Impossíveis

“Não sabendo que era impossível foi lá e fez” (anônimo).

Precisamos descobrir a diferença entre os limites reais e os limites impostos pelo medo, pelo conformismo do senso comum, pela ignorância. Tem muita gente desperdiçando vida porque está nos limites das possibilidades do que disseram e não do que ele tenha tentado. Muitas vezes há um impulso em nós de ir e fazer acontecer algo de extremamente útil e feliz pra nossas vidas e outras. Mas o medo de tentar nos sufoca. Não podemos mais correr o risco de chegar a um momento de quase morte e sermos afrontados pela DÚVIDA: E se… eu tivesse tentado? Que isso nunca roube a alegria de nossa conclusão final. Arrisquemos, mesmo que erremos, é melhor tentar e falhar do que falhar por não tentar.