A Gorda Que Se Ama é Mais Feliz

Achei um texto lindo hoje. Apareceu no meu feed do facebook e eu me surpreendi com o texto ser longo, ai fui ler. Amei e achei super válido compartilhar com o mundo. Uma das partes mais linda que eu achei é quando ela diz: “a beleza é fruto de uma certeza, fruto de um encontro íntimo seu…” Precisamos desse encontro todos os dias! Quanto mais descobrirmos quem somos e o quanto isso é belo, melhor para nossa saúde emocional, mental, física. Melhor para o mundo como um todo. Quando estamos felizes com quem somos, nos tornamos melhores seres humanos, produzimos bem o que nos dispusermos a fazer. 

“Algumas pessoas costumam dizer que eu sou narcisista, que faço muitas fotos de mim mesma..algumas chegam a dizer que “me exponho demais”..
E eu fico pensando comigo mesma…quantas pessoas se incomodam com as fotos diárias quase que em tempo real das famosas de plantão? Ahh elas são bonitas! Ok! E eu também! As pessoas se incomodam porque estão habituadas a verem pessoas gordas como eu escondidas em seus casulos, envergonhadas por terem um peso maior do que a maioria, estão acostumadas a pessoas que de tanto ouvir que não têm uma beleza adequada, acreditam na falácia e se escondem com medo de esfregar na cara da sociedade a beleza que não é só autoestima ou autoafirmação… a beleza que é fruto de uma certeza, fruto de um encontro íntimo seu… a beleza de perceber que é muito mais que um número… e essa beleza tão singular precisa ser mostrada… o belo está em mim.. o belo que os meus olhos vêem mesmo que o outro não veja, eu vi… e só isso importa. Ninguém tem a obrigação de nos amar… amar é escolha… por essa razão eu escolhi me amar… e se postar milhares de fotos é uma das inúmeras formas de evidenciar essa escolha… que assim seja! D.S. 
#plussize 

P.S.: Não citei o nome da autora pois peguei o texto dela sem permissão pra expor aqui no blog. Conforme ela me responda e permita eu edito.

Forte abraço pras amiggas! 

As fotos que usei pra fazer a montagem que ilustra o texto são da Mariana Godoy que faz uma arte linda que empodera as mulheres gordas. Confira mais do trabalho dela aqui: empoderarteme  

Qual é o Peso de Um Olhar?

FOTÓGRAFA REGISTRA OLHARES PRECONCEITUOSOS CONTRA GORDINHAS

Foto: Haley Morris-Cafiero

Bem resolvida com seus quilos a mais, a fotógrafa Haley Morris-Cafiero criou um novo projeto para mostrar que o fato de ser gordinha não é um problema para ela, mas, sim, para os outros. Como? Fotografando nas ruas as expressões daqueles que se deparam com pessoas acima do peso.

Ela batizou esse trabalho de Wait Watchers, nome como é conhecido o programa de emagrecimento “Vigilantes do Peso” em outros países. A ideia surgiu quando flagrou o olhar de repulsa de um homem enquanto trabalhava em outro projeto, em 2010.

A partir daí, resolveu registrar outras reações. Colocou a câmera em um tripé e clicou outras pessoas que olhavam para ela em situações comuns do dia a dia, como lendo um livro, falando ao telefone e comendo em público.

As imagens obtidas registram diferentes flagras, desde posturas que mostram curiosidade até aquelas que expressam nojo. Ou seja, é nítido o peso e a cobrança da sociedade sobre as pessoas obesas.

 

Da Beleza Real

Não se contente em apenas se sentir linda. SEJA LINDA! SER linda é diferente de se sentir linda ou de parecer linda. Pode ser que SER dê um tanto de trabalho, afinal de contas você vai ter de ir contra toda uma cultura (que tem mudado aos poucos, é verdade) e que diz que uma mulher gorda não é assim tão bela quanto pode pensar. Mas quem são os outros pra nos dizer o que podemos ou não pensar?

Entenda que a BELEZA não é o que todos dizem e muito menos o que poucos dizem. A beleza é o que é e está em todo lugar, mas só reconhece a beleza quem quiser. Ela está dentro de quem a vê por fora. Ou seja, o que é belo ou não vem dentro de cada um, nas preferências de cada um ou dentro do que cada um escolheu crer. Os que acreditam que BELEZA é apenas o que a maioria diz, vão ficar escravos das mudanças da moda, conforme a mídia propaga novos interesses e queiram vender novos produtos. Ai de quem se deixa escravizar e acaba tendo o seu corpo como objeto de barganha. É triste ver pessoas deprimidas por não terem um corpo objeto, digno de vitrine. A dignidade da beleza de um corpo está em sua existência saudável. Se o seu corpo está saudável, sem doença que te prejudique a qualidade de vida; se o seu corpo está bem cuidado, não está sujo nem ferido, então o seu corpo é PERFEITO. Mesmo que hajam estrias e celulites e cicatrizes de operações ou acidentes… o corpo quando funciona bem, é um corpo perfeito, pois a vida está bem guardada dentro dele. Essa é a beleza que importa a da vida fazendo o corpo funcionar.

Gordas, Gordinhas & Gordonas

Gordas Gordinhas e Gordonas - EuGordinha

A gorda é o única rejeitada que é preconceituosa com as da sua “própria espécie”. Quer ver? Poste uma foto de mulheres realmente gordas, não gordinhas, nem fofinhas, mas gordas e espere para ver os comentários de outras gordas. São críticas atrás de críticas, umas focam a saúde, outras falam que aquelas não são gordinhas e sim obesas.

Ora, independente se você tem 5 ou 100 quilos acima do peso considerado normal você já é considerada anormal para a sociedade. Então, pra quê apontar e julgar!? Quando fazem com você, como você se sente!? A verdade é que tendemos a julgar os outros como a si mesmo. Se você tanto se importa com o peso alheio e julga o que não lhe é de respeito, é sinal de que sua autoestima está tão destruída que precisa descontar isso em alguém.

Enquanto não nos unirmos, nos respeitarmos e nos aceitarmos mutuamente, nunca seremos vistas! Nos apoiarmos é muito melhor do que nos julgarmos, não é?

Via Carla Souto

Amor Próprio

Keli Patrícia  EuGordinha

…é não adianta, você sempre vai ser um ponto de referência.. mas pode optar por ser um ponto de referência pelo lado bom ou pelo ruim.. sempre um(a) gordinho(a) vai ser apontado, sempre que for passar na catraca vão olhar se vai se prensar.. sempre que for sentar em um lugar reduzido vão olhar se você vai caber… sempre que entrar em um lugar pra comer ou comprar algo vão prestar atenção no seu prato, nas suas escolhas… E isso te deixa triste,incomoda muitas vezes, talvez você já tenha fingido não ligar para os olhares e depois em sua casa chorou no escuro do quarto.. passar pelo período de aceitação é muito difícil, eu nem sempre passei por tudo com sorriso no rosto, já deixei de pegar o mesmo ônibus que amigos pra que eles não me vissem sofrendo pra girar a catraca, já deixei de ir em lugares onde o lugar pra sentar é restrito, já pensou ficar presa entre a cadeira e a mesa??… Já chorei e como chorei!… mas ai eu parei e tive que decidir se eu deixaria a sociedade decidir quando eu poderia sair na rua ou não, se eu faria um regime ou não, se eu seguiria padrões ou não…e minha resposta veio de encontro com algo que descobri em meio a tanto apoio familiar e de amigos…NÃO! …quem decide o que você vai ser é você e eu decidi ser livre de preconceitos e me amar acima de tudo e todos..e vou dizer isso faz um bem incrível, mas temos que tomar cuidado porque no meio do caminho vamos conhecer tantos VERMES que se fingiram de amigos, amores repentinos que logo em seguida nos deixaram piores, aquele tipo de gente que te ama em tempo instantâneo e depois quer te levar pra cama, some… isso mesmo… Hoje em dia nós mulheres gordinhas ainda passamos por isso de chegar um ROMEU te encher de palavras bonitas, te levar pra cama e sumir porque simplesmente ele pode realmente se apaixonar por você ,mas apresentar uma GORDA pra família, amigos é algo inaceitável .. em meu caminho essa fase tem mudado, depois que eu dei de cara com o tal AMOR PRÓPRIO eu tenho atraído aquilo que me convém e não caio mais em papo de amor por gordinhas,ou fetiche ou seja lá o que venham me falar, me oferecer, eu acredito em sentimentos, em aceitação, naquela pessoa que te pega pela mão seja onde você estiver, te apresenta aos amigos como sendo a sua princesa, e tem que ser assim, se algum dia você já viveu algum tipo de preconceito, seja ele qual for, saiba que quem decide o final da história é você!

Keli Patrícia 23:57 hs de uma simples segunda e cansativa feira *_*

Poder

Gordinha Pin Up EuGordinha

Sem essa de que é preciso ser magra pra ser gostosa, para ser feliz não é preciso seguir os estereótipos que a sociedade impõe. A mulher brasileira tem carne, tem peito, tem bunda. Encare a realidade dos seus quilinhos à mais sem neuras, apenas cuidando bem da sua saúde e auto-estima. Isso sim é ser mulher, sem deixar de ser você mesma. Sinta-se bonita e sexy. Sinta o poder que tem as gordinhas. (Anônimo)

Força pra Viver!

Juliana Barbieri EuGordinha Blog

Olá!
Vejo constantemente depoimentos de meninas/mulheres deprimidas por serem fora do padrão pré estabelecido pela sociedade contemporânea, ou seja nós gordinhas… achei que devia dizer algumas palavras…
Bom, meu nome é Juliana, tenho 34 anos, nasci no interior de São Paulo e aos 6 anos mudei para o Rio de Janeiro onde vivo até hoje…
Até os 16 anos eu tinha um peso considerado normal, eis que por fatores psicológicos em 3 anos engordei 100 quilos, atingindo a marca de 160 ao final…
Porém isso nunca me impediu de absolutamente nada… eu ia a praia, namorava, fui ao Rock in Rio 2001, cinema, fiz curso de teatro, meu único senão era a doença da minha mãe, que por acaso foi o distúrbio psicológico que me referi… (entre eles depressão e síndrome do pânico).
Tive que crescer e amadurecer mais cedo, deixar algumas “coisas de adolescente” de lado mas nada relacionado ao meu peso…
Em 2001, temendo que um problema de saúde viesse a surgir, eu não tinha absolutamente nada: pressão alta, colesterol, triglicérides, nada, me submeti a uma cirurgia bariátrica na época ainda em testes no Rio, perdi os 100 quilos, fiz cirurgias reparadoras… mas eu gosto de comer… meu pecado é a gula… chocolate então… nem comente…
Resultado, com o passar dos anos voltei a engordar e ainda faço terapia, mas continuo tendo uma vida normal… trabalho, estudei, fiz faculdade, namoro… Adquiri um desiquilíbrio de pressão é verdade, mas por conta da taquicardia que a síndrome do pânico causa, e um pouquinho por causa do peso também… fora isso meus exames são de um bebê…
Continuo namorando, trabalhando, me divertindo e atravessando os obstáculos que a vida impõe pra todo mundo…
Eu sei que não é fácil viver num mundo projetado para magros, via de regra roletas de ônibus, cadeiras de teatro e cinema, etc… mas acho que o grande segredo é se curtir, se aceitar, ignorar as bobagens que por ventura se venha a escutar e, principalmente se amar e cercar-se de pessoas que te amam por quem você é… e claro não descuidar da saúde jamais…
Sejam felizes meninas, amem-se para serem amadas… o mundo está cheio de oportunidades, basta garimpa-las… bjks

Gorda

Recebi num email um depoimento interessante. A menina me pediu anonimato, mas ainda assim eu acho que essa vivência acontece com muitas… já ouvi histórias. Só quero comenta a parte na qual ela diz que estava falando mal de si mesma… Puxa, a gente pode acabar tomando uma palavra simples e colocando um peso de preconceito sobre ela… Segue o texto d leitora:

Certo dia estava conversando na internet, quando me perguntaram como eu era. 
Então o que será que respondi? Comecei a escrever:  Gordin… Então de repente parei e pensei:
Ué! por que estou escrevendo que sou GORDINHA, se eu não fosse gorda eu diria que era MAGRA e não MAGRINHA.

Quando dei por mim já estava dando Enter com a palavra GORDA aparecendo na tela. De primeiro, tive uma sensação estranha de estar falando mal de mim mesma, mas depois me senti tão livre que agora sempre que me perguntam como sou, digo: sou GORDA e já não me sinto mal por dizer isso, me sinto tão livre como nunca antes senti. Essa liberdade que sinto agora faz eu me sentir e me ver mais bonita. Olho para o meu corpo e digo como é lindo, com roupa ou sem roupa, me sinto desejável, me sinto poderosa.

Diante disso tudo me pergunto: por que vivi tanto tempo debaixo de uma ditadura que me oprimia? O que Quero agora é ser livre como eu sou, viver como eu sou, deixar morto de desejos quem me ama. Não importa se não sou desejada pelos homens em cada esquina, o importante mesmo é me fazer desejável para mim mesma e para o homem que me interessa, o homem a quem amo, isso sim vale a pena.

Mayara Russi – Modelo Plus Size, Batalhadora & Vencedora

Mayara Russi - EuGordinha

“Uma pessoa batalhadora que corre atrás dos seus sonhos independente da opinião de qualquer pessoa.”

Domingo, 31 de julho de 2011. Estava eu com minhas palavrinhas num texto, e de vez em quando dando uma olhada no twitter. Quando começaram a surgir pessoas comentando a entrevista de Mayara na Gabi. Uhhh, legal. Mas a princípio não liguei a TV pra assistir, sabendo que depois poderia fazê-lo nessa ferramenta boa que é a Internet. No diz seguinte eu comecei a me surpreender com um pouco do que a menina expôs de sua vida. O que posso dizer dela pelo que vi até agora? Que ela é mulher, mãe, modelo plus size, batalhadora, vencedora (inclusive, venceu um câncer,

Algumas lições que aprendi:

  • Fama não é sucesso. Sucesso é conseqüência de esforço e trabalho bem feito.
  • Amar a si mesmo traz um bem estar que contagia os outros ao seu alcance.
  • O preconceito é uma praga, doença infeliz que ataca invisivelmente.

Seguem abaixo, os vídeos com a entrevista dela no programa da Gabi.

Parte 1

Parte 2

Parte 3

Parte 4(final)