Tudo tem dois lados. Exagero ou Preconceito?

No papel de colaboradora do blog e page no Facebook, eu não poderia deixar de opinar sobre esse post: “30 segundos de Estupidez”. Sempre amei as publicações, e a maneira como tudo é transmitido aqui. Por isso, aceitei o convite para ajudar nas postagens.
Mas, esse post em especial eu não poderia deixar de comentar. Entendo a indignação de alguns que assim como eu, lutam por esta causa, que tem orgulho de levantar a bandeira contra o preconceito. Vivemos em luta constante para que pessoas que não estão satisfeitas com seus corpos sintam-se melhor e entendam que não é ter um “corpo cabide” que vai tornar uma pessoa melhor, que beleza, felicidade, competência, caráter ou inteligência não está ligado ao tipo físico. São simplesmente “padrões” que a sociedade impõe.
Falando como “gorda” que sou, entendo a indignação de muitos. Mas, não vi o lado preconceituoso e ofensivo. O que entendi é que a propaganda quis mostrar que a moça fez dieta, e pra conseguir ela teve que fazer sacrifícios pra se sentir bem com seu corpo. Eu sei que existem pessoas que estão felizes com seu tipo físico, que levam uma vida normal, que mostram todos os dias que por estarem acima do peso não são doentes e muito menos incapazes. Mas, por outro lado, existem aquelas que não se aceitam por isto, travam batalhas todos os dias por que simplesmente não se aceitam.
Então, entendi a mensagem que a “marisa” quis passar quando disse: “Tudo valeu a pena”. Valeu a pena, pra quem não estava realizada com seus quilinhos a mais e fez uma dieta normal e saudável para reduzir seu peso. E quem faz dieta, sabe que cada grama perdida, é motivo de comemoração. Respeito o ponto de vista de todos que comentaram sobre o assunto. Mas parece que a maioria esquece que falar bem do que é bonito pra si, não quer dizer que você está tratando o oposto de forma preconceituosa.

Por Natália Rodrigues

Nat ✿

30 segundos de Estupidez: Lojas Marisa Erraram Feio!

30 segundos de Estupidez: Lojas Marisa Erraram feio!

Super apoiado quem se indignou com a propaganda da Marisa, denegrindo a imagem das meninas que ão estão no PADRÃO DE BELEZA, IMPOSTO pela mídia manipulada da sociedade. Sabe quando a raiva e indignação doem por dentro?

Vontade absurda de socar a cara de algum responsável por isso. Sei que esse tipo de violência não leva a resolução do problema. Só compartilho por aqui essa vontade doida, porque ela expressa o tanto que me senti ofendido, dolorido por dentro, com vontade de descontar.

Pena que aqui no Brasil ainda não temos consciência o suficiente pra fazer um protesto do tipo BOICOTE. Manifestação pacífica contra absurdos como esse. Quem seriam as meninas que se poriam de frente a essas lojas com cartazes de Repulsa ao comercial idiota que está rolando? Poderiam até mesmo ser ridicularizadas, as meninas!

Alguns comentários no canal da Marisa onde tem o vídeo no youtube:

Fazer uma roupa parecer bonita em um cabide humano é fácil. Quero ver fazer roupa ficar bonita em nós, brasileiras , com curvas. Isso sim seria fazer roupa boa. Eu prefiro comprar uma calça na Levis que tem todos os tamanhos de pernas X cintura (porque entende que temos corpos DIFERENTES) que comprar em Marisas,com P, M e G do mesmo tamanho.ão vou dizer que perderam uma consumidora, pq a roupa da Marisa nunca ficou boa em mim. Prefiro ser bonita com outras lojas!

MsMaira86

  • Qual é o grande problema do comercial? Eu não consegui entender até agora, é só a verdade, não tem como ficar com um corpo maravilhoso comendo pizza todos os dias. Está todo mundo falando que incentiva a anorexia e bulimia mas na verdade vai da pessoa, todos sabem que isso é errado, e que são doenças que possuem tratamento. Já sobre a história do padrão de beleza gente, por favor, reclamem de TODAS as propagandas de lojas, e marcar de roupas então! Eles se referem a um estilo de vida SAUDÁVEL

    Marcela Marcos 12 horas atrás

  • O problema é uma homenagem à mulher que adota práticas autodestrutivas pra se enquadrar num padrão estético imposto por interesses comerciais. É o mesmo que homenagear o funcionário do mês como aquele que faz hora extra de graça e engole assédio moral docilmente. A mulher que deveria ser homenageada é justamente aquela que valoriza aquilo que ela realmente tem de valor, aquela que quer ser valorizada por aquilo que ela é, e não pelo o que querem que ela seja.

    123456superlol

    ME DESCULP.. MAS ESSE COMERCIAL FOI UMA P****

    SÓ TEM ROUPAS PRA MAGRELAS, E ALÉM DO MAIS FOI PURO PRECONCEITO COM NÓS CHEINHAS.. QM DISSE Q HOMENS SÓ GOSTA DE MAGRELAS? TEM TANTO Q AMAM UMA GORDINHA.. NUNCA ENTREI NESSA LOJA (marisa) E AGORA MTO MENOS VOU ENTRAR NELA DEPOIS DISSO?!! AINDA BEM Q AKI NAO TE ESSA LOJA. SE TIVESSE, JAMAIS ENTRARIA.. APESAR Q AKI ONDE MORO SÓ TEM LOJA PRA ESQUELETO E NÓS SOFREMOS COM ISSO…E QNDO ENCONTRA É ROUPA PRA SNHORA DE IDADE.. SACANAGEM.. RUMMMMMMMMMMMM

    alineecarlos2012

  • Fat Pride – Pelo Direito de Ter Dobrinhas

    Belo texto:

    adipositivity project

    Eu sou gordinha. Não gordinha, como aquela sua amiga magérrima diz que está depois de pular a cerca com um muffin bem recheado. Gorda mesmo, bem gorda. Peso 125 quilos muito bem distribuídos em um metro e 67 centímetros de uma morena bastante simpática. Ih, peraí. O marido deu bronca. Disse que eu não sou gorda, eu tenho dobrinhas mais gostosas que as das outras mulheres.

    Venho propor um manifesto, pela liberdade dos nossos quilos a mais. Pouquíssimas mulheres teriam coragem – e até hoje muita gente treme na base – na hora de dizer seu peso em voz alta. Mas agora, aparentemente, as gordinhas estão na moda. Ou não. Eu sou da opinião pessimista de que, quando se trata de aparências e padrões, o mundo é sempre burro e sem imaginação.

    Enquanto puderem, as mulheres vão continuar tentando caber no vestido mais curto, justo e decotado que encontrarem pela frente. E vão ter pesadelos que envolvem o mundo descobrindo seu verdadeiro peso. Por mais que tente se valorizar, uma mulher quando se olha no espelho, está valorizando apenas aquilo que a sociedade acha que é bonito nela. Está reafirmando um padrão de beleza magro e, deixe-me dizer, bastante sem graça. Qual é o interesse de se ver sempre as mesmas caras, as mesmas roupas, as mesmas bundas entre as mais desejadas?

    E a parte triste dessa história é que essas imagens afetam profundamente a vida de mulheres reais, que estão por aí tentando chegar ao fim do dia sem se odiar. Momento desses, conheci uma mulher, de 27 anos, completamente virgem. A moça pesa mais de 100 quilos e nunca teve um namorado na vida. ‘Claro, coitada, nunca deve ter tido oportunidades, cresceu afastada dos garotos!’, disse outra conhecida quando soube da história. Muito pelo contrário.

    A gordinha é muito bonita, extrovertida, tem papo bom, gosta de vários assuntos, sabe atrair as pessoas. Já teve três namorados sérios, foi bastante apaixonada por dois deles. Mas com nenhum teve coragem nem de tirar a roupa. Por mais que eles insistissem, estivessem loucos de tesão, acendessem uma vela para que ela liberasse a ida ao motel, nem com reza brava. Ela diz que, por mais que ouvisse que era desejada, nunca conseguiu acreditar. Achava um absurdo impossível que alguém pudesse sentir tesão por ela. Sendo assim, ela mesma nunca sentiu.

    E você pensa que é uma imposição dos homens? Que o mundo masculino é uma ode ao osso-e-pele? Claro que não. Eu já recebi todo tipo de cantada de homens que gritavam pro mundo o quanto a Gisele Bundchen era o tipo de mulher ideal – e terminavam a noite de olho naquele meu decote poderoso que toda mulher de respeito tem no armário. A libertação de gritar ao mundo seu próprio peso tem que sair das mulheres, porque esse tipo de julgamento parte da gente.

    Daí o tom de inveja preconceituosa que eu ainda vejo – abismada – no olhar de uma ou outra por aí. Solteira há muito tempo, sem perspectiva de achar ninguém, mas acendendo cada vela a Santo Antônio que cruza o caminho, sabe? Todo mundo conhece uma recalcada de carteirinha. A mulher que olha com aquele tipo de surpresa esquisita quando descobre que eu sou casada há dois anos, com o gordo mais incrível desse mundo, aos 25 anos e 127 quilos. Sim, 127. Engordei dois desde o começo do texto, porque hoje é dia de pizza aqui em casa. Ou você acha que eu já nasci com essas dobrinhas gostosas?

    Via CasalSemVergonha