Descobrimos a Fonte da Juventude!

A Fonte Da Juventude Chama-Se Mudança
Por Lya Luft

“Mês passado participei de um evento sobre as mulheres no mundo contemporâneo. Era um bate-papo com uma plateia composta de umas 250 mulheres de todas as raças, credos e idades. E por falar em idade, lá pelas tantas, fui questionada sobre a minha e, como não me envergonho dela, respondi.

Aí fiquei pensando: ‘pô, estou neste auditório há quase uma hora exibindo minha inteligência, e a única coisa que provocou uma reação calorosa da mulherada foi o fato de eu não aparentar a idade que tenho? Onde é que nós estamos?’

Onde, não sei, mas estamos correndo atrás de algo caquético chamado ‘juventude eterna’. Estão todos em busca da reversão do tempo.

Acho ótimo, porque decrepitude também não é meu sonho de consumo, mas cirurgias estéticas não dão conta desse assunto sozinhas.

Há um outro truque que faz com que continuemos a ser chamadas de senhoritas, mesmo em idade avançada.

A fonte da juventude chama-se mudança.

De fato, quem é escravo da repetição está condenado a virar cadáver antes da hora. A única maneira de ser idoso sem envelhecer é não se opor a novos comportamentos, é ter disposição para guinadas.

Eu pretendo morrer jovem aos 120 anos. Mudança, o que vem a ser tal coisa?

Minha mãe recentemente mudou do apartamento enorme em que morou a vida toda para um bem menorzinho. Teve que vender e doar mais da metade dos móveis e tranqueiras, que havia guardado e, mesmo tendo feito isso com certa dor, ao conquistar uma vida mais compacta e simplificada, rejuvenesceu.

Uma amiga casada há 38 anos cansou das galinhagens do marido e o mandou passear, sem temer ficar sozinha aos 65 anos. Rejuvenesceu. Uma outra cansou da pauleira urbana e trocou um baita emprego por um não tão bom, só que em Florianópolis, onde ela vai à praia sempre que tem sol. Rejuvenesceu.

Toda mudança cobra um alto preço emocional. Antes de se tomar uma decisão difícil, e durante a tomada, chora-se muito, os questionamentos são inúmeros, a vida se desestabiliza. Mas então chega o depois, a coisa feita, e aí a recompensa fica escancarada na face.

Mudanças fazem milagres por nossos olhos, e é no olhar que se percebe a tal juventude eterna. Um olhar opaco pode ser puxado e repuxado por um cirurgião a ponto de as rugas sumirem, só que continuará opaco porque não existe plástica que resgate seu brilho. Quem dá brilho ao olhar é a vida que a gente optou por levar. Olhe-se no espelho”.

Via Portal raízes

Desconectar-se

Por incrível que pareça, há quem fuja de si mesmo e isso tem um preço caro a ser pago.

Por incrível que pareça, há quem fuja de si mesmo e isso tem um preço caro a ser pago.

De vez em quando é bom desconectar-se, estar solto, sentir sua própria individualidade. Algumas pessoas têm medo disso pois não gostam de se sentir sós. Acontece que as coisas mais importantes de nossas vidas nós fazemos sós: Nascer e morrer. Ainda que assistam e colaborem com nosso parto, ainda que segurem a nossa mão e nos olhem nos olhos na hora que formos dormir, ainda assim entramos e saímos da vida sozinhos. E quando dentro da vida, temos de aprender a entrar e sair da vida das pessoas, e temos de aprender a lidar com as pessoas que entram e saem de nossas vidas. Em alguns momentos, somos nós quem decidimos solitariamente o que será melhor para as nossas vidas e ainda que peçamos conselho a quem for de nossa confiança, o peso da responsabilidade na hora da escolha, será sempre sobre nós que estará. O peso pode ser pesado ou leve, pode ser compartilhado, mas… caberá sempre a nós vivenciá-lo por inteiro.

É bom de vez em quando acordar e começar a tomar os devidos cuidados com nosso corpo, mas não ligar a TV, o rádio, o computador ou o celular… simplesmente desconectar-se de tudo o que seja externo, tudo o que acontece no mundo, não precisa ser por dias, nem muitas horas, mas por momentos. É preciso que tenhamos o silêncio necessário, o mínimo de interferência possível, para termos contato com quem realmente somos. Às vezes o barulho do lado de fora não nos deixa ouvir a nossa voz do lado de dentro. Vocês sabiam que a nossa felicidade depende um tanto bem grande do quanto damos atenção ao que somos interiormente? Falo por experiência própria e por já ter perguntado a quem emana essa leveza de vida chamada de alegria verdadeira… Sei que pode ser extremamente doloroso ter os primeiros contatos consigo mesmo, principalmente quando nos relegamos à anos de fuga. Por incrível que pareça, há quem fuja de si mesmo e isso tem um preço caro a ser pago. O reencontro consigo mesmo pode ser dolorido. Notar que talvez por anos a pessoa se abandonou a si mesma, dá uma dor dolorida. Mas não é nada que não seja aliviável. É possível nos acharmos e nos cuidarmos, ou começarmos a nos cuidar por dentro. Há feridas que precisam ser limpas. Há muita poeira a ser limpa nos móveis dos cômodos na casa que existe dentro de nós. É necessário abrir as janelas e deixar o vento e o sol entrar. Há lugares que ainda precisam ser reservados? Sim, pode ser que o seu mistério não seja logo desvendado… geralmente nunca é de cara que todos os segredos são revelados de nós pra nós mesmos – Há ocasiões onde a insegurança é tão forte que nem em nós mesmos confiamos, quanto mais nos outros. Mas é preciso ter a coragem de fechar um pouco as portas para o mundo e abrir as portas para si mesmo. Não é egoísmo não, é questão de sobrevivência. Só vive de verdade quem se conhece um tanto. Do contrário corremos o risco de ser meros repetidores da vida alheia e isso a gente percebe com o tempo que não nos faz felizes.

Arrisque-se ao encontro contigo mesmo. Tenha paciência contigo mesmo – pode ser que não se agrade de si logo de cara, mas tenha calma. Não se xingue por razões que você acha justo, com o tempo você percebe que a sua justiça própria é muito cruel e injusta, um tanto preconceituosa e cheia de incorreções que lhe ensinaram como se fossem verdade absolutas… busque ter sabedoria pra lidar com maturidade com os seus próprios erros e com os dos outros. Se estamos vivos essa é a oportunidade de acertarmos muito mais do que errados até hoje. Há uma boa chance de sermos felizes de hoje em diante.

O Detalhe da Beleza

imagem meramente ilustrativa by adipositivity project

O único detalhe é que a minha “beleza”, a que faz a verdadeira diferença talvez não seja vista pelas fotos… ela foi adquirida durante o caminho que fiz até chegar aqui… com tropeços, conquistas, decepções, lágrimas, algumas vitórias, sorrisos e muito aprendizado…. maturidade?? Sim, mas tem a “energia” que vem de dentro de mim e se manifesta nas minhas atitudes, no meu desejo, no meu sorriso, no meu andar, no meu olhar, no meu beijo, no meu jeito de amar!

por Loirah Anjo