A Roda

A Roda

A roda é um objeto que muito pode nos ensinar sobre a vida. Ela como sendo um todo é objeto que serve para ajudar na locomoção de outras coisas, quando ela mesma está se movendo. Mas quero me ater na roda em si. Ela tem um todo em si mesma, no seu corpo, onde existe. Com parte de si toca o chão num momento e no outro não. No outro momento é um outro lado de si que toca no chão e depois não. Muitas coisas acontecem em nossa vida. Várias ao mesmo tempo, mas cada um desses eventos só nos toca um de cada vez. Às vezes, a sensação de um toque que acontece num momento e no momento seguinte já não é mais, persiste. O que diremos dos ressentimentos? São sentimentos que foram sentidos num momento e ficaram como que agarrados na lembrança que insiste em os trazer à memória, vindo à tona repetidamente. Sentimentos repetidos em si mesmos, enquanto a roda gira. A roda girando mostra como pode ser a vida da gente. Ela pratica a lei do desapego, ela se apega no chão no que o toca… nesse momento o chão é sua base, o que a sustenta, é o seu instante, o que deve ser vivido porque é o que acontece, a oportunidade em si, vida viva. No outro momento, aquele pedaço da roda gira mais um pouco e já não toca no chão, mas outro lado dela toca o chão que também já não é mais o mesmo. A vida muda constantemente e nós temos medo disso porque os momentos bons podem não se repetir, diante dessa alternância entre coisas boas e ruins acontecendo o tempo todo. Temos desejos por coisas boas em nossa vida e temos medo de coisas ruins. Mas tudo é chão e todo chão, quando estamos dispostos a nos mover, passa, sob nossos pés que seguem, sob a pele do corpo da roda que vive. A roda vive o movimento de sempre estar girando e quanto toca no chão sabe que aquilo ali é apenas o seu instante. E todos os instantes vão seguindo. A gente tem a vantagem de que pode aprender com a vida, enquanto que a roda só gira. A gente olhando a roda girando pode aprender com isso. Na verdade podemos olhar pra qualquer coisa que esteja ao nosso alcance e tirar lições, tirar dores e alegrias de dentro das nossas conclusões. Alguns pensamentos podem ser muito úteis, no sentido de motivar certas vontades e aliviar algumas dores.

Por mais óbvio que seja, a roda gira e a vida é vida. Tem muitas coisas que são óbvias e precisam ser lembradas.

Esquinas

Esquinas - EuGordinha

Tenho andado no meio de muita gente viva, por isso, de repente, tanta morte se acomete e tira de perto de quem conheço quem se ama. A minha relação com a morte é serena, ela pra mim é uma pequena curva na esquina. Quem cruza a rua e vai ao outro lado da calçada e segue até o fim da rua e vira e vai embora, a gente não vê mais do mesmo jeito que via antes – assim é a morte pra mim.

O coração de quem fica, fica desajeitado dentro do peito, com o peso da dor e da saudade. A cabeça pesando, lembranças podem doer. Mas a morte pra mim é como uma entrega, a gente devolve o que nos foi dado. Pra quem fica é preciso seguir adiante. Lá na frente, não muito distante, mesmo que demore mil anos, há uma curva na esquina. Não existem esquinas retas na vida. A vida tem hora que nos deixa ver essa geografia dura e real, ai de quem se negar o direito da verdade por puro medo do desconhecido. Se a gente não pode com o mistério da vida, não precisa fugir dela só por isso. A gente já foge tanto da vida por medo dela em tantas outras coisas. Não precisamos fugir do inevitável. Toda rua dá uma quebra, faz curva em algum momento. Mas é tudo só passagem. Mais adiante é que a gente vê melhor a paisagem e ai aprende a lidar melhor com o começo e fim da vida. O que importa é o meio e o recheio que a gente põe na vida. Não foi a gente quem decidiu começar com a vida, não seremos nós os responsáveis em decidir seu fim. O que nos cabe é o meio, viver, fazer a nossa parte.

P.S.: Que o Consolo divino alcance os corações dos que conheço e de quem ouço falar, os que nos últimos dias tiveram suas despedidas.

Morte - EuGordinha

Leonardo Ladislau

Quebra-Cabeças

Uma amiga no Facebook compartilhou comigo e achei útil expor aqui:

Você já percebeu quantas semelhanças existem entre um quebra-cabeças
e a vida?
Num quebra-cabeças, cada peça é parte muito importante no grande quadro. Na vida, são as pessoas e os acontecimentos as partes importantes. Como peças de um quebra-cabeças, cada um de nós é único, especial em seu próprio jeito. Embora semelhantes, não há dois iguais. Ironicamente, são nossas diferenças que nos fazem ‘encaixar’.
Enquanto eu trabalhava no quebra-cabeças, havia uma peça que eu estava certa de pertencer à um ponto em particular. Mas não encaixava. Acabava voltando a ela tentando encaixa-la, me esquecendo que já havia tentado. Eu tinha meu pensamento focado no fato de que eu sentia que a peça era daquele espaço.Penso em quantas vezes eu fiz a mesma coisa em minha vida. Tentando fazer acontecer coisas que simplesmente não era pra ser. Tentava várias vezes, chegava ao ponto de forçar, mas não era pra ser… e nada do que eu fiz mudou isso.Se você já montou quebra-cabeças, sabe como é perder tempo procurando um pedaço específico. De repente parece tão obvio… mas eu não conseguia achar. Consegui foi embaralhar ainda mais as peças. Fiquei frustrada e decidi deixar pra lá e ficar longe dele. Quando voltei mais tarde, eu achei a peça imediatamente. Estava bem na minha frente desde o começo.Minha vida foi assim muitas vezes. Tentava entender por que certas coisas aconteciam e do jeito que aconteciam. Procurava as respostas por todos os lados e às vezes as respostas estavam bem na minha frente. Era só dar uma paradinha, um pequeno passo atrás, respirar e acalmar que as respostas me encontravam.Olhando as peças deste quebra-cabeças, eu penso nas ‘peças’ de minha vida: minha família, meus amigos, acontecimentos, marcos e celebrações.
Uma mistura de bom e ruim, alegria e lágrima, felicidade e tristeza. 
Penso em todas as peças que imaginei sem importância e sem propósito. Reflito em todos as peças que em minha vida me fizeram perguntar… ‘Por que, meu Deus?’… ‘Por que isto?’E repentinamente percebi que por causa dessas peças, outras peças se encaixaram tão bem. 
Tudo em nosso vida acontece por uma razão. Cada acontecimento, bom ou mau, como uma peça do quebra-cabeças. Deixe uma peça de fora e seTalvez ainda não possamos entender o papel importante de cada peça em nossa vida, ainda existem muitos buracos e o quadro ainda não está claro. Mas sei que quando minha viagem nesta vida estiver concluída, e a peça
final estiver em seu lugar, eu entenderei. E serei capaz de ver o quadro completo e a beleza de cada peça.
Acreditarei que cada peça em minha vida, mesmo as dolorosas, têm
propósito e cumprem papel importante. E quando estiver fraca, procurarei força pela oração.Farei isto até que a obra-prima de Deus em mim estiver finalmente
completa, e Ele então cochichará… ‘Muito bom! Está feito!’.