necessariamente vai causar desinteresse no outro. Abrir a guarda faz parte, além de dar o sinal verde para que o outro também possa se mostrar fragilizado quando for o caso.

Não vá para a cama no primeiro encontro

“Resista à tentação ou ele vai pular fora na manhã seguinte”, é o que martelam na cabeça das mulheres. Mas será que a estratégia surte algum efeito? Uma análise de 2010 da Universidade de Iowa considerou um estudo com 642 adultos heterossexuais de Chicago, que responderam sobre a qualidade do seu relacionamento e o tempo que demoraram para fazer sexo. Casais que liberaram geral na primeira noite não disseram estar menos felizes do que os que esperaram. “É possível que o amor verdadeiro surja quando as coisas começam com uma abordagem mais direta, quando as pessoas flertam, se envolvem sexualmente e depois constroem a relação”, diz Anthony Paik, o sociólogo responsável pela análise. Vai nessa linha a pesquisa feita pelo site Match.com com mais de 5 mil pessoas solteiras – e consultoria da antropóloga Helen Fisher, da Universidade de Rutgers, nos EUA. Ela mostrou que 35% da amostra já saiu para um encontro casual, fez sexo na primeira noite e manteve um relacionamento longo depois disso. Segundo Barry Gibb, biólogo da University College London e autor do livro The Rough Guide to Brain, é até melhor ir logo para cama e descobrir se vocês são compatíveis. Se forem, vai ser demais e haverá grande liberação de ocitocina e vasopressina, hormônios do desenvolvimento do apego e da confiança. Se não, vocês partem para outra e pronto. Desse ponto de vista, as duronas estariam apenas perdendo tempo.

Se ele está mesmo apaixonado, vai se lembrar das datas especiais

Parece ser realmente legal quando um cara presenteia a mulher com um buquê de flores para celebrar a data da primeira vez que eles dividiram juntos um chiclete. Afinal, gestos valem mais do que palavras, certo? Talvez não. Em um estudo publicado em 2010, as psicólogas Lara Kammrath e Johanna Peetz, das universidades de Wilfrid Laurier, no Canadá, e de Colônia, na Alemanha, afirmam que os sentimentos amorosos podem levar a alguns comportamentos românticos, mas não a outros. Atitudes mais espontâneas, como dizer “eu te amo” e oferecer uma massagem relaxante quando a companheira chega em casa cansada, estão mais associadas à paixão do que a ações que dependem de uma memória de longo prazo e de planejamento, tipo se lembrar de datas especiais, organizar uma serenata ou não esquecer de tirar o lixo (caso isso seja uma prova de amor para você, como foi para algumas das garotas do estudo). Seria o atestado de razão para aqueles que desconfiam que aquele amigo que costuma fazer surpresas cinematográficas para todas as namoradas, na real, faz isso mais porque gosta de um espetáculo do que movido por uma paixão avassaladora, maior que a dos outros.

Via Super.Abril.com

A Casa Caindo e Minha Mãe Dormindo

Minha mãe me surpreendeu na manhã de hoje. Após forte apelo popular inclusive via Facebook, para que houvesse chuva, a mesma chegou e chegou bem chovida. Quem dera acontecesse assim também no nordeste brasileiro e em outras regiões do mundo. Acontece que aqui em casa nós temos um probleminha técnico. Recentemente foi feita uma reforma no telhado e em decorrência de uma chuva anterior com ventos fortes, que arrancaram uma telha do vizinho e jogou a mesma em nosso telhado, mesmo após o reparo, quando chove MUITO acaba infiltrando água no telhado e entra o pinga-pinga dentro de casa.Pois então, choveu MUITO, MUITÃO mesmo. Ou seja, logo de madrugada eu fui acordado com o som do pinga pinga, e a chuva continuando a cair lá fora e eu depois de ajeitar as vasilhas onde podia vim pra vida virtual já que o sono tinha sido estragado, dar andamento aos trabalhos do dia, às diversões, aos compromissos. Até que vejo minha mãe resmungar qualquer coisa meio sem nexo, se levantar da cama dela pra ir na minha vaga.Alguns minutos depois qual não é minha surpressa quando entro no quarto dela e vejo tudo alagado, encima da cama principalmente. Ao perguntar se ela sabia do caso, respondeu: “Quero dormir meu sono em paz”.

Lembrei do filósofo cínico Diógenes, que morava dentro de um barril e só tinha por bem material uma cuia com a qual bebia água… quer dizer, tinha até o momento que viu um menino beber água na fonte usando as mãos em concha. Certa vez, Alexandre, o Grande, imperador do mundo de então, chegou diante desse filósofo e perguntou o que ele queria. O que pedisse, seria satisfeito. Resposta: quero que saia da frente do meu sol – o mesmo estava se aquecendo e Alexandre estava fazendo sombra… Mesmo diante das risadas do povo ao redor Alexandre os respondeu que se não fosse Alexandre, ele queria ser o tal filósofo.

Quem sabe um dia alcanço a paz de minha mãe, ou algo bem perto disso.

P.S.: Sobrou pra mim arrumar tudo, mas debaixo de boas risadas tendo em vista o inusitado da aprendizagem.

Leandro Hassum – Reeducação Alimentar

Estou feliz pelas vitórias alcançadas pelo Leandro Hassum. O gordinho gostoso de engraçado está emagrecendo e muito feliz por isso. Pra quem pensa que por admirar o fato das pessoas serem gordinhas, faço apologia à gordura: Não, não! Faço apologia ao bem estar como somos. Naturalmente nascemos gordos ou magros por capricho da natureza dada via DNA. Se o fato de sermos gordinhos estiver nos prejudicando a saúde, então partamos pras dietas bem orientadas por Nutricionistas e a tal da Reeducação alimentar, que é ótima de se vivida.

O humorista Leandro Hassum (38) está seguindo uma dieta rígida para poder perder peso. O artista revela que já eliminou 18 quilos nos últimos dois meses e que ainda quer perder mais 15 quilos. “Estou pegando firme e conto com a ajuda de um personal para fazer exercícios todos os dias. Além disso, estou comendo direitinho de três em três horas e fazendo uma reeducação alimentar”, afirmou ele ao site oficial do programa Encontro com Fátima Bernardes.

A vontade de emagrecer de Hassum tem relação com o seu futuro mais saudável. “Estou fazendo de tudo para ter uma velhice saudável. Ando de bicicleta e faço stand up pedal diariamente na praia de Charitas, em Niterói”, contou o artista, que já sente as mudanças em seu dia a dia. “Me sinto muito melhor, muito mais disposto, já criei muito mais resistência física. Estou muito feliz”, finalizou.

Leandro Hassum interpreta o Jorginho no seriado Os Caras de Pau ao lado do amigo e humorista Marcius Melhem.

Via Caras

Jô Soares – Entrevistado

Ontem de noite eu caindo de sono ainda consegui ouvir e ser acordado por instantes pra conhecer um pouco mais dessa figura tão interessante, cômica, inteligente que é um dos gordinhos mais admirados do Brasil: Jô Soares.
Ontem ele foi o entrevistado e falou um pouco de sua vida, sensibilidade, ideias. Gostei de conhecer um pouco mais desse que é um exemplo em muitos aspectos a ser admirado.

Entrevista ao quadro “O que vi da vida” com “Jo Soares” no Fantástico de 23/09/2012

Segue um artigo da Revista Caras

O apresentador Jô Soares (74) foi o entrevistado deste domingo, 23, no quadro O Que Vi da Vida, do Fantástico, e abriu o seu coração sobre diferentes temas de sua vida.Quando o assunto foi a morte, ele foi categórico. “Medo da morte é um sentimento inútil, tenho medo de não ser produtivo. Citando o meu amigo Chico Anysio, perguntaram para ele: ‘Você tem medo de morrer?’, e ele disse: ‘Não, eu tenho pena’. Já estou firmando compromisso para daqui uns 30 anos”, afirmou ele.

Realizado com o seu programa nas noites da Globo, ele relembra o início de seu talk show, no SBT. “Quando eu tive a proposta de mudar de canal, foi a possibilidade de fazer o talk show. Fazer um programa diário foi ideia do Silvio: ‘Ou é diário ou não é. Se for só uma vez por semana não emplaca’. Intuição de tigre”.

O apresentador ainda diz que não é de sentir saudades do que passou. “Não sou saudosista nem um pouco, estou fazendo o que gosto e o que quero fazer. Nunca tive nada esquemático, era fazer, mais que pensar”. Mas, revela que é de chorar. “Sou um chorão de marca maior com coisas comoventes, com tristeza não”.

Com mais de 200 personagens em sua carreira, Jô diz que não se vê voltando a interpretar suas criações. “Não me vejo fazendo os mesmos personagens com a cara de hoje, não é mais a minha. Descobri também, sem querer, a grande vocação da minha vida, que é o programa que faço hoje, o que me dá mais alegria em fazer, me sinto vivo ali, o talk show. Ter uma pessoa que conversa bem com você é um dos prazeres mais gratificantes que existem”, comentou, completando com a criação do Capitão Gay, um de seus maiores sucessos. “Tive a ideia acordando no meio da noite, porque não tem um herói de gibi viado? Levantei da cama para escrever o quadro. Tem uma característica curiosa, poucos dos personagens tinham nome, eram mais conhecidos pelo bordão ou pelo quadro”.

Falando de sua carreira, Jô Soares diz que é vaidoso: “Eu sou muito vaidoso, claro, nunca escondi isso, qual artista não é vaidoso? Você já nasce querendo seduzir o mundo”, contou ele, que ainda falou de sua forma física. “Eu já era gordo. Gordinho é quase que preconceituoso, gordinho já deixa de ser gordo. Filho único, quando nasci, minha mãe já tinha 40 anos e tudo o que fazia já era aprovado. Pelo fato de ser gordo, já era muito exibido”.

O comunicador ainda relembra de sua infância. “As minhas lembranças da infância são a época do colégio interno, onde eu chorava muito, era uma coisa excessiva, sensibilidade quase gay. Se você não tivesse uma média de notas superiores a cinco, você ficava preso no final de semana, e eu tinha medo de passar o final de semana no colégio, eu chorava muito”, disse ele, que comentou sobre os seus estudos na Suíça. “Fui estudar na Suíça com 12 anos e voltei com 17 porque os negócios do meu pai foram por água a baixo. Lembro do meu pai chegando em casa e dizendo que amanhã já temos comida, depois de amanhã eu saio para batalhar”.

Ele também comenta o início da vida artística. “Acho que começou por acaso, como tudo. Fazer as imitações acabou me levando a lugares. Com 18 anos já tinha cargo importante e com 20 comecei nos programas da TV Rio”. Jô também falou do sucesso do programa A Família Trapo“Foi o primeiro sucesso da televisão nacional, foi de 1966 até 1970. Saí um ano antes e assinei com a Globo”.

Ídolo para muitos, Soares lista os artistas que foram marcantes em sua vida. “Tem atores como o Oscarito, que eu achava um comediante fantástico. Peter Sellers, comediante e ator fantástico, um dos cinco maiores do mundo, como o Chico Anysio também. Chaplin influenciou a vida de todo mundo, sempre me fazia rir e chorar”.

Via Caras

Adeus Magreza

Meninas e meninos fofinhos, será que precisamos voltar no tempo pra ter uma padrão de beleza mais adequado? Nãoooooo, eu acho que não! Precisamos mesmo de uma reVOLTA cultural, na verdade mental, espiritual, emocional, da gente pra com a gente mesmo. POrque o que é belo para a maioria da sociedade, muda com o tempo e os interesses econômicos. Portanto, busquem uma saúde física e mental pra seus corpos e almas e sejam FELIZES.

Achei nesse comercial antigo o que exemplifica o que eu disse.

Reparem na modelo dando adeus à magreza…

Livre-se do Complexo de Magreza

Vikelp transforma os magros de nascença em criaturas forte e cheias de vida.

Cuidado com essa magreza! Dia a dia, essas palavras ferem a sua sensibilidde, tornando sua vida um fardo insuportável. Você deixa de ir às praias… usa roupas fechadas… adquire o complexo de magreza. Vikelp trouxe novo alento aos magros de nascença. É um poderoso concentrado vegetal assimilável, à base de sais minerais, vitaminas e iodo natural extraído da alga marinha “kelp”. A sua ação tônica e restauradora sobre glândulas, músculos e nervos é extraordinária. Em poucos dias você verá carnes rijas vencerem a magreza do seu corpo, voltando as forças, a energia e a confiança em si mesmo. Comece a tomar Vikelp hoje mesmo.

Comprimidos Vikelp

Batata

Quem diria que a batata seria uma heroína! Pois é. O Sr.Cara de Batata na ilustração do post que o diga. Usei esse personagem do desenho animado pra poder chamar a atenção pra graça que a natureza nos propõe. Veja como são as coisas.

Batatas: uma ótima forma de remover cacos de vidro

Técnica é um verdadeiro “serviço de utilidade pública” e evita os machucados que podem ser causados pelo vidro.

Quem nunca quebrou um vidro (especialmente na cozinha) e, mesmo depois de limpar o ambiente, ainda encontrou pequenos cacos escondidos nos cantos uma semana depois? Utilizar um aspirador para tentar consertar tal situação é uma boa opção, mas nem sempre ele alcançará todos os locais em que partículas minúsculas de vidro podem estar.

Nesses casos — além de evitar andar descalço pelo local por um bom tempo —, uma dica ainda melhor seria: use uma batata crua, pois ela ajuda a remover os pequenos cacos de forma simples.

Os passos são fáceis: desligue as luzes do ambiente em que o vidro foi quebrado e, com a ajuda de uma lanterna, ilumine os possíveis locais onde os minúsculos pedaços estariam. Os cacos irão refletir a luz e, com isso, você só precisa passar meia batata crua sobre eles (utilizando uma luva) para que ela incorpore todos os pedaços sem dificuldades.

Fonte: Life Hacker Via Tecmundo

Tutorial de Maquiagem

Curte maquiagem extrema? Maquiagem extrema é como eu chamo os modos de alterar tão drasticamente as feições do rosto que a pessoa se torna irreconhecível do normal. Tem quem goste… Segue um vídeo com um exemplo quase bizarro de transformação. Quem conseguir chegar até os 4min 18seg vai entender bem do que estou falando.

Abaixo uma amostra…

Cuidado com as Palavras – Versão Plus Size

[Clique nas imagens kkkkk]

Pai:
– Você cortou o cabelo da sua amiga por que ela te chamou de gorda?!
Filha:
– A guria me chaa de gorda, e você tá preocupado com o cabelo dela?
Pai:
– É que você tá… Meio gordinha mesmo
Filha:
– Tem certeza?

Telhado de Vidro – Vingança no Estacionamento

“Não jogue pedra no telhado dos outros porque o teu é de vidro.” (Ditado Popular)

Pra quem não conhece o ditado acima, significa que não é bom julgar as pessoas por seus erros ou falhas ou fraquezas, porque também temos as nossas se nos olharmos por outros pontos de vista.

O vídeo acima mostra bem como pode ser isso na prática. Certas “Vinganças” nem deveriam ser consideradas como tal… kkkkkkkkkk

Tia Tarada – Humor Estilo Meme e a Resposta de Hitler

Achei dois videos muito engraçados por serem situações totalmente fora do que consideramos normal. Num deles a “tia tarada” parentemente esta relembrando alguma situação bem picante da vida dela, mas totalmente fora de contexto e no seguinte um trecho do filme “A Queda” sofre uma drástica alteração pra que faça humor com o video anterior.