O Lado Bom

O Lado Bom - EuGordinha “Existem olhos que enxergam beleza em todas as formas” Essa frase se encaixa exatamente com o momento de inspiração. Costumo dizer que tudo nessa vida tem um lado bom. Por que críticas não seriam construtivas? O mundo me ensinou que o que realmente vale à pena a gente enxerga até mesmo no escuro, que a nossa aparência para aqueles que não conhecem o que está no nosso coração, não sabem quem somos nem de onde viemos ou como chegamos até aqui, vale mais que nossa essência. Mas me ensinou principalmente a não dar importância para alguns pontos de vista, por que conceitos e teorias todos têm, mas não quer dizer que sejam os únicos. Achar o outro belo varia de um olhar para o outro, “uns desejam ou repudiam o que lhe convêm”. Alguns passam a vida inteira lutando contra alguma coisa, contra a balança, contra o preconceito, contra o amor, contra a morte, contra a vida. Às vezes lutam tanto e se esquecem de observar o outro de forma diferente, esquecem de tentar conhecer, sem julgar, sem ofender ou magoar, preferem rotular e esquecem que não são exemplos de perfeição. Cada um com suas lutas! Vai entender… “Pelo direito de ser livre no ser, agir, pensar, crer. A favor da vida feliz!”
Pessoas precisam de respeito, amor, amizade, carinho, admiração, paz no coração e liberdade de ser, não de rótulos!

– Natália Rodrigues

Nota: As frases entre aspas são da postagem “O Que É A Beleza?

À Favor do Conteúdo

Ovos - Conteúdo - EuGordinhaQuem já teve a surpresa de pegar um ovo e perceber antes mesmo de abri-lo que o mesmo está vazio? Qual a utilidade de um ovo vazio? No máximo, sua utilidade será meramente decorativa. A essência do ovo é a clara e a gema, sem desprezar a casca, é claro.

Eu comecei pelo ovo para adentrar no conteúdo humano. Tenho uma irmã que reclama com freqüência, e com razão, de que os homens ultimamente estão SEM CONTEÚDO. Imaginei ovos vazios andando por ai. Não que os homens todos estejam TODOS vazios. Seria burrice minha dizer isso. Até porque, os ovos vazios podem ter ar dentro deles. Agora, que tem acontecido com freqüência assombrosa de eu ouvir a mesma coisa, sim, isso tem acontecido:” O carinha vem sempre com os mesmos assuntos, as mesmas perguntas dos outros carinhas!!!” Ouça as meninas reclamando. Parece que está havendo um esvaziamento mental dos sujeitos homens. Isso tem irritado muitas meninas que se dão ao valor de não sair ficando com qualquer um… Não estou chamando os homens vazios de “quaisquer uns” – estou dizendo que eles estão se colocando nessa situação. Já me disseram que também tem muitas meninas vazias por ai e por causa disso os homens não tem tido estímulo de se encher de algum conteúdo. Mas, calma ai, parece epidemia. Se fosse apenas na Balada, nas famigeradas salas-de-bate-papo, nos bares da vida… locais assim mais corriqueiros, onde se tem mais chances de você encontrar com um cara que está só afim de curtição mesmo… mas não, está acontecendo em lugares onde a gente tem um pouco mais de tempo extra pra desenvolver um relacionamento: faculdade, clube, aquele amigo do seu irmão que passa algumas horas na sua casa pra resolver alguma coisa e tal… aquele amigo do seu primo que veio com ele na cidade fazer não sei o quê, e olho pra você e você pensou que ele ia vir com alguma surpressa. Depois do primeiro olhar, do arrepio na espinha, uma troca de palavras e… poucas idéias interessantes. Eu acho que não estou falando apenas com as meninas ditas “intelectuais”, né mesmo? Estou falando com meninas comuns, que gostam de conversar de tudo um pouco, sobre assuntos diversos, e que não estejam interessadas em apenas ter por perto um carinha que após a quinta perguntinha básica, já queira saber se estou disponível pra um beijinho… isso é muito baixo. Cadê a sedução, a conquista, o investimento de tempo e inteligência? Os carinhas por ai estão precisando aprender muitas coisas… será que vamos ter de ficar esperando que eles envelheçam pra amadurecer um pouco? Se bem que tem alguns homens que também envelheceram e não amadureceram nada. Ai ai,  sessão desabafo por aqui… que alguém nos ouça e de algum modo contribua pra mudança de situação.