Riscos

Riscos - EuGordinha

– …a gente também acostuma de sentir saudades e não ser correspondida, né?

– Acho que sim, né? Só dói um pouco, mas…

– Amar pode ser perigoso.

– Viver também.

 

Coração fechado

Coração Trancado EuGordinha

Quando um coração se fecha por vontade própria é tão difícil de se conquistar. Às vezes até mesmo o dono dele parece ter perdido a chave. Como abrir as portas, janelas, sótão e porão? Por onde se respiram os novos ares da vida?

Perdão & Qualidade de Vida Emocional

Se uma pessoa me fere e me magoa, posso escolher perdoar. O perdão é uma decisão, não é uma sentimento que espero acontecer pra só então agir. Se depender das emoções para perdoar alguém, isso pode nunca acontecer. Toda ofensa fere as emoções e uma emoção que não foi tocada pelo pensamento certo a respeito do que aconteceu, permanece ferida. Perdoar, ainda que envolva a pessoa que nos ofender, é como por a mão onde nos dói e arrancar o espinho que nos espetaram. Perdoar é saudável para quem o faz. Por mais difícil que pareça. Depois de um pouco de prática a gente percebe a diferença na qualidade de vida emocional, mental e física. Até o corpo nos agradece quando nos perdoamos até mesmo quem não merece – principalmente esses, que são os mais ofensivos e prejudiciais.

 Agora se a pessoa a quem perdoei não tem a mínima disposição para rever seus conceitos e mudar suas atitudes, eu já não tenho necessidade alguma de estar por perto, me arriscando a ser ferido novamente.

 Quando perdoamos, é como se jogássemos fora o lixo emocional que a ofensa produz dentro de nós. Agora, servir de depósito de lixo emocional ao lado de quem nos ofende, isso não é pra nenhum ser humano. “Antes só, do que mal acompanhado”, já diz o ditado.

 É claro que cada caso é um caso. Estou pensando na questão de alguns casamentos e outras questões de família… mas isso é outra postagem.

Parceiros ou Rivais?

Nos relacionamentos que você já teve até hoje em dia qual a sensação que ficou enquanto as coisas estavam/estão rolando? Será que você já se sentiu lesado de algum modo, como se estivessem lhe passando a perna, mas em prol de uma boa intenção? Às vezes acontece isso, sabiam? Um dos dois envolvidos no relacionamento amoroso acha que pode exercer um poder sobre o outro e começa a dominar a situação sem perguntar ao outro se era essa a vontade dele… tem gente que gosta, mas a maioria preza sua liberdade e gostaria de pelo menos ser consultado sobre uma possível “conquista”. Há quem pense que conquistar o outro significa tomar posse do mesmo. Eu já disse por aqui que as pessoas não sã nossa PROPRIEDADE. Sei que o medo que temos de ficar sós nos impulsiona a querer prender as pessoas dentro de nossas vontades. Às vezes fazemos coisas as quais futuramente vamos querer que o outro nos recompense por aquilo, fazemos algo com intenção oculta de futuramente cobrar do outro uma certa atitude. Isso ao invés de cooperar pra o crescimento do amor e seu consequente amadurecimento, só o faz frustrar-se e morrer aos poucos. O amor de verdade não admite ser alimentado pelo medo, porque o medo aprisiona e o amor se alimenta de liberdade. Reflitam e melhores seus estilos de vida. Beijos a todos.

Amor vincit omnia - o amor vence tudo