Virgindade

Achei uma pergunta feita no Ask do Pedro Araújo, muito pertinente para uma porção de meninas que talvez estejam com a mesma dúvida em mente.

Tenho 18 anos, e tenho um grande amigo que eu estou pensando em perder a virgindade com ele. Só que ele não vai namorar comigo. O que você acha que eu devo fazer? #adorosuapagina

Depende, se você for desencanada com esse lance de virgindade não há menor problema, se ele é seu amigo, você confia nele e sabe que ele não vai sair por aí tirando onda com a sua cara, tudo bem vá em frente, agora se você se apaixonar no ato (sim, isso pode acontecer), acho melhor você perder com alguém que você goste. =]
Muito bem. Compartilhar a sua virgindade com alguém é algo que ao meu ver deveria ser algo extremamente especial e importante na vida de uma pessoa, seja menino ou menina. É um momento de passagem, transformação, mudança. Hoje em dia tem-se dito e feito do sexo algo muito comum e simples. Mera satisfação dos instintos, das necessidades físicas e mentais. Sei que as meninas ligam culturalmente e outros mentes da vida, o sexo com questões emocionais – as meninas fazem mais isso que os meninos. Como o Pedro disse na resposta dele, é bem possível que a menina se apaixone pelo rapaz quando fizerem sexo/amor pela primeira vez… principalmente se for sem proteção. O tal pele na pele tem muito mais do que contato físico, algo de espiritual acontece na mente e coração das pessoas envolvidas, mesmo que não queiram. O que eu digo é uma questão de fé, por tratar-se de coisas espirituais. Sei que o ser humano tem um espírito, alma e corpo e esses elementos estão intrisecamente ligados um no outro, não tendo para onde fugirmos disso. Podemos fingir que nada acontece, mas algumas respostas para questões que surgem podem estar ai…
Bem, saindo um pouco dessa parte quase meio esotérica, as questões práticas, incluindo questões de saúde (DST’s – Doenças Sexualmente Transmissíveis), Gravidez indesejada (Bebês são lindos, mas requerem muito trabalho e tempo, além do custo financeiro), muitas coisas devem ser levadas em consideração. A mais importante delas no meu ver é o tanto que estamos ligados a pessoa com quem vamos pra cama. O quanto de amor ou paixão temos pela pessoa. Paixão ainda é algo meio frágil… o bom seria descobrirmos o quanto amamos, admiramos, gostamos profundamente da pessoa com quem vamos nos dar. É bom que não aconteça só por fora, mas por dentro também.
Se for pra viver algo bom na vida, que a vivamos com a devida RESPONSABILIDADE.
Foto meramente Ilustrativa

Foto meramente Ilustrativa

Eu Te Amo

“Não precisa dizer que me ama. Eu sei disso se for verdade mesmo… Vai transpirar em tua pele e eu vou pressentir nos ferômonios, assim como certos animais pressentem o medo ou a raiva. Se for verdade que você me ama eu vou saber mesmo que você não me diga, porque vou ver nos seus olhos um brilho furtivo e tua preocupação comigo vai me aplacar a necessidade que tenho de saber se está tudo bem comigo… teus olhos terão o brilho sincero de um espelho limpo sobre meu corpo e minha alma. Será tão simples o teu amor como uma sombra em dia quente e um gole d’água na sede. Prezo muito o teu silêncio, portanto me poupe de suas palavras. Continue me amando assim tão pulsantemente, eu vivendo o teu sangue correndo em mim por dentro. Não preciso pensar muito em ti, pra que dês sinal de vida. Pra mim isso vale mais do que qualquer eu te amo dito assim em qualquer idioma que seja. Seja você simplesmente e eu sei que na tua essência há uma amor por mim. Isso me basta.” (L. Ladislau)