Guerras Santas

Ultimamente tenho estado em revolta silenciosa diante da guerra travada nos corações pelo poder de SER o que se considera certo às custas do julgamento alheio. Muitos pretensos religiosos tratando com desprezo os que não concordam com suas ideias. Isso não é novidade alguma, infelizmente. Acho que agora me têm doído mais por motivos pessoais.

A tal religião deveria ser, como no significado da palavra, um religar-se à divindade, seja o Deus monoteísta dos Cristãos, muçulmanos e judeus; ou as outras divindades de quaisquer cultos pelo mundo afora, dentro de sua própria cultura. Acontece que algumas pessoas usam de suas religiões para promover a divisão das relações humanas de maneira preconceituosa e prejudicial. Todos temos de aprender algo com o outro, mesmo que não concordemos com seus valores. Não somos TODO PERFEITOS, carecemos da perfeição que foi depositada em porções dentro de cada ser vivo que existe – em nosso caso específico nesse texto aqui, o ser HUMANO.

Cabe a cada um pensar o quanto que a sua religião pode estar sendo prejudicial ao seu desenvolvimento humano como pessoa, ser social. Não sou obrigado a crer no que me dizem ser a verdade. Ninguém é obrigado a crer em minha verdade. A verdade por si só se afirma. Creiam nela os sensatos, sofram suas consequências os que a ignoram. Mas que se evite a guerra de ideias que mais promove DESAMOR do que qualquer outra coisa.

Tempêro pra Vida

Simplicidade Deus Crianças

Quando me perguntam se eu tenho religião, respondo que não, porque eu não concordo com religião. Na verdade eu não gosto das guerras que fazem por causas religiosas. Preconceitos, exclusões, todo tipo de atitude hipócrita que fazem tentando justificar uma pretensa santidade. Odeio isso, porque não promove o que é útil ao ser humano, no sentido de os tornar melhores do que são. Achei um texto que fala sobre Deus – o princípio criador de todas as coisas existentes – pelo menos para os que acreditam. Eu acredito nEle – não acredito em muitas coisas que dizem sobre Ele, prefiro conhecê-Lo pessoalmente. Achei uma ilustração bem legal sobre isso…

Um certo dia um homem foi em uma escola falar de DEUS.

Chegando lá perguntou se as crianças conheciam a Deus, e elas
responderam que sim.

Continuou a perguntar e elas disseram que Deus é o nosso pai, que ele fez o mar, a terra e tudo que está nela, que nos fez como filhos Dele, etc.

E o homem se impressionou com a resposta dos alunos e foi mais longe: “Como vocês sabem que Deus existe,
se nunca ninguém O viu?”

A sala ficou toda em silêncio, mas Pedro, um menino muito tímido, levantou as mãozinhas e disse: “A minha mãe me disse que Deus é como o açúcar no meu café com leite que ela faz
todas as manhãs.

Eu não vejo o açúcar que está dentro da caneca no meio do café com leite, mas se não colocá-lo , fica sem sabor.

Deus existe, e está sempre no meio de nós, só que não O vemos; mas se Ele sair de perto, nossa vida fica sem sabor…”

O homem sorriu e disse: “Muito bem Pedro, eu agora sei que Deus é o nosso açúcar e que está todos os dias adoçando a nossa vida…” Deu a bênção e foi embora da escola surpreso com a resposta daquela criança.

Deus quer tornar a nossa vida muito abençoada, mas para que isso aconteça é necessário deixarmos que Deus faça milagres e uma grande transformação em nosso coração. Pense nisso, hoje não esqueça de colocar “AÇÚCAR” em sua vida!