Ser ou Não Ser – Escolha ou Imposição?

As gordinhas lindas na ilustração são arte do Edull

Quem você é hoje é resultado da sua vontade ou da vontade de outras pessoas?

Quando no geral nos perguntam quem somos, costumamos responder nosso nome e logo em seguida vem a profissão, ou o que fazemos. Como se o nome e as nossas ações fossem suficientes para nos definir. Pois bem, digo que não é, pois somos muito mais do que as nossas ações e os nomes que escolheram pra nós.

Quantas vezes a gente age no impulso e logo se arrepende procurando reaver nossas atitudes e tomando um outro rumo na vida? Aí de nós se fôssemos apenas o que fazemos. Mas enfim, o caso é que, a nossa real identidade não se restringe ao nome, profissão, aparência… Quem de fato somos está muito ligado a um somatório de muitas características que são exclusivamente nossas, um jeito de ser que no mundo só quem tem somos nós. A nossa vontade também tem a ver com quem somos, nossas intenções. O quanto que valorizamos essa particularidade?

Há quem valorize muito pouco, inclusive chega ao ponto de ir na onda de toda moda que surge sem se questionar se de fato gosta ou se está aderindo apenas para ganhar mais elogios e likes e ser aceito por um grupo de pessoas que pode dar um senso de aprovação e bem estar. Estou dizendo que não devemos andar na moda? Não. Não to dizendo isso. Estou dizendo que não precisamos ser “maria vai com as outras“? Sim, estou falando que podemos ser individuais e mesmo assim amáveis, aceitáveis, gostáveis e únicos enquanto seres humanos. Não há nada de errado com isso. Algumas pessoas têm medo de assumir a própria identidade, pois é natural sermos autênticos na vida e no mundo e uma grande massa de pessoas que não tem a própria identidade definida vir com paus e pedras querendo nos demover da nossa condição de exclusividade. Acontece que chegar ao ponto de sermos quem somos é libertador e não há dinheiro no mundo que pague pela paz de saber que somos amados pelo que somos e não pelo esforço que poderíamos fazer para ser aceitos.

Se você já descobriu o quão libertador é ser quem você é de verdade, compartilhe essa ideia com outras pessoas e contribua para um mundo mais livre e feilz!

O Que é Beleza de VERDADE?

O que é o Belo? Questão pra lá de filosófica, eu sei. Mas muito pertinente. Beleza pra mim  é o que me atrai. E eu já me vi sob efeito da atração por coisas belas que a maioria das pessoas diziam não ser. Acontece que tem coisas que eu não posso deixar que me digam o que é… mesmo sendo a maioria. Pois a maioria pode ter sido enganada, como na história da Maria Vai Com As Outras.

Quero apresentar pra quem não conhece uma menina LINDA, pelo tanto que fez e faz, pelo tanto que consegue ao cumprir sua missão de EXISTIR.

A história de Lizzie Velasquez é uma história de superação, de fé, de fortaleza. Uma inesperada lição que talvez ela mesma nem sequer suspeitasse que poderia dar. Lizzie padece de uma estranha síndrome, que lhe impede de ganhar peso e que a tornou objeto de deboche e escárnio. Quando estava no colégio, não ocorreu melhor ideia aos colegas de Lizzie em subir um vídeo ao Youtube com seu rosto e com um título: “A mulher mais feia do mundo“. Durava só 8 segundos, mas logo atingiu os quatro milhões de visitas. O pior, no entanto, veio depois.

“Os comentários diziam que eu fizesse um favor ao mundo e colocasse uma pistola na cabeça. Referiam-se a mim como ‘isso’ ou ‘um monstro’. Li cada um dos comentários. Queria que se sentissem tão péssimos como me fizeram sentir. Mas decidi responder de uma forma diferente”, diz a própria Lizzie e o resultado é realmente surpreendente. É a vingança da “mulher mais feia do mundo.

Lizzie Velasquez, com insuspeita integridade, nascida há 23 anos em Austin, Texas (Estados Unidos), decidiu demonstrar a ela mesma e ao mundo onde reside a verdadeira beleza. Sua história está abreviada no vídeo que acompanha este post, subido ao Youtube e no qual resume sua história.

– “Tenho uma síndrome não diagnosticada” -escreve Lizzie em uma série de cartões que vai mostrando à câmera-. “Só três pessoas no mundo têm. Disseram-me que nunca chegaria a nada. Cada dia é uma luta. Ser julgada por estranhos não é fácil. Sua doença, como já informamos, impede-a de engordar, por muito que coma, e que resultou no aspecto do rosto e do corpo que se tornaram objeto de deboches. Quando era adolescente esteve a ponto de se afundar, mas sua família ajudou-a a encarar o mundo com serenidade.

– “Estipulei quatro metas para mim: fazer palestras motivacionais, publicar um livro, formar-me na faculdade e ter uma família e uma carreira”, explica no vídeo. – “Meu caminho não foi fácil. Mas estou orgulhosa de dizer que aos 22 anos estou em meu sexto ano ministrando palestras motivacionais. Publiquei meu primeiro livro, ‘Lizzie Beautiful’ (A Bela Lizzie). Estou atualmente trabalhando em meu segundo. E me formarei em poucos meses.”.

A jovem está segura de que o primeiro lugar onde alguém pode encontrar sua verdadeira beleza é buscando dentro de si mesmo:

  – “A beleza não é definida apenas como a aparência externa. A verdadeira beleza está naquilo que você faz e bem dentro de você”, acrescenta.

– “O primeiro passo que a gente tem que dar é aprender a se aceitar. Aceitando suas imperfeições, suas boas qualidades, sua personalidade, tudo!”, recomenda, tal e qual faz nas palestras que dá. Alguns destes conselhos, bem como toda sua trajetória, estão resumidos no seu site, que inicia com uma sugestiva proposta, a mesma do título do novo livro que está escrevendo:“Seja bela, seja você!”.

– “Lembram do horrível vídeo sobre mim?”, conclui Lizzie no vídeo enviado ao YouTube. “Não me afundei até seu nível. Em vez disso, tive minha revanche através de minhas realizações e determinação. Na batalha do vídeo da mulher mais feia do mundo contra mim… acho que venci!.

Via Metamorfose Digital 

Segue uma reportagem em português sobre ela.